O que torna minha mãe naturalmente inspiradora

Me peguei pensando outro dia no tanto que minha mãe me inspira, naturalmente. Seria pelo seu jeito engraçado, de fazer piada com tudo? Seria pelo olhar que, só de cruzar com o meu, já entendemos a situação, sem precisar de palavras? Seria pela nossa cumplicidade e sinergia que a fazem ser minha melhor amiga? Ainda não sei ao certo, mas resolvi reunir 5 aprendizados que recebi da minha mãe e que a tornam naturalmente inspiradora. Espero que gostem.

 

Ser independente

Não sei ao certo qual foi a primeira vez que ouvi da minha mãe que eu nunca deveria depender de ninguém. E olha que ela não falava isso apenas financeiramente não. Ela sempre me ensinou (e ao meu irmão) que não devemos esperar por nada de outras pessoas e que sempre precisamos correr atrás do que é nosso. Desde tarefas básicas do dia a dia, até juntar uma grana para realizar um sonho, ser independente se tornou minha principal meta em qualquer atividade. Palmas para mamãe!

 

Nunca desistir dos meus sonhos

Que clichê, hein? Mas não poderia deixar de mencionar uma época crucial na minha vida, em março de 2012. Resolvi criar o blog em busca de autoconhecimento e de ter um espaço para me comunicar. Mamãe entendia de blog? Não. Entendia de mídias? Muito menos. Mas ela nunca me botou pra baixo. Pelo contrário, sem entender nada, ela já enaltecia cada trabalho feito. Hoje vejo que essa força dela foi minha escada para alcançar os meus principais objetivos nesses 6 anos do Cinderela de Mentira.

 

Acreditar em mim mesma

Se tem uma pessoa que acredita em mim, no meu potencial e no meu trabalho é a minha mãe. Obviamente eu não quero decepcioná-la em momento algum da minha vida. Por isso, essa confiança dela em tudo que eu faço me impulsiona a ser a melhor versão de mim mesma. Não apenas para agradá-la ou superar a expectativa dela, mas para fazer o que eu realmente quero, apenas com a força e a crença que ela tem em mim.

 

Não deixar pra ser feliz depois

Desde que eu me entendo por gente, minha mãe é gorda, assim como eu. Já a vi fazendo dietas, já a vi tentando mudar essa realidade. Mas nunca, NUNCA a vi deixando passar uma oportunidade de ser feliz com seu próprio corpo. Nunca a vi se escondendo na praia ou piscina. Nunca a vi deixando de usar algo que queria, por medo do que os outros iam pensar. Nunca a vi deixando de sair com as amigas ou com a família para se esconder. Esse foi o meu maior exemplo de que não somos apenas um corpo. Somos muito mais do que isso.

 

 

Inspirar pelo exemplo

Acho que, quando falamos de pessoas naturalmente inspiradoras, falamos de exemplo. Pra mim, não adianta a pessoa falar mil coisas e não praticá-las em seu dia a dia. Minha mãe me inspira todos os dias com sua rotina, sua garra e eficiência no trabalho, seu jeito engraçado de lidar com as adversidades, seu compromisso comigo e com meu irmão, seu jeito espontâneo de falar coisas que viram meme na família… enfim. Com um exemplo desse em casa, não teria como eu não ser a filha mais feliz do mundo.

 

 

Queria desejar um feliz dia das mães a todas as mamães naturalmente inspiradoras e te convidar a compartilhar: o que torna a sua mãe inspiradora?

Pelo direito de poder vestir o que você quiser!

Outro dia me peguei pensando, após uma aula de consultoria de moda, o tanto que nós mulheres somos cobradas socialmente com relação ao que vestimos. Se estamos muito arrumadas, dizem que estamos tentando demais. Se estamos mais básicas, nos chamam de relaxadas. Se queremos usar peças da moda, somos escravas da mídia. Se queremos ficar de pijama o dia todo em casa, somos desleixadas.

Mesmo que inconscientemente, pensamos no que vamos usar em uma festa, no trabalho ou simplesmente para ir à padaria. Afinal de contas, o ato de se vestir é diário e obrigatório, tornando assim algo importante no nosso dia a dia. Mesmo a pessoa menos ligada às tendências precisa se vestir de acordo para determinada ocasião. E foi aí que me peguei pensando: até quando o que eu visto diz respeito a mim mesma ou diz respeito apenas ao que esperam de mim socialmente?

Quantas vezes você já se pegou vestindo uma peça apenas pensando no que o outro ia pensar de você? Quantas vezes você montou um look genuíno, que exprime sua personalidade de verdade? Mesmo que as regras de etiqueta existam, mesmo que alguns costumes devam ser mantidos em situações formais, por que deixamos nossa opinião de lado e damos voz aos outros?

Me questionei e cheguei à conclusão de que, muitas vezes, damos voz a essas ideias por medo de rejeição social, medo de não se sentir aceito e não fazer parte do grupo. Daí, quando paramos pra observar, vemos várias pessoas iguais, padronizadas, sem personalidade. Por que não exprimir sua personalidade em suas produções do dia a dia?

Não, não estou dizendo pra ir de chinelo para o trabalho ou de jeans para um casamento. Estou dizendo apenas para que a gente pare de se preocupar tanto com o olhar que outras pessoas terão para nossas produções. Tomemos para nós o direito de poder vestir o que a gente quiser em situações que nos permitam isso. Que a gente se permita usar e ousar peças que nos deixem confortáveis e estilosas, do jeitinho que sempre quisemos, sem medo do que o outro vai pensar a respeito. Que a gente seja realmente livre para comprar as peças não apenas por tendência ou para nos encaixarmos no padrão e sim por gostarmos dela. E que tomemos posse do nosso direito de usar a moda em nosso favor, sem nos tornarmos escravas dela.

Meus produtos companheiros de viagem

Sempre que vou viajar, levo comigo alguns produtos de beleza que vão me manter segura e confortável em meu destino. A ideia é sempre curtir ao máximo o local e explorar cada cantinho, sem me preocupar com os cabelos ou com a pele. E nessa última viagem não foi diferente. Visitei Orlando com meus pais e meu irmão e, sabendo que teríamos parques e outlets para passear, escolhi com antecedência os produtos que seriam meus verdadeiros companheiros de viagem.

O primeiro deles, que me acompanha de 10 em cada 10 viagens, é o Creme de Silicone e Tutano, da Bio Extratus. Ele é um dos meus finalizadores favoritos da marca, o que mais me dá confiança. Isso porque tem ativos que hidratam os fios e os protege de ações externas, que nessa viagem seriam bem agressivas. Peguei desde calor intenso de meio dia, com sol forte, até muito vento e friozinho à noite. Ele realmente blinda o cabelo para que eles não sofram com esses fatores. Me vi 7 dias livre de secador, chapinha e babyliss, deixando os fios bem naturalmente bonitos.

Entre um brinquedo e outro, meu cabelo acabava embolando inteiro, principalmente na parte de baixo, próximo à nuca. Levei todos os dias na bolsa a escova Pack and Go, da Michel Mercier. Assim como os outros modelos da escova, essa versão pocket é ótima porque desembaraça os fios sem quebrá-los e sem doer o couro cabeludo. Me senti livre pra ir a quantas montanhas russas queria, quantas vezes tinha vontade, sem criar um ninho de mafagafos na cabeça. É nítido nas fotos do parque o quanto os fios estavam soltinhos e macios.

Para lavar os cabelos, levei alguns produtos práticos da linha Queravit. Em mudanças de temperatura, meu cabelo tende a ficar mais oleoso na raiz. Levei o Shampoo Antirresíduos que, por fazer uma limpeza profunda, deixava os fios bem soltinhos e limpos de verdade.

Alternei com o Shampoo Hidratante Queravit, que traz hidratação sem tirar a sensação de limpeza, sabe? Diminui o atrito dos fios mas os deixa soltinhos, da melhor forma possível. Levei também o condicionador da linha para selar as cutículas capilares e uma máscara “desmaia” cabelo, superprática e ótima para ter com a gente em viagens.

Esses produtos me mantiveram confortável e livre para curtir minha viagem sem medo de ser feliz e sem deixar os fios desprotegidos.

 

E vocês? O que costumam levar quando viajam? Comentem abaixo!

Encontrinho em BH com bate-papo e troca de experiências

O dia 17 de março poderia ser um sábado normal, mas resolvi fazer um encontrinho com minhas seguidoras das redes sociais e leitoras do blog (que completou 6 anos!). Eu planejei o evento para que fosse um momento de bate-papo sobre autoestima feminina, moda plus size, beleza inclusiva e tudo que temos direito. Não queria que fosse um evento chato, onde as pessoas vão para tirar foto e já vão embora. Realmente arquitetei tudo para que pudéssemos trocar experiências e conhecer gente nova, que estão na mesma sintonia de busca por autoconhecimento que eu tanto falo no blog.

E não é que deu certo? Escolhi marcar o nosso encontro em um shopping de fácil acesso em BH, assim todo mundo poderia participar. Cheguei no local 1h antes do marcado para início do evento e, pra minha surpresa, já tinham chegado várias meninas. Fiquei espantada com o número de mulheres maravilhosas que apareceram lá naquela tarde de sábado. Ao todo foram mais de 70 pessoas para esse bate-papo incrível!

Tratamos de assuntos como empoderamento feminino, relacionamento amoroso e familiar, gordofobia, preconceito, pressão estética, feminismo e muito mais. Pude conhecer muitas mulheres que, assim como eu, estão se conhecendo cada dia mais e se entendendo donas do próprio corpo e das próprias escolhas. Bati na tecla do respeito que devemos ter conosco, que muitas vezes é deixado de lado quando ouvimos algum comentário de gente próxima.

Outro assunto que me perguntaram foi sobre marcas inclusivas, que realmente encabeçam projetos para todo tipo de mulher, respeitando as diferenças. Realmente, hoje em dia é muito difícil diferir o que é genuíno da marca e o que ela faz apenas para gerar buzz e converter em vendas. Conversei sobre o assunto e dei o exemplo mais próximo da minha realidade, que é a Bio Extratus, que além de respeitar o meio ambiente e ser extremamente sustentável, apoia todo tipo de beleza feminina.

No final, todas saíram com produtos da marca para testar em seus fios. Foi um encontrinho muito gostoso e emocionante em diversos momentos. Espero que em breve eu consiga promover mais e mais desse tipo de evento, para que a gente consiga sempre trocar experiências e conhecer gente engajada na causa.

Como tonalizar os cabelos de forma simples e fácil

Desde que passei pela mudança de visual, em novembro do ano passado, sabia que precisaria manter o cuidado com meus cabelos sempre em dia. Usando os produtos adequados para meu tipo de fio, consegui deixá-los da forma que eu gostaria durante todos esses meses. Só agora, no início de março, senti necessidade de reavivar a cor e acender novamente o visual loiraço. Conversei com minha cabeleireira e ela me sugeriu que tonalizássemos o cabelo. Mas o que é tonalizar?

Tonalizar os cabelos é um processo supersimples, feito no lavatório, que resulta no tom desejado ou intensifica o tom que já existe. Eu, por exemplo, fiz luzes nessa minha transformação de visual. Com a tonalização em loiro, eu consigo reavivar essa cor e deixar o efeito mais bonito e natural.

Pois bem, agendei meu horário e me joguei novamente nesse procedimento. Assim como da primeira vez, usei Bio Extratus Color na cor 8.31, Loiro Claro Dourado Acinzentado, com água oxigenada de 10 volumes. Segundo a cabeleireira, é importante que as proporções sejam iguais para um resultado bonito nos fios. Vi que ela pesou os ingredientes e misturou bem antes de irmos ao lavatório.

Eu tinha duas opções de linhas para usar durante o procedimento: a Pós-Coloração e a Blond. A Pós-Coloração sempre foi minha queridinha para manter a cor intensa e o brilho após tingir os fios. Porém, para um efeito de desamarelamento progressivo, dessa vez escolhi usar a linha Blond. Passamos o shampoo mais de uma vez, limpando bem o couro cabeludo e tirando qualquer resíduo. Em seguida, após enxaguar bastante, aplicamos a tinta nos fios e deixamos cerca de 10 minutinhos. O tempo de ação varia de acordo com seu organismo e a facilidade de aderir a tinta no fio, é importante ficar de olho pra não passar do ponto. Em seguida, retiramos toda a tinta com bastante água.

Aplicamos um produto novo da linha Pós-Coloração: a Fix Dose. É um tubinho com um líquido transparente que possui alguns ativos importantes para manter a cor dos cabelos sempre viva, aumentando sua durabilidade nos fios. Achei o cheiro maravilhoso. Em seguida, já entramos com a máscara de hidratação da linha Blond, deixando-a no tempo indicado na embalagem para agir profundamente nos cabelos. Finalizamos no lavatório com o condicionador para selar as cutículas.

Nesse dia, terminei os cuidados com o finalizador da mesma linha. Essa parte é megaimportante, pois ele possui proteção térmica e filtro solar, que não deixam o cabelo ficar danificado por fatores externos. Fiz uma escova convencional e babyliss nas pontinhas. Gostei muito do resultado do processo de tonalização dos cabelos. Senti que a cor deu realmente uma avivada e estou me sentindo renovada. Acredito que, com o uso da Fix Dose, o tom se manterá vivo por muito mais tempo. Para manter os cabelos do jeito que adoro em casa, vou alternar o uso da linha Pós-Coloração e da linha Blond. Em breve conto pra vocês os resultados que elas estão dando nos fios.

 

E você? Já passou por uma tonalização? Comente aqui embaixo!