Meus 3 meses com a linha Força com Pimenta

Meu primeiro contato com a linha Força com Pimenta foi bem no lançamento, lá em 2016, quando eu usei religiosamente por mais ou menos uns 40 dias. Depois de ter visto o vídeo da Andreza Goulart, mostrando como o cabelo cresceu com o uso dessa linha (https://www.youtube.com/watch?v=9X7XyVaOcDc), fiquei curiosa. Mas esqueci um detalhe: eu sou uma pessoa naturalmente ansiosa, o que quer dizer que eu gosto de resultados imediatos. Só que essa linha precisa de constância e tempo para fazer sua mágica. Outro problema que eu tive é que na época eu fiquei com um pouco de resistência para testar a loção, pois morro de medo de botar produtos no meu couro cabeludo, que tem uma tendência a acumular resíduos, então acabei não usando.

Mesmo assim, esses 40 dias foram suficientes para me fazer cair de amores por um produto específico: o finalizador. Ele, que tem protetor solar e termoproteção, ganhou meu coração na secagem natural, o que fez com que virasse meu queridinho para dias de praia e piscina.

Passei boa parte de 2017 sem tocar em nada da linha Força com Pimenta até que, em dezembro do ano passado, eu fiz uma besteira: cortei franja. Sabe aqueles dias que você está se sentindo mais ousada do que o normal e toma uma atitude impulsiva? Foi isso. O problema é que no dia seguinte eu já tinha me arrependido amargamente! Foi aí que pensei: por que não testar a linha Força com Pimenta novamente? Agora com o intuito de fazer essa franja crescer (mas se o resto do cabelo quisesse crescer também, não reclamaria hehehe).

Em janeiro comecei minha jornada rumo ao desfranjamento e me comprometi a usar todos os produtos da linha, inclusive a loção, que foi uma grata surpresa. Ela não pesou no couro, não acumulou resíduos e ainda deu uma sensação de refrescância supergostosa toda vez que eu usava (por volta de 3x na semana).

Os produtos de Força com Pimenta têm eficácia comprovada de crescimento e possui entre seus ativos a pimenta (que estimula e nutre – mas não arde, viu? rs) e microqueratina (repara e nutre). Mas a estrela da linha é o Bioxyl, uma tecnologia exclusiva da Bio Extratus que aumenta a vascularização da derme que, por sua vez, reduz a queda e melhora o crescimento, além de aumentar a densidade dos fios.

Bem, não precisa ir muito longe para ver que esse crescimento realmente acontece, os antes e depois que a Bio Extratus posta são sempre impressionantes. E hoje vim mostrar que, sim, o crescimento é real!

janeiro 2018 – abril 2018

 

Como meu cabelo é ondulado, o crescimento em si não é tão aparente, mas o que eu mais amei foi ver como meu cabelo ficou mais volumoso e cheio, e isso é bem nítido nas duas imagens. Ah, e definitivamente agora eu não sou mais uma pessoa com franjas, finalmente! rs

dezembro 2017 – abril 2018

 

Depois desses 3 meses de uso direto, resolvi dar uma paradinha e voltar para a minha linha eterna do coração, Cachos Perfeitos. Como eu gosto de dizer, é a linha que sempre dá um reset nos meus fios. Mas posso contar a maior surpresa? Vou continuar fazendo uso da loção, mesmo com outras linhas! Quando eu souber como ela se comporta mesmo sendo usada com outros produtos, eu venho aqui contar!

.

Por um mundo com menos competição feminina

Por muito tempo eu descobri que, mesmo sendo uma pessoa com muito mais amigas do que amigos, a competição feminina era minha companheira inseparável. Aquela que estava ali, do meu lado, sussurrando sempre no meu ouvido como outras mulheres eram melhores que eu.

 

Na começo da adolescência eu me intimidava com a menina que tinha o cabelo mais bonito, que era mais magra, que era mais popular. “Como alguém vai olhar para mim se eu não sou ela?” “Como deve ser a vida dela?” Fui descobrir muito tempo depois que essa mesma menina popular que me intimidava também se sentia insegura ao olhar pra mim por outros motivos. Motivos que eu não via como feitos ou qualidades na época.

 

Do meio para o final adolescência, quando os namorados, os rolos e as paqueras (ainda existe esse nome? É crush que fala agora, né?) começaram a surgir, a competição feminina me apresentou para a sua prima-irmã, a rivalidade feminina, que alimentou todo tipo de ciúme e insegurança. A menina que estava falando com o menino que eu estava de olho com certeza era a maior mau caráter. E a que ficou com o namorado da minha melhor amiga – mesmo não sabendo que ele estava namorando? Vagabunda, claro, tem que esfregar a cara dela no chão (olha o nível de maturidade desse conselho).

 

Foi preciso eu cair na cilada de um dos meninos mais bonitos da série, junto a mais 3 outras meninas, para entender as variadas nuances dessa competição e o tamanho da roubada que seria se eu entrasse nessa. Foi preciso eu arrumar um namorado com fama de pegador e que nunca tinha namorado sério e receber mensagem de ex-ficante (linda, por sinal) me parabenizando pelo namoro, mas contando como foi incrível transar com ele, para eu entender que nem sempre existe um lado mais frágil nessa balança. Todas as mulheres caem nas garras da competição.

 

Aí fui para a faculdade, onde a pressão de mostrar-me talentosa, criativa e dona de uma futura carreira brilhante pegou feio, me deixou completamente insegura e justamente aí eu cedi ao papo da competição. Passei 4 anos da minha vida achando meus trabalhos uma droga se comparado com o de outras pessoas, ou melhor, mulheres. Passei esses anos todos querendo ser tão estilosa como a menina que fazia aula de ilustração comigo, ou ter um armário tão legal quanto da garota que fazia aula de história da moda. Poxa, por que eu não era talentosa como aquela menina que fez a melhor apresentação da aula de Gráfica? Demorou anos para eu entender que gastei uma energia preciosa da minha faculdade me comparando e competindo com outras mulheres, e era uma competição soltária, que vinha apenas do meu lado. Me prometi que nunca mais faria isso.

 

Mas fiz. Mundo de blog pode ser um caminho traiçoeiro. Ainda mais mundo de blogs de moda. Era sempre uma história de “por que ela conseguiu pegar esse trabalho e eu não?” “Por que ela está fazendo sucesso e eu não, se fazemos o mesmo conteúdo?” “Será que é porque ela é magra e eu não?” “Será que é porque aquela blogueira ali é mais bonita?” Estar em um mercado competitivo com tantas mulheres abriu espaço para a competição feminina aparecer novamente na minha vida. Mas meu mundo se abriu quando eu entendi que tem espaço para todas, que o padrão até existe e é cruel, mas ele não é importante se seu conteúdo conectar-se com suas leitoras.

 

Era um foco no lugar errado novamente e, depois que criamos o #PapoSobreAutoestima, comecei a ver tantas outras mulheres compartilhando suas histórias e percebi que não dá mais para focar no lugar errado.

 

Desde então, tem sido maravilhoso enxergá-las de sua forma mais genuína. Não importa se são mais bonitas, mais talentosas, mais inteligentes, mais articuladas, mais famosas. Todas nós temos nossas particularidades, nossas inseguranças, nossas histórias, nossos medos e nossas superações. E, no fim das contas, tantas coisas são parecidas, que fico me perguntando por que e pra que focamos nas nossas diferenças, justamente naquilo que faz cada uma de nós ser especial e única? Chega.

 

A gente não precisa disso, eu não preciso disso e certamente você também não.

Um ano com muito #PicnicDoPapo e Bio Extratus! <3

2017 foi um divisor de águas nas nossas vidas. E uma das maiores mudanças que tivemos foi trazer a relação que a gente tinha com nossas leitoras no online para o offline.

Isso era um projeto que já estava nos nossos planos há algum tempo, mas sempre achávamos que faltava alguma coisa para realizarmos. Depois de 7 anos no mercado, a necessidade de se reinventar falou mais alto e mudamos tudo: site, posicionamento do blog e essa vontade de ir além. Estávamos há muito tempo fazendo a mesma coisa, então a hora de tentar novidades era agora! Por que não tirar logo do papel essa vontade de nos aproximarmos das nossas leitoras?

Nosso grupo no Facebook – o Papo sobre Autoestima – foi um fator encorajador para darmos esse pulo. E foi assim que surgiu a primeira pool party, em fevereiro de 2017. A Bio Extratus, claro, estava lá. Pudemos mostrar para as convidadas da festa os motivos de amarmos as escovas Michel Mercier (a Pack&Go foi um sucesso na beira da piscina) e por que os finalizadores com filtro solar e proteção térmica eram os melhores companheiros para o verão. Só que a gente queria mais.

Festa é muito legal e a gente ama, mas o projeto #paposobreautoestima é tão mais que uma comemoração que não demorou muito para que os nossos objetivos ficassem maiores a ponto de querermos arrumar uma outra forma de trazer as discussões do grupo para a vida real. E foi assim que surgiu o #picnicdopapo.

Começamos entre Rio e SP e não demorou muito para surgirem pedidos de outros lugares. Ao todo foram 8, de Curitiba a Londres, passando por Salvador, BH e Nova York. E cada um foi muito especial, com muitas histórias para contar, muita troca e amor pra dividir. Uma versão “ao vivo” do que vivenciamos online todo santo dia. A gente já sabia o poder do #paposobreautoestima, mas vê-lo acontecendo diante de nossos olhos, em uma roda que reúne tantas mulheres, sempre vai ser emocionante. É muito bacana ver como a maioria entendeu nosso objetivo e se dispôs a tentar enxergar as situações de forma mais amorosa e acolhedora.

Mas por que eu tô falando tudo isso? Porque em 2018 nossos planos estão mais ambiciosos! Se ano passado a Bio Extratus conseguiu abraçar alguns dos piqueniques, este ano o projeto é que estejamos juntas em todos! E para a gente, isso não poderia fazer mais sentido, afinal, é sempre um prazer gigante poder apresentar a marca que mais levanta a nossa autoestima (pessoal e profissional) para todas as nossas leitoras, seguidoras e participantes do projeto!

Salvador, com um piquenique que bateu recorde de participantes (60!) só foi possível por causa da distribuidora local e isso nos empolgou demais para continuar levando nosso #paposobreautoestima para mais e mais lugares com a Bio Extratus!

 

E aí? Estão empolgadas para começarem este ano com a gente?

Cabelo novo, percepção nova

Lembram que eu falei semana passada que eu ia mudar? Pois bem, mudei! Finalmente consegui tirar um tempo no sábado – ou melhor, consegui ajustar a agenda do marido com a do salão, afinal, precisava que ele ficasse com o Arthur – para fazer meu cabelo.

Enquanto estava no caminho, com a linha completa de coloração que a Bio Extratus me enviou para experimentar, cruzei com uma frase que até postei no insta onde dizia: “não é mudando que você se ama, é se amando que você muda”. E isso nunca fez tanto sentido.

 

Porque talvez vocês não saibam, mas eu já tive o cabelo com uma cor parecida com essa. Eu estava com 19 anos, vinha do ano anterior enlouquecida com o vestibular, engordei, não tinha mais roupa, não sabia quem eu era e resolvi pintar o cabelo porque estava insatisfeita, sem me reconhecer. Queria me achar e depositei todas as minhas esperanças na mudança capilar.

 

Só que isso não aconteceu. Por isso mesmo, acho que mudar não adiantou muita coisa naquela época. Depositei o pouco da minha autoestima nisso, mas tinha tanta coisa desajustada naquele contexto que a mudança capilar foi efetiva até certo ponto.

 

Só que, agora, meu objetivo foi outro: eu quis mudar porque eu estava muito segura de mim. Eu queria mudar porque minha relação com o meu cabelo está em sua melhor fase – então, por que não experimentar algo novo?

Na verdade, a referência que eu tinha era algo muito mais claro do que está (eu usei a tintura 9.4, louro muito claro acobreado). Só que, chegando ao salão, o Rogério – o profissional que mexe no meu cabelo desde que eu cheguei aqui em NY – achou melhor não chegar nessa cor logo de uma vez.

 

Eu estava sem fazer luzes desde dezembro de 2016, o que quer dizer que tinha muito cabelo virgem na jogada, castanho escuro ainda por cima. Para chegar naquele tom eu teria que descolorir e ele achou que seria um procedimento bem agressivo para o estado que meus fios se encontravam. Também demoraria mais e gastaria um tempo que eu não teria naquele dia. Preferi seguir com a opinião do especialista e aí a gente vai clareando com o tempo. Se bobear, é até bom para eu ir me acostumando com as tonalidades ruivas. 🙂

 

Só sei que, quando virei para o espelho, lá estava a Carla com uma cor de cabelo superparecida com a da Carla de 19 anos. Por um segundo lembrei de todo aquele período de insegurança, mas quando olhei de novo, aquela Carla realmente não estava ali.

 

E quanto ao cabelo em si? Para começar, eu fiquei espantada que a cor conseguiu chegar nesse tom logo de primeira. Ainda não é a cor final e ainda está mais escuro do que eu tinha planejado, mas levando em conta que não usamos descolorante, eu achei muito bom. Mas o principal é: eu tô apaixonada pelo toque! O tutano na fórmula, exclusividade da Bio Extratus e diferencial no mercado, ajuda a hidratar enquanto colore e isso realmente acontece. Lavei dois dias depois de pintar e, quando sequei (tá frio aqui, não tenho conseguido deixá-lo secando naturalmente), ele estava supersedoso, os fios nada embaraçados. O brilho também é notável. Confesso que fiquei pensando em não descolorir, afinal, por mais que eu cuide muito, é normal que resseque demais, coisa que a tinta claramente não fez. Veremos.

 

Aliás, percebi nessa semana que a tinta também está ajudando demais a controlar a oleosidade. Nesse período em que eu estava com a raiz virgem bem comprida, eu cortei um dobrado com ele, porque ela voltou a ficar superoleosa em tempo recorde. A linha Pós-Química de abacate com jojoba – que eu amo – é tão hidratante que a minha raiz não aguentou. A mesma coisa aconteceu com a linha Pós-Coloração, que é ainda mais hidratante e não funcionou tão bem (comecei a usar ela novamente essa semana, vamos ver como ela vai se comportar em outras condições capilares). Tem sido um alívio poder voltar a lavar meu cabelo dia sim, dia não.

Eu estou supersatisfeita com o resultado e feliz por ter escolhido uma cor tão diferente do que eu tenho feito há tanto tempo. Também fiquei chocada com o sucesso que fez no instagram, acho que não lembro de um post meu ter tido tantos likes, tampouco lembro de ter recebido tantas mensagens diretas. Não que a popularidade nas redes sociais influencie minha opinião, mas não nego que é uma injeção de autoestima receber tanta mensagem positiva. 🙂

 

Quem estiver pensando em mudar, sugiro conhecer a linha Bio Extratus Color e conversar com o profissional que cuida dos seus cabelos para, juntos, definirem a melhor ideia para vocês. Juro que não é só porque eles são patrocinadores do blog, mas o resultado foi muito melhor do que eu tinha imaginado, inclusive com a minha percepção. O cabelo novo não foi feito para suprir nenhum amor próprio falho, mas estou amando me enxergar com novos olhos.

 

Me reapaixonei pelo Cristal Líquido da linha Nutri Cachos

Outro dia estava arrumando meu armário do banheiro e encontrei um produto da Bio Extratus que há muito tempo eu não usava: o Cristal Líquido da linha Nutri Cachos. Provavelmente ele ficou escondido por uns meses porque levei para alguma viagem e esqueci de tirá-lo da necessaire, mas fiquei feliz de tê-lo reencontrado. Imediatamente voltei a usar e lembrei porquê eu curtia tanto esse produtinho cujo nome cumpre o que promete.

Ele é um óleo ideal para passar no cabelo úmido ou seco, e é feito com silicones especiais para diminuir o frizz, o volume e garantir brilho intenso. Eu, particularmente, prefiro usar nos cabelos secos, porque é quando eu consigo ver quais partes estão mais necessitadas. Também prefiro usá-lo nas pontas e sempre amassando os fios para cima, porque volume é algo que não faço a mínima questão de perder.

O Cristal Líquido age nos cabelos criando um filme sobre a fibra capilar, de forma que controla o frizz e o volume, mas para mim, o melhor benefício desse filme é o brilho sem precedentes. Eu já experimentei muitos produtos da Bio Extratus, inclusive meu leave in preferido ainda é o de Óleo de Argan e Cártamo, mas não tem comparação em termos de brilho, porque o cristal líquido realmente é imbatível.

 

SEM CRISTAL LÍQUIDO                                            COM CRISTAL LÍQUIDO

E o melhor? Tem filtro solar na composição. Ou seja, além de deixar os fios lindos e brilhantes, ainda protege!