Naturalmente Bonita

Crise dos trinta

17.ago.2018

Acho incrível a mania que muitas mulheres têm – me incluo nessa – de não estarem satisfeitas com a idade. Quando adolescente, queremos fazer logo 18 anos. Depois que os 18 passam e as responsabilidades aumentam, lá vem a vontade de voltar a ser criança. Nisso, o tempo que demorava para passar voa e, em um piscar de olhos, já nos vemos beeem distantes dos tão sonhados 18. Em alguns momentos, queria que os trinta chegassem logo; porque na minha cabeça, com trinta anos a vida estaria com tudo encaminhado. Como o filme De Repente Trinta diz: “Trinta, a idade do sucesso” (sim, eu AMO esse filme e resolvi citar por aqui. hahaha).

Eis que sento na minha cadeira e me toco que em seis meses completarei trinta anos de idade. Muitas coisas passaram pela cabeça, mas a primeira foi: o que eu fiz da minha vida?

A pergunta tem o lado real: onde cheguei com meus quase trinta anos; e o lado da sociedade: “será que ela é bem sucedida com trinta anos?”. No dia que completei 29, pensei no que a sociedade tanto nos cobra. Comecei a me culpar e me comparar com os outros… Achei inúmeros “defeitos” e “problemas” que interferem nesta plenitude que pintam a cerca dos trinta anos. Guardei o assunto e não pensei mais.

Agora, quis escrever sobre, porque mudei alguns pensamentos nesses seis meses. Parei de olhar o lado negativo e vi o quanto eu já fiz, conquistei e concluí com os meus quase trinta. Resolvi voltar o olhar para onde ainda quero chegar e quais os meus planos que ainda quero realizar. Algo que me deixou MUITO feliz e até espantada foi olhar o que eu fiz e nunca pensei que faria. NOSSA! São tantos acontecimentos maravilhosos, que passei a ter um olhar mais amoroso sobre os meus trinta anos.

Por favor, não se enganem achando que eu escrevo por medo da idade. Sou bem resolvida com isso e minha dermatologista é uma das minhas melhores amigas hahahaha. Todo o meu devaneio sobre os trinta se pautou mais no que eu via na televisão, revistas ou internet. Percebi que a crise pode sim acontecer, mas é algo de você com você mesma. Aquela conversa que você tem olhando no espelho, ou mesmo quando está se vestindo ou praticando uma atividade sozinha. O fato de me comparar já quebra esse pensamento e mostra como nos atemos ao que nos é apresentado como forma de única verdade e situação possível.

Sobre os trinta ser a idade do sucesso? Ah! Isso eu concordo! Passamos por tantas inseguranças, dúvidas, medos em todos os sentidos… Sinto que, aos trinta, as mulheres que conheço se mostraram mais seguras e firmes. As prioridades mudaram e a sua felicidade está em primeiro lugar. O trabalho, o coração, as amizades… tudo ganha um novo olhar! E como é gostoso se descobrir!

Eu vou aproveitar esses últimos seis meses na casa dos vinte e me preparar lindamente para os trinta. Porque quando uma fase se acaba, chega uma nova etapa (tá, foi meio óbvio isso! hahaha). Mas por que ficar triste pelo fim se eu posso sorrir com um começo?

.

Beijos

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas ajudar as mulheres a se sentirem lindas.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Ela já se acostumou com mudanças

27.jul.2018

Muitas pessoas devem pensar que eu não tenho mais medo de mudanças nos fios. Visto que permaneço no máximo dois meses com determinada cor e logo depois parto para a próxima aventura. Mas desta vez foi diferente.

Como podem ver, estou com os fios trançados. Sim! Opção vista como simples para alguns, mas que eu balancei no início. Como tenho cabelo crespo, estou acostumada com o volume, com ele emoldurando o meu rosto. Já sei o que esperar quando olho no espelho. Agora, trança muda completamente o visual! O rosto fica mais aparente e você não lida mais com volume.

Engraçado que, quando eu alisava os fios, prezava sempre por menos volume. Quanto menos, melhor. Depois da minha transição, de entender como meu cabelo funciona e reage, conhecer diversos produtos, eu passei a amar! Tanto, que a ideia de não ter mais volume me soava completamente esquisita. COMO ASSIM MEU VOLUME VAI EMBORA? Nesse momento, QUASE foi embora a minha coragem para essa mudança. As cores? Fichinha perto de tranças que demorariam sete horas! E se eu não gostar do resultado final? E se eu me achar horríveeeeel?

Okay, respirei fundo e fui. Primeiro, tirar o violeta e depois pintar de cinza, tudo com Bio Extratus Color. Depois de dois dias, lavar, secar e trançar sem nenhum produto nos fios. Durante todo o processo eu não olhei no espelho. Queria deixar a surpresa para o final, sou assim quando pinto os fios. Tranças feitas… cadê o espelho?

COMO CABELO MEXE COM A AUTOESTIMA DA MULHER! Me olhei e achei estranho, me senti com cara de criança e na dúvida se estava bom ou ruim. Logo eu? Logo eu que não tenho medo de fazer nada nos fios? Pelo menos até aquele dia…

Colocando a mão, olhando mais atentamente, prestando atenção nos detalhes, testando penteados. Foi assim que eu vi na imagem refletida uma nova Maraisa. Sim, sei que é “só cabelo”, entretanto, mexeu demais comigo.

Primeiro porque eu só mudava a cor, já estava na minha zona de conforto; segundo porque fiz algo que nunca tentei antes; e terceiro porque me senti LINDA DEMAIS depois que cheguei em casa! Que maravilha é mudar o visual e perceber características que antes você nem sabia que estavam ali. Mudar e descobrir outras facetas da mesma mulher. Mudar e saber que você pode ser o que quiser e quando quiser.

Ou seja: toda mudança a princípio nos assusta. Mas ela pode ser o que precisávamos para encarar a vida de outra forma.

.

Ah! Aqui foi o cabelo, mas na vida existem mudanças necessárias diariamente. Resta saber como escolhemos encará-las.

.

Beijos
Mah

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas ajudar as mulheres a se sentirem lindas.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Usando pela primeira vez: linha Antiqueda – Jaborandi

1.jun.2018

Quando comecei a usar a linha Antiqueda-Jaborandi da Bio Extratus, fiquei pensando: “Como nunca usei essa linha antes?” Sério! Desde o momento que eu passei a escrever aqui no Naturalmente Bonita, e isso já tem três anos, ainda não tinha testado essa linha tão famosa! O que me deixa com mais vergonha ainda é ouvir da minha mãe “Eu já usei essa linha filha!” COMO ASSIIIIIIIIIM? hahahaha

Tenho cabelo crespo, seco e tingido. Ao ler a sua composição percebemos jaborandi, quilaia, alecrim e vitaminas A, B e E. Quem gosta do assunto e lê bastante sobre, sabe que alecrim é inicialmente indicado para cabelos oleosos. Porém, a queda do fio acontece pelo excesso de oleosidade na raiz, obstruindo assim o folículo. Isso pode acontecer com todo e qualquer tipo de cabelo.

O cabelo crespo é seco no seu comprimento e pontas. A raiz tem oleosidade que, pela curvatura dos fios, não consegue chegar até as pontas. Já ouviram falar para esfregar o shampoo apenas no couro cabeludo? Sim, eu só lavo meus fios dessa forma.

Essa linha consegue limpar o cabelo de maneira gentil, delicada e não ressecar os fios. Estimula a circulação dos vasos na região ajudando no crescimento saudável dos cabelos. A fragrância é gostosa e acolhedora. Assim que senti, parece que voltei para minha infância, quando mamãe cuidava do meu cabelo na casa da vovó. É algo gostoso e familiar, aconchegante.

O banho de creme pode ser usado sozinho ou com o tônico, para um resultado ainda mais “potente”. Por falar em tônico, é bem fácil de usá-lo! Antes de colocar água nos fios, aplica na raiz, massageia bem e deixa agir de 15 a 45 minutos. Depois é só lavar normalmente e usar a linha toda por aproximadamente um mês, que o resultado é explícito.

O finalizador é leve e hidratante. Se você gosta de um produto mais pesado, indico que misture o Óleo de Argan e Cártamo. Se gosta de creme leve, se joga com gosto porque vai amar!

A minha dica é sempre a mesma: pare, leia o rótulo do produto e passe a entender as necessidades do seu fio. Com isso, usamos as linhas com a sua máxima eficácia e nosso cabelo apenas agradece!

Beijos
Mah

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas ajudar as mulheres a se sentirem lindas.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Ahhh as mães… naturalmente inspiradoras!

11.maio.2018

Há um ano eu escrevia o post de Dia das Mães para o Naturalmente Bonita. Quando fiquei com a responsabilidade de escrever novamente, em 2018, na hora aceitei. Que honra! Falar sobre mãe é algo que mexe demais comigo porque tenho uma relação muito próxima com a minha. É a mulher que admiro, que me inspira, que me orgulha e ainda por cima minha melhor amiga. <3

Faz tempo soube que Dia das Mães só perde em vendas para o Natal e não é para menos! (Ainda acho que deveria vender mais que no Natal hahaha) Pensar em homenagear de alguma forma, por mais simples que seja, aquela figura que te criou com tanto carinho e amor, que se doou por e para você, que não mede esforços para te ver crescer e voar longe é uma forma de agradecer toda essa trajetória.

Percebam que neste momento eu não foquei na figura feminina com mais ou menos 30 anos a mais que você. Nem sempre mãe é aquela de comercial de margarina. Pode ser sua avó, seu tio, irmã mais velha, seu pai… Mãe é quem cria! Quem oferece o amor incondicional que deixa marcas para o resto de nossas vidas.

Penso que, quando for mãe, quero ser ao menos um décimo do que minha mãe é. Uma mulher forte, elegante, inteligente, carinhosa, vaidosa, coerente, divertida e linda. Sou uma aquariana que não se apega tanto assim às datas. Por que né? Aquário tende a ser da pá virada e não seguir regras ou convenções sociais. Mas mamãe significa tanto pra mim que eu tenho imenso prazer e satisfação em poder escrever para ela.

Tento ser cada dia melhor, ainda deslizo diversas vezes e me arrependo piamente depois. Quando aumento a voz sem necessidade, quando não respondo algo ou ainda quando perco a paciência. “MARAISA TÁ LOUCA?” Sim! Totalmente louca. Porque o mundo gira e lá atrás quando eu não sabia nada da vida foi mamãe quem me ensinou pacientemente, quem me respondeu (e ainda responde) as trocentas perguntas que faço por dia, quem fala no tom mais sereno possível em todos os momentos (mesmo dando bronca).

Peço desculpas, mãe! Peço desculpas não pela data, mas por olhar amplamente o significado de ser mãe. Por entender de maneira macro como você se desprendeu de si para criar Monalisa e eu. Por saber que erro e você continua sendo a mãe mais carinhosa e amiga deste mundo todo.

Agradeço por vir para a Terra e escolher nascer nesta família. Todos nós temos um aprendizado. Pode ser que hoje não entendamos, mas com certeza uma hora o motivo surge e nossas batalhas nos deixarão mais fortes. E, nesses momentos, nossas mães estarão conosco, seja física ou espiritualmente. Sempre com aquele papel de colocar a mão nas nossas costas e dizer “vai, porque qualquer coisa eu te seguro.”

O quão mágico e especial é este sentimento de ser mãe? Eu ainda não sei. Mas quero dar valor antes mesmo de saber, porque que é surreal, é.

Que nesta data nos lembremos não apenas do presente, da ligação no celular ou da mensagem fofa nas redes sociais. Mas que estejamos presentes com aquele olhar compreensivo, com mais paciência e com aquele abraço gostoso que deixa a vida naturalmente bonita!

 

Beijos

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas ajudar as mulheres a se sentirem lindas.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Ah, essa eterna cobrança!

28.mar.2018

Ser bem-sucedido antes dos trinta, escrever um livro, ser referência no seu meio de trabalho, falar outros idiomas, ler mais, viajar, ser feliz… Nossa! Mas e se o reconhecimento não vier? Se eu nadar, nadar e não chegar a lugar nenhum? Minha família pensará que sou um fracasso! Preciso fazer mais coisas ao mesmo tempo; fazer tudo mais rápido porque assim alcanço o topo. Humm… mas em qual topo quero tanto chegar?

Faz um bom tempo que tenho reparado no que me tornei. Uma mulher que quer fazer vinte coisas ao mesmo tempo, que não consegue responder todas as mensagens no Whatsapp, que não esvazia quase nunca a caixa de e-mail e que no final das contas não tem tempo para nada; nem para os amigos. O que passa pela minha mente? “Preciso ganhar mais dinheiro, preciso conseguir mais coisas, preciso melhorar meu trabalho, não posso parar e descansar agora, preciso ser feliz.” Vocês conseguiram entender o quão louco é isso? O quão paranoico é este ciclo que se instalou na minha mente? PRECISO, PRECISO e PRECISO! Mas quem disse que eu PRECISO de tudo isso? Eu estou fazendo porque quero ou porque a sociedade espera isso de mim?

Ah essa eterna cobrança! A minha geração é bastante imediatista. Me cobro a todo momento e se não consigo algo em um curto espaço de tempo já começo a surtar. Minha mãe sempre fala: “Mas filha, tenha calma! A vida não é assim! As coisas não acontecem do dia para a noite, você vai ficar doente desse jeito!”. E ela tem razão! Meu pensamento doentio por querer tudo para ontem, por fazer mil coisas ao mesmo tempo faz com que a cabeça entre em colapso! Quantas pessoas vocês conhecem que tomam remédios para cuidar da mente na atual geração? Quantas pessoas vocês conhecem que trabalham horas e horas a mais do período “normal” de serviço? Quantas pessoas vocês conhecem que vivem precisando de férias?

Outro fator que aumenta essa cobrança é a COMPARAÇÃO. Essa mania de olhar para o lado e sempre achar que o outro é melhor. Diminuir-se e não dar valor ao seu trabalho, às suas conquistas. Comparar sua situação sem ao menos saber por tudo que a outra pessoa passou. A gente olha apenas a “casca”, formula toda uma história na mente e se coloca pra baixo. Resultado? “PRECISO fazer mais!”

É difícil perceber que você entrou nessa espiral. São diversas as desculpas para justificar a constante falta de tempo e insatisfação contínua com a vida. Às vezes, a gente perde muita coisa para depois entender que não é nesse ritmo frenético que conseguiremos algo. Quando passamos a olhar para a nossa vida com mais carinho, com mais dedicação e respeito pelo nosso corpo, a relação muda. Eu não queria mais ter insônia e acabar o dia com diversas coisas incompletas. Como mudar isso?

Parei de PRECISAR fazer algo para simplesmente completar minhas tarefas. Parei de olhar para os lados e pensar que tudo é melhor do que eu tenho. Reconhecer e respeitar a minha trajetória é essencial. E o principal: parei de correr com a vida. Respeito cada momento e valorizo o que estou fazendo naquele minuto. Viver o momento é mais proveitoso do que fazer mil coisas ao mesmo tempo e no final nem entender como cada item foi concluído.

Sei que muitas pessoas já estão nesse processo faz tempo. Que respeitam o corpo, que respeitam os limites e que procuram uma vida mais positiva e saudável em todos os aspectos. Todavia, em paralelo, existem as pessoas que se cobram, que são imediatistas e que daqui a pouco entram em colapso. Buscar uma forma de harmonizar tudo é sempre válido e só fará com que suas atividades rendam mais e sejam finalizadas com êxito.

Olha, confesso que não sou a pessoa mais serena e focada que existe. É um processo, e eu fico muito feliz em conseguir entrar nele. Depois do primeiro passo e de sempre vigiar as atitudes, fica mais tranquilo. Hoje não me cobro tanto e respeito meu tempo. As dicas que eu posso dar é: escute o seu corpo e não viva para os outros.

 

É sempre bom lembrar que o tempo desperdiçado não volta.

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas ajudar as mulheres a se sentirem lindas.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Carregar Mais