Fios coloridos exigem um cuidado maior

Volta e meia me perguntam como consigo manter os cabelos coloridos sem danificar. Pinto os fios desde 2015 e creio que acabou virando uma “característica” minha. “Qual será a próxima cor que Maraisa colocará no cabelo?” Sim, é uma pergunta frequente porque eu gosto MESMO de mudar.

Antes de falar dos meus cuidados, quero muito comentar algo! Na época em que não tinha nenhuma tintura no cabelo, eu era outra pessoa. Sim, já era uma mulher confiante com o crespo natural, sem química, mas uma pessoa okay. Na minha cabeça, como sempre ouvi dizer, crespo não combinava com cor e assim eu o mantinha. Eis que, em maio de 2015, eu comecei a aventura e não parei mais! O que mudou em mim? MUITA COISA! Hoje eu vejo que posso pintar o cabelo de todas as cores que imaginar. Hoje eu sei que cabelo crespo combina sim com tinta, é só escolher uma que você goste e tá linda. Hoje eu sei, também, que o comprimento de um cabelo não dita minha feminilidade (digo isso porque essa noção veio depois que comecei a pintar). Isso tudo para dizer que: se tem vontade de pintar o cabelo, pinte! A vida é curta demais para não realizarmos esses pequenos desejos.

Agora sim, falo dos cuidados: um cabelo colorido exige MUITO cuidado. Não é apenas tingir, descolorir ou tonalizar no salão e pronto. O cuidado em casa faz toda a diferença na saúde dos fios. Eu sempre digo que é impossível ter cabelos coloridos se não tiver tempo disponível para cuidar.

Gosto muito de alternar linhas porque cada uma tem um ativo, composições que se complementam e no final suprem toda a necessidade dos fios. A primeira linha que comento é a Botica Cachos Perfeitos; desde o seu lançamento eu não parei de usar! O produto queridinho é a máscara (disponível em dois tamanhos, 250g e 450g) que consegue recuperar qualquer cabelo! Até a Jo do Futilidades também usa depois da minha indicação. Contém microqueratina vegetal e baobá na composição que, juntos, nutrem, reconstroem e possuem diversas vitaminas como A, C, D, E e F.

Outra que uso é mais recente: a linha Pós-Coloração. Fornece brilho e protege a cor, fazendo com que ela não saia com tanta rapidez após as lavagens. Isso é possível porque contém goji berry na composição, que se trata de um poderoso antioxidante. A cor oxida muito rápido no cabelo e perde sua vitalidade, a função do goji berry é manter essa cor sem oxidar.

Os favoritos da linha são o shampoo e o banho de creme. O shampoo me impressiona porque ele é liberado para quem segue e técnica low poo e limpa MUITO BEM sem ressecar. Um shampoo lotado de sulfato retira demais a vitalidade da cor; esse consegue manter. O banho de creme é um caso à parte porque tem uma fórmula bem concentrada e textura consistente. Hidrata e nutre profundamente este fio que precisa de cuidados especiais (ainda mais os meus que são descoloridos).

Eu lavo com o shampoo da linha Pós-Coloração e, se um dia uso a máscara Botica Cachos Perfeitos, na lavagem seguinte uso o banho de creme Pós-Coloração. Isso tem ajudado DEMAIS a manter a saúde do meu crespo e a cor por mais tempo.

O legal é sempre ler sobre as linhas e combiná-las no seu cuidado diário. Com esse costume, o cabelo estará sempre saudável e com “tudo em dia”: nutrição, hidratação e reconstrução. Depois de um certo tempo cuidando dos fios em casa, a gente começa a perceber como ele reage e a entender do que ele precisa.

A cor é muito legal e divertida, mas não podemos esquecer de cuidar!

Beijos!
 

Clube das Cabeludas, episódio 5: desprogressiva, transição capilar e big chop da Samara

A Samara estava em transição capilar e acreditou que teria seus cachos de volta com a “desprogressiva”, que é na verdade um tipo de permanente (ou seja: mais uma química e não tira a progressiva!). Confira o que isso provocou no cabelo dela e veja como um bom corte e produtos adequados ajudam na transição capilar gradual.

 

O vídeo completo da transformação da Samara:

Se você também está passando pela transição capilar e quer concorrer a um big chop, compartilhe uma foto que mostre a dupla textura do seu cabelo e a história da sua transição, usando a nossa hashtag: #ClubeDasCabeludas.

As melhores histórias, de qualquer lugar do Brasil, vão receber produtos Bio Extratus e uma delas vai ganhar uma viagem a São Paulo para fazer o big chop e gravar um vídeo da nossa série!

Serão consideradas as postagens públicas (não temos como visualizar os perfis fechados), até o dia 1º de dezembro de 2017.

Comente aqui e participe!

A linha Antiqueda salvou meus cabelos!

Ultimamente sofri com uma queda de cabelos por causa de mudanças hormonais. Sempre tive fios bem fortes e um cabelo muito cheio. Adoro esse efeito e me identifico muito com o estilo dos meus fios. Quando eu os vi caindo aos poucos comecei a ficar preocupada e logo fiz mudanças na minha rotina, pra reduzir a queda e melhorar o crescimento saudável dos meus fios. O tratamento começou de dentro pra fora, mudando meu anticoncepcional para um menos agressivo aos meus hormônios. Em seguida, foi a hora de rever a minha linha de cabelos para usar uma que me ajudasse nessa empreitada. Foi aí que conheci a linha Antiqueda da Bio Extratus.

 

Deixei meus outros produtos da marca em stand by e comecei a usar essa linha como um tratamento regrado. Achei bacana por ela ser supercompleta, com shampoo, condicionador, banho de creme, finalizador e tônico capilar. Esse tônico é o X da questão! Ele é um fluido um pouco alaranjado que serve para ativar a circulação capilar. Comecei a usá-lo todos os dias em que eu lavava meu cabelo. Aplicava diretamente no couro cabeludo e massageava durante um bom tempo antes do banho. Ele deixa uma sensação bem refrescante e gostosa, especialmente nos dias de calor que estamos vivendo em BH.

 

O que achei mais bacana é que esse tratamento é muito prático! Eu aplicava e deixava uns 15 minutos agindo no couro cabeludo. Enquanto isso, ia fazendo alguma tarefa do meu dia a dia. Depois, quando entrava no banho, lavava os cabelos normalmente com o shampoo e condicionador da linha. Uma consideração importante a se fazer é que o shampoo é bem transparente e limpa superbem os fios, sem deixar desidratados. Pelo menos uma vez por semana, eu usava o banho de creme Antiqueda para hidratar e deixava agindo nos cabelos com minha touca de banho. Uma dica na hora de aplicar o banho de creme é desembaraçar os cabelos com a escova Michel Mercier. Ela me ajudou a distribuir o produto nos fios sem deixar uma concentração em apenas algumas partes.

Costumo deixar meu cabelo secar naturalmente após o banho. Com os fios ainda molhados, eu dividia o cabelo ao meio e aplicava a quantidade de uma moeda de 1 real em cada lado de finalizador. Ele é extremamente cheiroso e protege os cabelos de ações externas. Outra vantagem é que ele possui filtro solar, que em dias de sol forte é imprescindível. Nesse mês de uso, senti uma melhora gigantesca quanto à queda dos cabelos. Eles estão bem mais fortes e saudáveis, caindo muito menos quantidade do que o que estava antes. Vou continuar usando para deixar os cabelos 100% saudáveis e fortes. Com certeza recomendo se você também está com problemas de queda e se seu cabelo não está crescendo saudável como você gostaria.

 

E aí, já testou essa linha? Me conta nos comentários o que você acha sobre ela!

Clube das Cabeludas, episódio 4: transição capilar e big chop na gravidez

A Cíntia decidiu parar de alisar o cabelo quando descobriu que estava grávida. Passou 11 meses em transição capilar e publicou a história dela nas redes sociais com a hashtag #ClubeDasCabeludas. Ela se emocionou ao falar que quer seu filho crescendo com uma mãe empoderada e cheia de autoestima!  =)

 

O vídeo completo do big chop da Cíntia:

Você também está em transição capilar? Quer concorrer a um big chop? Compartilhe uma foto que mostre a dupla textura do seu cabelo e a história da sua transição, usando a nossa hashtag: #ClubeDasCabeludas.

As melhores histórias, de qualquer lugar do Brasil, vão receber produtos Bio Extratus e uma delas vai ganhar uma viagem a São Paulo para fazer o big chop e gravar um vídeo da nossa série!

Serão consideradas as postagens públicas (não temos como visualizar os perfis fechados), até o dia 1º de dezembro de 2017.

Comente aqui e participe!

Cabelo novo, percepção nova

Lembram que eu falei semana passada que eu ia mudar? Pois bem, mudei! Finalmente consegui tirar um tempo no sábado – ou melhor, consegui ajustar a agenda do marido com a do salão, afinal, precisava que ele ficasse com o Arthur – para fazer meu cabelo.

Enquanto estava no caminho, com a linha completa de coloração que a Bio Extratus me enviou para experimentar, cruzei com uma frase que até postei no insta onde dizia: “não é mudando que você se ama, é se amando que você muda”. E isso nunca fez tanto sentido.

 

Porque talvez vocês não saibam, mas eu já tive o cabelo com uma cor parecida com essa. Eu estava com 19 anos, vinha do ano anterior enlouquecida com o vestibular, engordei, não tinha mais roupa, não sabia quem eu era e resolvi pintar o cabelo porque estava insatisfeita, sem me reconhecer. Queria me achar e depositei todas as minhas esperanças na mudança capilar.

 

Só que isso não aconteceu. Por isso mesmo, acho que mudar não adiantou muita coisa naquela época. Depositei o pouco da minha autoestima nisso, mas tinha tanta coisa desajustada naquele contexto que a mudança capilar foi efetiva até certo ponto.

 

Só que, agora, meu objetivo foi outro: eu quis mudar porque eu estava muito segura de mim. Eu queria mudar porque minha relação com o meu cabelo está em sua melhor fase – então, por que não experimentar algo novo?

Na verdade, a referência que eu tinha era algo muito mais claro do que está (eu usei a tintura 9.4, louro muito claro acobreado). Só que, chegando ao salão, o Rogério – o profissional que mexe no meu cabelo desde que eu cheguei aqui em NY – achou melhor não chegar nessa cor logo de uma vez.

 

Eu estava sem fazer luzes desde dezembro de 2016, o que quer dizer que tinha muito cabelo virgem na jogada, castanho escuro ainda por cima. Para chegar naquele tom eu teria que descolorir e ele achou que seria um procedimento bem agressivo para o estado que meus fios se encontravam. Também demoraria mais e gastaria um tempo que eu não teria naquele dia. Preferi seguir com a opinião do especialista e aí a gente vai clareando com o tempo. Se bobear, é até bom para eu ir me acostumando com as tonalidades ruivas. 🙂

 

Só sei que, quando virei para o espelho, lá estava a Carla com uma cor de cabelo superparecida com a da Carla de 19 anos. Por um segundo lembrei de todo aquele período de insegurança, mas quando olhei de novo, aquela Carla realmente não estava ali.

 

E quanto ao cabelo em si? Para começar, eu fiquei espantada que a cor conseguiu chegar nesse tom logo de primeira. Ainda não é a cor final e ainda está mais escuro do que eu tinha planejado, mas levando em conta que não usamos descolorante, eu achei muito bom. Mas o principal é: eu tô apaixonada pelo toque! O tutano na fórmula, exclusividade da Bio Extratus e diferencial no mercado, ajuda a hidratar enquanto colore e isso realmente acontece. Lavei dois dias depois de pintar e, quando sequei (tá frio aqui, não tenho conseguido deixá-lo secando naturalmente), ele estava supersedoso, os fios nada embaraçados. O brilho também é notável. Confesso que fiquei pensando em não descolorir, afinal, por mais que eu cuide muito, é normal que resseque demais, coisa que a tinta claramente não fez. Veremos.

 

Aliás, percebi nessa semana que a tinta também está ajudando demais a controlar a oleosidade. Nesse período em que eu estava com a raiz virgem bem comprida, eu cortei um dobrado com ele, porque ela voltou a ficar superoleosa em tempo recorde. A linha Pós-Química de abacate com jojoba – que eu amo – é tão hidratante que a minha raiz não aguentou. A mesma coisa aconteceu com a linha Pós-Coloração, que é ainda mais hidratante e não funcionou tão bem (comecei a usar ela novamente essa semana, vamos ver como ela vai se comportar em outras condições capilares). Tem sido um alívio poder voltar a lavar meu cabelo dia sim, dia não.

Eu estou supersatisfeita com o resultado e feliz por ter escolhido uma cor tão diferente do que eu tenho feito há tanto tempo. Também fiquei chocada com o sucesso que fez no instagram, acho que não lembro de um post meu ter tido tantos likes, tampouco lembro de ter recebido tantas mensagens diretas. Não que a popularidade nas redes sociais influencie minha opinião, mas não nego que é uma injeção de autoestima receber tanta mensagem positiva. 🙂

 

Quem estiver pensando em mudar, sugiro conhecer a linha Bio Extratus Color e conversar com o profissional que cuida dos seus cabelos para, juntos, definirem a melhor ideia para vocês. Juro que não é só porque eles são patrocinadores do blog, mas o resultado foi muito melhor do que eu tinha imaginado, inclusive com a minha percepção. O cabelo novo não foi feito para suprir nenhum amor próprio falho, mas estou amando me enxergar com novos olhos.