Um #paponapiscina para ficar na memória

Quando pensamos em criar uma pool party do projeto #paposobreautoestima, a primeira coisa que nós pensamos foi que ela seria uma festa para celebrarmos verões sem padrões e sem julgamentos. Nossa ideia foi justamente usar uma piscina como pano de fundo para que leitoras, seguidoras e participantes do grupo se encontrassem para uma tarde descontraída e divertida, com direito a muito biquíni, maiô, caídas na piscina e muito amor próprio.

Acho que nem preciso falar como ficamos felizes de ter a Bio Extratus nos apoiando nessa empreitada, né? Porque o discurso de liberdade com seus cabelos e as diversas linhas pensadas para fazer TODOS ELES serem os melhores possíveis é muito alinhado com o #paposobreautoestima. A quantidade de linhas disponíveis para quem descoloriu, pintou de loiro, fez mechas, pintou de escuro, deixou grisalho, alisou, deixou cachear naturalmente é enorme, assim como as famílias feitas para quem quer revitalizar, fazer crescer, reidratar e tornar seus fios mais fortes.

A primeira festa teve tudo que a gente podia esperar e o feedback que mais ouvimos foi: “eu nunca imaginei que estaria em uma festa na piscina, rodeada de mulheres, dançando de biquíni e não me importando com o meu corpo nem por um segundo”.

A segunda teve um empecilho: a chuva. E, apesar de todos os nossos receios, sabem de uma coisa? Foi incrível do mesmo jeito! Muitas entraram no clima com a gente e apareceram de biquíni com saídas de praia abertas, várias de fato entraram na água e usaram os finalizadores e escovas disponíveis para experimentarem os produtos da Bio Extratus depois. Nós entramos na piscina!

Todas levaram para casa o finalizador da linha Resgate, que é um dos queridinhos, e o Óleo de Argan e Cártamo, ideal para selar as pontas e deixá-las brilhantes e bonitas. Esses dois produtos foram pensados justamente porque são sensacionais e, para quem não conhece a marca, não existe melhor porta de entrada. Quem ficou no hotel – quase 40 meninas vindas de BH, Porto Alegre, São Paulo e outros cantinhos desse Brasilzão – também recebeu no quarto o shampoo e o condicionador da novíssima linha Pós-Coloração.

E, no fim, o que ficou marcado é como a gente não precisa de um tempo maravilhoso para apoiar o #paposobreautoestima. Nesse dia, conseguimos provar que a força do coletivo em criar um ambiente sem julgamentos, com empatia e amor próprio, tem muita luz e energia. Hoje faz quase uma semana que a festa aconteceu, hoje o sol já voltou a brilhar (aliás, voltou a brilhar no dia seguinte da festa, como se São Pedro tivesse feito a chuva cair no sábado só para mostrar pra gente que somos mais fortes que condições meteorológicas) e eu ainda estou pensando em como foi tudo tão especial. E só posso finalizar esse post agradecendo à Bio Extratus por nos apoiar faça chuva ou faça sol e ajudar a levar essa mensagem de liberdade e empoderamento para mulheres de todo o Brasil!

#PapoNaPiscina: a maior celebração da autoestima do Brasil

No último sábado, dia 30, embarquei para o Rio para a segunda edição do #PapoNaPiscina, criado em fevereiro pelas meninas do (F)Utilidades. O blog de Joana Cannabrava e Carla Paredes deixou a linha fashion para assumir uma identidade nova, que une a autoaceitação e a autoestima como foco principal. O grande evento na piscina é uma celebração da autoestima feminina, onde se reúnem mais de 80 mulheres de todos os lugares do país em busca de diversão e troca de experiências sem julgamentos.

A nova vertente do blog está presente em um grupo no facebook, hoje com mais de 4.200 mulheres em busca de se ajudar a melhorar a autoestima e incentivar o amor próprio. Foi incrível poder participar desse evento tão gostoso, sem se preocupar com julgamentos e olhares tortos. Por lá rolou muita música boa, comes e bebes deliciosos, uma piscina incrível no melhor roof top carioca e muita, muita diversão. Pude conhecer muitas meninas de diferentes partes do país, todas vivendo intensamente cada momento da festa.

E foi nessa intensidade toda que meus cabelos pediram socorro. Entre pulos na piscina e danças com as amigas, meus fios acabaram embolando, especialmente na parte de baixo.

A Bio Extratus marcou presença no evento com um espaço recheado de finalizadores para todos os tipos de cabelo e escovas Michel Mercier pra todo mundo conhecer. Foi incrível ver a diversidade de produtos com propostas diferentes para que todas nós pudéssemos continuar lindas e curtindo a festa.

Meu finalizador escolhido para usar nos fios foi o Botica Camomila, que protege os fios até mesmo de fatores externos, como o cloro, os raios solares e a poluição. Desembaracei com a versão Pack & Go da escova, superprática e ótima para levar em qualquer lugar. Pude me sentir linda e com cabelos no lugar para continuar a festa. Vi várias meninas apostando nos produtos como aliados de beleza durante o evento.

Foi um prazer poder participar desse dia tão incrível! Todas nos jogamos nessa ideia de uma festa sem padrões e, modéstia à parte, arrasamos na missão! Amei poder compartilhar um pouquinho sobre mim e ouvir um pouquinho sobre cada uma. Espero que venham os próximos em breve!

E se falhar, vai falhado mesmo

Eu tenho a impressão que vivemos em um mundo onde você é obrigada a ser bem-sucedida para ganhar algum respeito. Vejam bem a palavra que eu usei: obrigação. Não estou falando apenas de trabalho, estou falando da academia, da maternidade, das amizades, de relacionamentos. Falhar não é uma opção em nenhum caso.

Você desiste de ir a uma aula da academia porque todas as outras pessoas parecem melhores e com mais disposição física do que você. Você teme arriscar algo novo na sua vida profissional porque fica com medo de dar errado – e fazem parecer que isso é um pecado maior do que tentar e não conseguir. A culpa materna é 100% vinculada ao medo de errar e, consequentemente, ser considerada uma péssima mãe. Você tem medo de entrar numa relação porque já teve tantos outros relacionamentos frustrados. Enfim, todos os caminhos chegam à conclusão de que falhar é um terror. Mas será mesmo?

É claro que todo mundo gosta de tentar e acertar de primeira, faz bem para a autoestima e a autoconfiança. Mas até que ponto essa competição que criamos com nós mesmas é saudável? Ninguém aqui é uma máquina, criada para agir sempre da maneira esperada justamente para evitar os erros. Então, por que não consideramos que falhar é uma parte natural da nossa trajetória? Por que encaramos como vergonha ou desmerecimento? Por que deixamos que o medo de falhar faça com que a gente fique inerte?

Vejo meu filho aprendendo a encaixar as coisas no lugar e percebo como crianças são destemidas e livres. Ele faz força, muda de posição, tenta em outro buraco, olha pra mim, chora, pede ajuda e, quando consegue, fica nas nuvens. Ele pode até se frustrar por não estar conseguindo, mas o medo de errar não existe. A paralisia por esse medo também não, assim como não existe vergonha de pedir ajuda.

Quero não ser imune a frios na barriga, a novas experiências, à empolgação de tentar algo novo. E se não der certo do jeito que eu imaginava? A gente pede ajuda, tenta de novo, dá um jeito de reverter a falha ou tudo isso junto. 🙂

Websérie: Identidade e Autoestima

Na semana passada, a Erika Okazaki (@erikaokazaki) e a Mari Simionato (@marisimi) desembarcaram em New York para uma das principais semanas de moda do mundo. E lá, além de ficar por dentro das principais tendências, ainda entraram no backstage dos desfiles para conversar sobre identidade e autoestima com as modelos e profissionais que passaram pelo camarim.

A Erika, mais conhecida como Japa, ama moda e sempre buscou um significado maior que fosse além de roupas. Descobriu que pode ser uma ferramenta de transformação na vida das mulheres. Formada em jornalismo, design de moda e consultoria de imagem, uniu suas paixões e entendeu que nasceu com “asas”. Junto com o marido Johny tem viajado pelo mundo experimentando novos sabores da vida e se redescobrindo a cada dia.

Já a Mari, a gaúcha do sotaque forte, começou dando aula de consultoria de moda e, no meio da caminhada, percebeu que as mulheres estavam lindas por fora e tristes por dentro. Foi então que ela decidiu escrever o livro “Cartas Para Minha Filha”, que fala sobre identidade e autoestima. A primeira edição foi vendida em apenas dois meses! Por conta disso, além de falar de moda em seu blog, a Mari ainda viaja o mundo ajudando mulheres a descobrirem seu potencial máximo. Hoje ela mora em Los Angeles, mas ama aeroportos e está sempre lá e cá.

As duas se conheceram nas redes sociais e amizade foi ficando mais próxima. Sabe aquela pessoa que você nunca viu, mas se sente íntima? Foi mais ou menos assim. Então, junto com a BioExtratus, elas embarcaram para New York para unir duas paixões: MODA e AUTOESTIMA. Porque, afinal de contas, não basta você estar linda por fora, seu interior também precisa estar bonito.

Elas criaram uma Websérie que gravaram durante a última edição da NYFW dividida em 4 episódios. Vem conferir e depois nos diga o que achou!!!

Erika Okazaki

A ligação direta do meu cabelo com minha autoestima

Tem gente que duvida do poder de uma boa hidratação e finalização né? Mas só nós mulheres entendemos o quanto a vida melhora quando o cabelo tá bom, não tenho um real na conta, mas olha meu cabelo como tá lindo?! Hahaha, acontece! E o que me fez vir aqui abordar esse assunto foi um episódio que vivi no meu tatuador no mês passado , dia 15/3 , uma seguidora minha, Lorena de 11 anos, foi até o estúdio me ver, e cara, eu vi nela esperança, eu vi o resultado do meu trabalho, tá dando certo!! Na idade dela, meu sonho era ter cabelo liso, uma franja mais lisa ainda, e por não ter, me odiava de uma maneira inexplicável; “Ah Nath, mas era só um cabelo”, sóooooo? Cara, eu era uma pré-adolescente que não gostava de mim por causa do meu cabelo, entende a gravidade disso e o tanto de frustração que isso acarretou na minha vida? MUITA! E ao ver Lorena, linda, jovem e bela nos seus 11 lindos anos, assumida, feliz com o formato e volume do seu cabelo me fez refletir sobre essa fase da minha vida e como lidei com ela.

Hoje, youtuber cacheada, e embaixadora de uma marca que acredita na beleza natural, me sinto orgulhosa de influenciar diretamente meninas a se aceitarem e não passarem por situações que abalariam a autoestima delas; Como um “Não tem pente em casa?”, ou “Você acha que eu namoraria uma menina do cabelo ruim que nem o seu?”. Pode parecer inacreditável para quem não passou por isso, mas sei que muita gente vai ler esse texto e lembrar de cada frase responsável por diminuir cada dia mais o seu amor próprio.

A época em que aceitei meu volume e comecei a me descobrir cacheada, foi LIBERTADOR! Ufa, meu cabelo tem uma identidade única, porque até então eu não era nem lisa e nem cacheada, era o que? Um E.T? hahaha, o E.T mais cabisbaixo e frustrado da escola. Hoje, você fala meu nome no meio cacheado, e vou estar altamente ligada à aceitação do meu cabelo, mas nem sempre foi assim. Custei a me amar, porque não via quem queria no reflexo do espelho, e isso machucava, deixou cicatrizes, que custei a remendar. Mas como me amar, se na mídia nacional e internacional não me via representada? Cabelos baixos, domados e peles claras, as mais claras possíveis, poxa, eu realmente não estava no padrão; E é essa nossa luta, representatividade, o que eu fui na vida da Lorena e de muitas outras seguidoras que se viram em mim, se identificaram, e se amaram.

Tá aí a importância de cacheadas e crespas nas mídias, internet, televisão e revistas, porque tem muita menina e também tem muita mãe de família que nunca iria se encontrar, se não houvesse a resistência que estamos tendo em não abaixar a cabeça e nem o cabelo para ninguém. Vai muito além de um vídeo ensinando a cuidar e arrumar o cabelo cacheado, é ajudar a se encontrar, é mostrar que dá para ser linda e segura, mesmo não sendo igual a maioria do mundo todo, e quer saber? Que graça tem ser igual a todo mundo? É tão mais gostoso ser você, cada pedacinho, único e especial como deve ser.

E você? Conhece o melhor do seu cabelo e de você? Se não, corra atrás desse prejuízo AGORA, mas se sim, ajude outras a descobrirem quão grande é a satisfação da liberdade de ser quem é. Eu nunca vou me cansar até que todas as mulheres da minha volta saibam o quanto são lindas, faça sua parte você também. A mudança no mundo, começa em mudar a si mesmo.

Um beijo,

Nath Barros