10 passos para ter cabelos saudáveis no frio

O sonho de consumo de toda mulher do mundo é aquele cabelo forte, saudável, brilhante e sem quebra. Desfilar com os fios incríveis no inverno é uma tarefa que parece difícil mas que pode se tornar simples com alguns passos básicos na sua rotina de beleza. Para que seu cabelo não sofra com o vento e com a diminuição da umidade do ar, venho contar os 10 passos para ter cabelos saudáveis no frio.

1- Tenha uma alimentação equilibrada. O processo começa de dentro para fora, procure se alimentar corretamente, incluindo nas refeições algumas hortaliças e frutas que fazem bem para os fios (e para o resto do corpo). A falta de algumas vitaminas podem acarretar em vários prejuízos para o fio e para o couro cabeludo. O cabelo é composto principalmente de proteínas. É importante ingerir alimentos desse grupo (carne, ovos, queijos) para deixar os fios mais fortes e nada quebradiços.

2-  Observe sempre se o produto usado é o ideal para seu tipo de cabelo. Escolha produtos sem sal, que não agridem o couro cabeludo e não deixam os fios sem brilho. Se necessário, passe por um especialista que te indique o melhor tipo de produto a ser usado. Uma boa dica é visitar o site da Bio Extratus e conferir as propriedades de cada produto, assim você saberá qual o perfeito para você.

3- Lave e hidrate o cabelo pelo menos uma vez por semana. Tenha sempre um bom shampoo anti resíduos pois poeira, oleosidade e sujeira acumulada impedem o crescimento dos fios. Lave bem. Em seguida, aplique um shampoo mais leitoso, que vai hidratar o couro cabeludo sem deixar oleoso. Aplique a máscara de sua preferência, permaneça com ela o tempo indicado e enxágue bem.

4- Quando usar secador, chapinha e babyliss, passe um finalizador termo protetor bem potente nos fios. Assim eles não ficarão opacos, quebradiços e evitará qualquer risco de “torrar” o cabelo. Meu favorito é o finalizador da linha Spécialiste Resgate, que ajuda a reconstruir os fios danificados.

5- Procure lavar sempre com água fria ou morna. A água quente abre as cutículas dos cabelos e os deixam quebradiços e ressecados.

6- Use uma boa escova para desembaraçar os cabelos ainda úmidos, evitando a quebra do cabelo. Escovas e pentes de convencionais acabam danificando, à longo prazo, a estrutura dos fios. A escova Michel Mercier, por exemplo, é desenvolvida e pensada especialmente para não quebrar os fios. Vale a pena investir.

7- Evite produtos com muita química. Hoje em dia há vários shampoos no mercado que contém produtos químicos encontrados até em detergentes e que agridem o couro cabeludo. Dê uma olhada nos ingredientes e descarte os produtos que não valorizam seus fios. É só dar um google e ver o que realmente faz bem para o cabelo e o que pode ser descartado.

8- Corte o cabelo com frequência. Procure fazer uma visita ao cabeleireiro de 3 em 3 meses para tirar as pontinhas. Assim eles cresceram bem fortes e evita que seja necessário cortar muito a longo prazo. Até porque ninguém merece pontas duplas.

9- Evite prender o cabelo com elásticos ou prendedores de metal. Eles podem enferrujar e/ou quebrar os fios ao soltar. Hoje em dia os modelos revestidos por plástico, como aqueles que parecem fio de telefone, são ótimos, super baratinhos e não marcam os fios.

10- Nunca durma com o cabelo molhado. O contato com o travesseiro faz com que o couro cabeludo não respire durante a noite, deixando os cabelos marcados e opacos. A longo prazo eles se quebram e formam as temidas pontas duplas. Aproveite a parte da noite para usar aquele óleo super potente nas pontas e deixa-lo agindo durante o sono.

E ai, gostaram desses 10 passos para ter cabelos saudáveis? Comenta com a gente qual foi seu favorito!

 

Meus cabelos e eu!

Quando eu era pequena meus cabelos eram elogiados por todas as pessoas. Os cachos, que quando eu era bem criança eram grandes, foram soltando conforme e eu crescia e quando eu tinha uns 5, 6 anos eles ganharam ondas abertas e bem bonitas. E eu amava meus cabelos…até fazer uns 8.


 

No colégio, as meninas consideradas as mais bonitas da minha série todas tinham cabelos lisos e franjas. Nas Spice Girls lá estava Mel B representando as crespas, todas as outras tinham cabelos lisos. Friends, todas com cabelos lisos. Blossom, cabelos lisos. Sabrina e depois Clarissa, cabelos lisos, loiros e franjas, achava maravilhoso e queria igual. Punky, franja cheia e cabelos lisos – achava lindo quando fazia chiquinhas e ficava igual. Mais tarde, quando eu tinha 11 anos, chegaram as Chiquititas e comecei a ver meninas com cabelos parecidos com o meu (oi Fran, oi Tati), mas vocês acham que eu gostava do cabelo delas? Não!

A diferença é que naquela época eu não tinha a mínima consciência do que deveria fazer para arrumar os cabelos da forma que eu gostaria que eles ficassem, e isso causou uma série de frustrações capilares. Pedi para cortar franja crente que conseguiria copiar as atrizes que eu admirava, saía do salão com aquela franja maravilhosa que durava até o primeiro banho. Como eu não usava secador, a franja secava aleatoriamente, quase sempre fazendo o sentido contrário de uma franja convencional, isso é, a “voltinha” da franja era voltada para fora, e não para dentro.

E lá no alto dos meus 11 anos que eu pedi para fazer o corte da Posh Spice porque eu tinha uma boneca da Victoria e achava o cabelo dela lindo? Sim, eu fui no salão levando a boneca como referência, e a pessoa cortou meu cabelo reto e sem graça, na altura do queixo. Com a escova ficou lindo, mas vocês imaginam o que aconteceu quando meu cabelo secou naturalmente, né? Muitos meses traumáticos sem saber como cuidar do cabelo até ele crescer. Até hoje eu cruzo com ela e tenho arrepios lembrando dia que eu descobri que não tinha como copiar a Posh Spice. Pelo menos eu não pedi para copiar a Geri, imaginem se alguém aceitasse pintar os cabelos de uma pré adolescente metade loiro metade vermelho?

Engraçado que quando eu fiz 15 anos, mais ou menos, eu descobri que odiava meu cabelo escovado porque ele ficava lambido. E foi aí que eu comecei a fazer as pazes com meus fios. Passei a respeitá-los, a descobrir modos de secar e cortar que valorizaram. Comecei a me interessar por produtos (né, Bio Extratus! 🙂 ) E tive a certeza que eles tinham um peso muito importante na minha autoestima.

Hoje eu acho incrível saber que posso fazer o que eu quiser com eles. Posso secar com escova e deixá-los mais lisos, posso fazer um babyliss e deixá-los com um movimento interessante, posso secar com os dedos e deixá-los mais naturais.

Meu último passo nessa minha relação com minhas madeixas é deixar que elas sequem naturalmente mais vezes. Hoje em dia eu só faço isso quando sei que não vou sair, pois ainda tenho medo de como os fios vão secar, se eles vão ficar mais ou menos rebeldes, mas quem disse que volume ou formas mais indefinidas são feias? É isso que estou tentando botar na minha cabeça e, quem sabe, voltar a ser aquela criança de 6 anos que achava seus cabelos ondulados de qualquer jeito poderosos, diferentes e maravilhosos?

Finalizadores Bio Extratus para diversos penteados

 

Meu primeiro contato com um dos finalizadores da Bio Extratus para penteados foi no ballet, há uns 10 anos atrás, onde quem tinha o coque mais perfeito, se “livrava” de uma aula de abertura no mês, e quem era meu melhor amigo nessa missão? O TANOGEL RADICAL, o vermelho! Sim, ele me ajudava a sofrer uma vez a menos por mês haha.

No mês de fevereiro tive a oportunidade de ensinar dois penteados práticos com ele e o Sillitan, também da linha Tutano (https://www.youtube.com/watch?v=_mzY7UWQ2QQ&t=13s) que deu muito certo, porque que mulher hoje em dia não gosta de praticidade né? Pois bem, não íamos ficar de fora dessa, mas agora vamos conhecer um pouco melhor esses produtos.

Sobre o TANOGEL, existem duas opções, o tradicional e o RADICAL, que é o que eu usava no coque para o ballet;Os dois tem basicamente a mesma função, que é modelar o cabelo de forma que ele fique firme, com um aspecto mais hidratado e além de tudo, o que o diferencia de outro gel é que ele é um gel creme, que não deixa um aspecto rígido nos fios, como se fossem ressecados. O tradicional é mais leve, e tem um pouco menos de fixação, que é mais indicado para cabelos lisos, ou ralos.

Já o TANOGEL RADICAL, tem tudo que o tradicional, só que com um poder de fixação maior, mais indicado para nós cacheadas e crespas, que o cabelo é mais resistente, e muitas vezes não ficam modelados como queremos em certos penteados.

Outro produto que também usei no vídeo foi a Pomada Sillitan, que não serve apenas para modelar lindos penteados, mas que também tem um truque que aprendi esses dias e não posso deixar de falar para vocês.

No caso desse produto, o que buscamos quando o usamos, é aquele resultado de “meu cabelo fica assim naturalmente sem produto nenhum”, sabe? Em que há uma fixação, mas não fica evidente. Ele protege o cabelo do calor, ou seja, se você quer uma escova modelada ou fazer aquele babyliss para durar a noite inteira, essa é a opção correta. Mas Nath, e aquele truque que você falou pra gente? Pois bem! Esses dias questionei meu cabeleireiro como cuidaria do meu cabelo na viagem de lua de mel, que terá muito mar e piscina, e ele me deu uma LUZ, óbvia, mas que nunca tinha pensado: MUITA POMADA NOS FIOS! Porque? Porque agua e óleo não se misturam! O cabelo vai ficar intacto, protegido e além de tudo sendo hidratado, porque o Sillitan também hidrata.

E é isso, dica de como se arrumar com praticidade, conhecer novos produtos e como usá-los, são sempre bem-vindos não é mesmo? Espero que tenham gostado das dicas e usem muito!

 

A liberdade de entrar na água com o cabelo protegido: creme de silicone com tutano

Eu uso Bio Extratus há pelo menos uns 3 anos e nesse tempo sempre ouvi falar na famosa linha de tutano, aquela linha que vende, que tem fãs de mais de década e que supre a necessidade de muitos tipos de cabelos que precisam de uma boa hidratação, dos cacheados aos de ponta seca.

O que eu não sabia era o que o creme de tutano tinha mais a oferecer, já que ele vai além de ser parte de uma linha que muitas mulheres de cabelo cacheados amam. Ele funciona muito bem como aquele produto que você não pode deixar de levar para a praia ou piscina. Eu pude comprovar isso muito bem na minha última viagem, onde fui à piscina todo dia – e mergulhei, o que é raro já que morro de medo do cloro estragar todo o cuidado que tenho com meus fios.

Ele protege o fio da água salgada, do cloro e principalmente do sol, por conter filtro solar. Além de ser usado antes para a proteção ele também funciona perfeitamente depois que a gente sai da água, desembaraçando e deixando o cabelo secar naturalmente mais bonito, com menos frizz e com um visual mais hidratado. Além de continuar a proteger o cabelo se você vai passar o dia no sol.

Aproveitei para usar como finalizador também e assim o produto foi uma bela surpresa pra mim, meu cabelo secou mais encorpado, de uma forma bonita e sem pesar. Para contextualizar, eu tenho química no cabelo, ele tem a raiz mais para oleosa e as pontas mais secas, dito isso ele funcionou muito bem pra mim. Na verdade ele é indicado para todos os tipos de cabelo, o que torna o produto muito versátil. Basta uma das amigas ter na bolsa que todas poderão usar.

Como finalizador os principais benefícios são: deixar os cabelos mais saudáveis, mais macios e brilhantes. Por que não dizer mais bonitos, né? Tudo isso deixando o cabelo mais protegido dos agentes externos como poluição, poeira, vento e sol. Então por mais que ele seja maravilhoso pra bolsa de praia, o uso diário dele é mais do que indicado também.

Confesso que fiquei curiosa pra testar esse creme na rotina, porque nesses dias de sol, calor e piscina ele foi mais do que aprovado por mim.

 

Ah! Acho importante contar que a fórmula continua igual, com a mesma eficiência para desembaraçar, proteger os fios e revitalizar os cabelos. No entanto a embalagem está renovada, no mesmo formato, mas com rótulo diferente. Ele tem novas cores, novas imagens e novas informações, que explicam melhor os atributos maravilhosos desse produto, que tem seus motivos pra ser o queridinho de tanta gente.

Beijos,

Joana!

A história do meu cabelo e a sua importância na minha autoestima

Quando eu era criança eu não me sentia nada representada por ser branca e cacheada. Na minha turma só tinha uma menina cacheada além de mim, ela tinha cachos mais definidos e bem cuidados. Nos anos 80 não me lembro de se falar nada sobre representatividade, mas olhando as coisas como são hoje eu noto que eu sentia falta de algumas coisas.

“Desde que eu tinha vontade própria quase não teve foto da infância de cabelo solto”.

Sentia falta de informação sobre como cuidar dos cachos como existe hoje no youtube, sentia falta da diversidade e qualidade de produtos que existem hoje e sentia falta de ver por todo lugar mulheres lindas e cacheadas. Eu não me sentia representada no meu ambiente, nas revistas, no mundo que me cercava.

Me lembro muito de pedir pra minha mãe – que era totalmente contra eu alisar os fios – esticar todo meu cabelo, sem nenhuma onda sequer para fazer o perfeito rabo de cavalo. Eu parecia uma criança desesperada por um rabo de cavalo perfeito, hoje eu vejo que devia ser algo muito forte dentro de mim para tentar pertencer, para tentar me identificar com quem estava à minha volta.

Até que aos 19 eu fiz o que minha mãe me proibia, alisei. Daquele jeito sem forma, esticado e nada bonito, mas pela primeira vez eu me senti pertencendo. Engraçado como escrever isso hoje chega a dar uma tristeza no coração, afinal, eu não conseguia ver o quanto meu cabelo era naturalmente bonito. Eu não conseguia me identificar com o cabelo com o qual eu nasci.

“Quando eu alisei o cabelo eu só queria tirar fotos de cabelo solto, ainda que ele ficasse muito liso em alguns momentos, hoje não acho bonito, na época eu adorava”.

Os anos se passaram, a moda do liso foi dando espaço para os cabelos menos quimicamente modificados e eu comecei a ver muitas mulheres com cabelos cacheados, ondulados e crespos por todos os lugares. Meu olhar ampliou, meu coração preencheu e eu finalmente comecei a acreditar que vivemos numa era onde uma mulher pode ser o que ela quiser, ou melhor, ter o cabelo que ela quiser.

Eu venho modificando meu cabelo quimicamente há mais de 10 anos, mas se no início eu queria ele esticado para me sentir pertencendo, nos últimos anos eu fui mudando. Fui deixando a paranoia e a neurose da perfeição de lado. Fui esquecendo do perrengue da raiz e passei a fazer modificações mais suaves, menos agressivas e que deixam meu cabelo cheio, com volume e inclusive cacheado nas pontas quando eu finalizo para tal.

É curioso porque minha história não tem o final feliz politicamente correto, que diria pra vocês que eu fiz a transição capilar e sou a cacheada mais feliz do mundo. Eu considero que arrumei um final feliz, só um pouquinho diferente já que eu deixo ele cada vez menos liso, cada vez mais cheio e cada vez mais bagunçado, de um jeito que combina com a minha rotina, combina comigo e que me faz sentir linda.

Se na minha infância o primeiro motivo de eu não ver beleza em mim foi meu cabelo, hoje aos 30 eu diria que a primeira coisa que eu intitularia como bonita no meu corpo é o meu cabelo. Ainda com um processo químico – que eu não defendo e nem demonizo – mas do meu jeitinho, do jeito que eu acho lindo.

Bem tratado no salão por profissionais que entendem de fios e bem tratado em casa, com os produtos e linhas de cabelo pós química da Bio Extratus.

Quando eu fui deixando o alisamento muito abrasivo de lado fui podendo começar a mexer na cor e hoje não poderia estar mais satisfeita com cada detalhe dos meus fios.

“Eu nunca gostei tanto do meu cabelo quanto hoje, eu cuido, trato e uso como eu quiser, sempre amando o volume e o infinito de possibilidades que ele me oferece”.

Pode ser que um dia eu anime de fazer a transição e me dê a oportunidade de me enxergar com o meu cabelo conforme ele veio ao mundo? Sim, é muito possível e eu mesma acho racionalmente que eu deveria. No entanto também acho que posso ter o cabelo que eu desejo ter, a tecnologia e os produtos estão ai para investirmos em cuidados que permitam essa versatilidade.

Eu sou mulher, sou feminista e acredito que posso ser o que quiser. Me sinto muito bem com meus cabelos hoje, eles me ajudam a colocar pra fora toda a beleza que acredito que vem de dentro e me sinto muito segura por estar com eles de uma forma que eu acho tão bonita e única, com raiz por fazer ou não, com ele seco no secador ou naturalmente, de babyliss perfeito ou bagunçado.

Nunca gostei tanto dos meus cabelos, nunca gostei tanto de mim de uma forma geral e nunca me senti tão naturalmente bonita.