Naturalmente Bonita

Existe Cabelo Bom?

26.set.2019

Oi, meus amores! Tudo bom com vocês!? A historinha de hoje tem a ver com cultura, com reprodução e com racismo também. Alguma vez você já ouviu o termo “cabelo bom”? Provavelmente várias, certo!? Talvez algumas até tenham saído da sua própria boca.

MAS CALMA AÍ, então quer dizer que você é racista?? 😨

Se você não tem o cabelo crespo, o termo “cabelo bom” pode ser só mais uma forma “descontraída” de dizer que o seu cabelo não está do jeito que você gostaria, então a minha intenção agora é te fazer considerar esse texto uma oportunidade de furar a sua bolha e entender o quão problemático é continuar repetindo isso.

Cabelo bom?

Vivemos e somos ensinados diversos conceitos a partir de uma cultura racista que nos mostra desde muito cedo o que seria o bonito ou feio, certo ou errado, bom ou ruim. É uma cultura que está além da nossa individualidade e que nos transforma em sujeitos reprodutores de ideologias discriminatórias e de fato violentas, quando talvez sequer percebemos.

Eu, enquanto mulher negra e crespa, anos atrás, distante de toda a consciência racial que construi até hoje, consigo lembrar de inúmeras situações em que assumi o meu cabelo como “ruim”, por exemplo. E por isso é importante que discutamos e ouçamos cada vez mais sobre pessoas com as mesmas vivências que as nossas, mas principalmente com realidades distintas (lembra do nosso trato de furar a bolha?).

A imposição do padrão da beleza branca-magra-lisa-loira-europeia é uma violência não só simbólica que atinge a mulher negra em sua construção pessoal de forma física mesmo. Principalmente, até pouco tempo atrás, quando se falava muito pouco sobre o cuidado consigo e o respeito à sua identidade seja ela qual for, os métodos de alisamento para cabelo eram ainda mais fortes, como o caso do alisamento através do pente quente, que consiste no uso periódico de um pente esquentado diretamente no fogo e passado no cabelo. Sim! Isso era muitíssimo comum.

A ideia de tentar embranquecer uma sociedade por completo, partindo do pressuposto que o negro seria algo ruim, assim como o seu cabelo, leva essa cultura racista a promover e estimular uma violência no discurso capaz de deixar marcas físicas e psicológicas.

Entendeu onde mora o perigo!?

A estrutura natural do cabelo crespo não necessariamente tem definição. O cabelo crespo não reflete à luz da mesma forma que um fio liso. O cabelo crespo geralmente é volumoso. Definição não é sinônimo de hidratação. Ter o cabelo naturalmente crespo não é usar um acessório estiloso.

Ser mulher negra não é ter beleza exótica E MEU CABELO NÃO É RUIM!

É muita análise no nosso próprio discurso, disposição para ouvir e aprender, disposição para se propor a um processo minucioso de desconstrução até entender que você provavelmente já reproduziu termos racistas em seu cotidiano. Se você está pensando “NOSSA! Quanta coisa eu preciso fazer para que minhas palavras não acabem machucando ninguém”, pensa então como é estar do outro lado e pensar “NOSSA! Quanta coisa eu preciso fazer para que o que as pessoas dizem sobre o meu eu não acabe tirando a minha sanidade e apagando a minha identidade”.

Mas agora uma ótima notícia: AINDA DÁ TEMPO DE MUDAR!!

Começar de agora, que tal? Cabelo ruim a gente já entendeu que não existe, é uma fala que você não precisa reproduzir, mas existem muitas outras.

Romper com o discurso racista é se mostrar consciente da violência exercida por ele e não ser conivente com essa postura. É ser aliado na luta anti-racista.

Joicy Eleiny

Joicy Eleiny, pernambucana nascida no interior e morando na capital. 21 anos, mulher negra, crespa e LGBT compartilhando empoderamento e provocando discussões acerca de suas lutas principalmente atra...

Desperte a Sua Beleza e Autoestima

8.ago.2019

Nesse fim de semana rolou a festa do PAPO SOBRE AUTOESTIMA, projeto que eu e Carla criamos no final de 2016 e oficializamos no primeiro dia de 2017. No ano passado o tema de nossa festa foi AME SUA NATUREZA. Como contamos no blog, ficamos encantadas com a oportunidade de misturar nossa festa à campanha de Bio Extratus. Se em 2018 essa mistura foi bonita, em 2019 ela se consolidou de uma maneira ainda mais incrível. O tempo passou, nosso projeto amadureceu e DESPERTE SUA BELEZA chegou com o manifesto mais lindo, que foi até narração de um vídeo incrível da festa.

 autoestima

Antes de eu continuar falando da festa ou do quanto essa campanha tem a ver com a autoestima, quero dividir com vocês esse texto que tem tanto a ver com tudo que acreditamos como mulheres estudiosas da autoestima feminina!

“A beleza tem muitas formas e definições. Mas a beleza verdadeira, que se mantém, é aquela que vem do seu brilho. O que encanta mesmo é a luz própria. É ela que emana através de sua pele, seus olhos, seus cabelos.

Esse brilho está dentro de cada um, pronto para despertar. Ele surge da construção diária da autoestima; quando você valoriza cada pequena conquista; quando você se olha no espelho com orgulho dos seus traços, da sua genética, da sua história. Quando você ama sua natureza.

E, partindo daí, você vai aprendendo a se cuidar. Vai descobrindo o que faz com que você se sinta melhor com sua aparência. Encontra maneiras de explorar o que é único em você e também de mudar o que quiser, por que não? 

Os recursos estão aí. Estão na natureza, que oferece a pureza da sua água e a força dos seus ingredientes para usarmos a favor da nossa beleza e saúde, e na tecnologia que cria múltiplas possibilidades de transformação. E nós estamos sempre em busca de trazer o melhor de tudo isso para você. Para valorizar o que te faz especial.

Para despertar sua beleza.”

autoestima

Para nós fica muito claro que amar a sua natureza leva ao despertar da própria beleza. Não estamos falando de uma beleza que atende aos estereótipos de um único padrão. A marca fala de uma beleza única, que vem de dentro, que inspira e não está pautada no corpo físico. A beleza nesse caso tem a ver com essa luz que vem de dentro e emana.

Falar sobre essa singularidade é fundamental, justamente pela falta de referência e diversidade na busca por ser bonita de um único jeito. Somos tão mais do que nosso reflexo no espelho! Sentir-se bem consigo mesma tem a ver com tantos outros fatores que estão relacionados à nossa autoestima. A capacidade que temos de desenvolver carinho e apreço por quem somos hoje, como somos agora.

Desperte a sua beleza tem a ver com amar nossa natureza e nos conectar com quem somos.

É disso que fala essa campanha de Bio Extratus em 2019 e é sobre isso que conversamos no PAPO SOBRE AUTOESTIMA.

autoestima

Nesse projeto a bandeira de se olhar com mais amorosidade e acolhimento está diretamente relacionada à um olhar amoroso com as outras mulheres. É uma busca constante por menos julgamento e mais empatia.

Muitas vezes quando a gente muda emocionalmente, dá vontade de mudar fisicamente também. O cabelo costuma fazer o papel do marco simbólico da mudança. Toda vez que algo muda dentro de mim tenho vontade de cortar, pintar ou apenas secar e modelar. Esse é só um exemplo como – independente dos padrões – a gente pode colocar pra fora algo que mudamos dentro.

autoestima

A campanha desperte sua beleza fala diretamente com o projeto do #paposobreautoestima. Por isso, nós e a Bio Extratus convidamos outras 4 embaixadoras para viver conosco essa imersão. Dançar, cantar e curtir essa celebração, que reuniu 120 mulheres interessadas pelo tema de buscar a autoestima e encontrar a própria beleza.

autoestima

Essa festa foi para nós um convite ao despertar às seguidoras do PAPO SOBRE AUTOESTIMA. Que mais atentas e presentes possamos nos preocupar menos em estar bonitas aos olhos dos outros. Que nossa beleza possa ser vista no nosso olhar, com menos filtros de rigidez e exigências absurdas em busca de uma perfeição que não existe.

Nosso convite foi para celebrar essa campanha e nosso projeto em busca de um olhar mais amoroso e acolhedor sobre si. Para que juntas possamos construir uma autoestima verdadeira, sustentável e que nos ajude a nos enxergar como um todo. As mulheres maravilhosas que somos.

 

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por PAPO SOBRE AUTOESTIMA (@paposobreautoestima) em

Joana Cannabrava

Carioca solteira no Rio de Janeiro, libriana, viciada em produtos de cabelo, e blogueira do Futilidades. Fala principalmente de r...

Que o dia seja menos dos namorados e mais do amor!

12.jun.2019

Sabe aquela pessoa cujo gênero de filme favorito é a comédia romântica? Que já passou horas no Pinterest salvando imagens bonitas de casamentos? Que sabe tudo sobre dia da noiva, pasta organizadora da noiva, como escolher seu vestido de noiva e até a cor que quer para o vestido das madrinhas!? Prazer, essa sou eu! E hoje eu vim aqui especialmente para te contar uma história de amor.

É difícil saber exatamente por onde começar, afinal quase toda história de amor começa com um sorriso meio sem graça, uma história de anos, um encontro por acaso ou uma ironia do destino, como aconteceu comigo.

Antes que eu esqueça, meu nome é Joicy Eleiny, sou embaixadora Bio Extratus, moro em Recife-PE, sou bissexual e tenho uma namorada chamada Mariana Tayná.

Ela me conheceu primeiro, quando procurava no YouTube como revitalizar o cabelo crespo e encontrou vídeos meus. Desde então parece que a vida tratou de dar aquele empurrãozinho para que nos aproximássemos. Estivemos em eventos juntas, mas não nos vimos, estivemos em mais eventos juntas e aí só nos cumprimentamos, esbarramos novamente várias outras vezes e então achamos que tinha algo dizendo que deveríamos ser amigas. Deu certo! Viramos muito amigas e depois um beijo!

Dia dos namorados

Resumidamente foi assim que tudo começou, de uma amizade mesmo (diz aí se não parece aquele clichê romântico que você assistiu num domingo de preguiça?). Mas a verdade é que depois que ela apareceu eu comecei a reparar em tantas outras coisas que fazem o amor ser amor, pelo menos para nós.

Você já parou para se perguntar: o que faz o amor ser amor!?

Para nós, um casal composto por duas mulheres negras, o amor perpassa muitas outras discussões políticas e sociais e é preciso compreender quem somos antes mesmo de nos dispormos a amar.

O relacionamento afrocentrado não é a solução de todos os fardos que carregamos ao longo da vida. Um relacionamento, seja ele qual for, nunca é a solução pra tudo. Mas, de fato, é muito importante me reconhecer no meu amor, saber que a gente se entende, se apoia, se dispõe a lutar juntas e enfim soma, como tem que ser.

Seja qual for a sua relação com o outro, nesse dia dos namorados, quero te convidar a fazer uma reflexão sobre a relação que você tem consigo, combinado? Aí você tenta se responder: meu namoro comigo mesma permite que eu namore outra pessoa?

Muita gente acha que pode resumir o amor, que pode ditar, limitar e até restringir. Talvez seja bem tarde para avisar, mas eu juro que ainda tem gente que não entendeu, então vamos lá: o amor é para todes, sejam eles, elas ou nenhum dos dois, sejam negros, brancos ou nenhum dos dois, sejam magros, gordos ou advinha!? O amor é para dois ou nem só dois. E uma verdade absoluta é que o amor é para um, antes de ser para qualquer outro.

Que o dia seja menos dos namorados e mais do amor!
Um beijo e até a próxima :*

Joicy Eleiny

Joicy Eleiny, pernambucana nascida no interior e morando na capital. 21 anos, mulher negra, crespa e LGBT compartilhando empoderamento e provocando discussões acerca de suas lutas principalmente atra...

Nosso Compromisso Com a Natureza

5.jun.2019

Um dos principais motivos para que eu entrasse para a “firma” foi justamente a preocupação em cuidar da natureza e pela utilização de produtos naturais na composição dos produtos. Então, aproveitando O Dia Mundial do Meio Ambiente, vamos falar sobre alguns cuidados da Bio Extratus com o futuro do planeta e os impactos disso no mundo.

Começamos perguntando: quando você ouve falar em fábrica, logo vem em mente chaminés, cinza, poluição, fumaça e muito desperdício, certo? Por aqui é muito diferente! Dá só uma olhada nessa estrutura de fábrica que não tem nada do que a gente imaginava:

 

Parceria Bio Extratus e Natureza

A Bio Extratus surgiu em 1991 com a ideia de dois cabeleireiros que amavam a natureza e decidiram colocá-la nos seus produtos capilares de forma inicialmente artesanal e que se transformou no que chamamos hoje de Fábrica dos Sonhos.

Lembro que quando fui visitar a fábrica fiquei encantada em como tudo é lindo e verde. Muito verde! Nem parece que estamos em uma fábrica na verdade; é um lugar tão bonito que da para fazer um passeio com amigos, família ou o crush (risos) tranquilamente (tem até pedalinhos de cisnes).

Energia Fotovoltaica

Além da beleza na estrutura da fábrica, a marca tem projetos como o Sol Nascente que ganhou o VII Prêmio Hugo Werneck de Sustentabilidade na categoria Melhor Empresa. O projeto tem foco em energia solar fotovoltaica, que conta com placas formadas por células de silício que conseguem gerar e conduzir energia elétrica a partir da incidência de luz solar.

Em 2016, aconteceu a instalação do maior sistema privado de geração de energia solar fotovoltaica em sua planta industrial conectada à rede da Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG) e o maior do Brasil, segundo o site da ANEEL.

Tratamento de Água e recuperação de nascente

Existe desde 2002 um processo de tratamento dos resíduos gerados que são canalizados para tanques apropriados onde recebem um tratamento para devolver à natureza água compatível ao meio ambiente. Isso é fantástico! Imagina se toda a água do planeta utilizada nas indústrias fosse tratada dessa forma? Ah! A Bio Extratus recebeu o certificado de licença ambiental da FEAM (Fundação Estadual do Meio Ambiente) por conta desse compromisso com a natureza.

Mais uma das coisas que acontecem  é a recuperação de nascentes de água. Isso me deixou imensamente fascinada porque o trabalho vai além de evitar danos, mas de restaurar o que foi degradado pelo homem. Ler esse tipo de coisa me faz ter mais esperança pelo futuro das próximas gerações!

Chique né? Eu acho compromisso com a natureza um coisa muito chique.

AQUI, no site da Bio Extratus você pode ler com mais detalhes todas as informações passadas aqui e ainda saber sobre outras com mais detalhes.

No mais, só tenho a agradecer por existirem empresas assim, o planeta agradece imensamente e meu coração fica quentinho! Fiquem com o vídeo da nossa campanha de 2019 que também fala muito sobre nossa paixão pela natureza:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Bio Extratus (@bioextratus) em

Luciellen Assis

Luciellen é baiana, de Feira de Santana. Aborda temas, em seus canais, que variam entre estética e beleza negra, moda, autoestima, empoderamento e relações raciais.

Dia da Mulher: Vamos Falar Sobre a Rivalidade Feminina?

8.mar.2019

Já estamos em 2019 e cada vez mais vemos os direitos da mulher sendo pauta de pesquisas. Estudos pra mudar o cenário estão sendo feitos e empresas estão criando espaços de poder para a ocupação feminina em cargos importantes. O lugar da mulher é onde ela quiser não poderia ser mais palpável. E nós ainda fazemos fofoca, culpando outras mulheres por tudo e nos comportando de forma desunida!

dia internacional da mulher

Precisamos parar de julgar, comentar e avaliar o corpo das outras mulheres. Precisamos rever se é preciso criticar a roupa da sua amiga, o peso da sua filha ou a forma como a sua vizinha se comporta. Somos muito rígidas entre nós e é difícil para caramba construir uma boa autoestima quando temos tanto medo do julgamento das outras pessoas. Mas a verdade é: temos medo de que o outro nos julgue como julgamos outros. Somos muito exigentes com outras mulheres. Por isso quis trazer esse tema.

No Dia Internacional da Mulher não dê uma flor ou um presente qualquer. Dê um abraço, um ombro de apoio, estimule o crescimento das outras mulheres ao seu redor.

A rivalidade feminina nada mais é do que um mecanismo para nos controlar. É tão enraizado que a gente não nota! Nos julgando temos medo da opinião da outra pessoa, nos cerceamos e nos controlamos, assim, deixamos todas as mulheres inseguras e dentro de uma caixinha. Se não precisamos obedecer a um único padrão de beleza ou comportamento, nos tornamos mais próximas de sermos livres pra sermos quem somos de verdade. Pra sermos mais felizes conosco, independente da opinião das outras pessoas.

Precisamos aceitar o fato de que existe diversidade e sermos diferentes é o que nos torna únicas. Não é à toa que esse time de embaixadoras da Bio Extratus está sempre crescendo em diversidade e opções.

Não estamos aqui para competir, nem para rivalizar. Estamos aqui para somar e trazer para vocês as mais diferentes formas de olhar para si e para os seus cabelos. 

Cada uma de nós têm uma essência e uma verdade única, e quanto menos rígidas somos sobre as crenças que a sociedade nos ensina, mais conseguimos nos conectar com essa parte de nós e preencher nossas lacunas e vazios com o que nosso coração realmente demanda. Então, a fofoca, a competição entre mulheres e o medo do julgamento só nos limita, pois nos dá medo de nos expressarmos como somos. 

Por isso, nesse dia, se dê se presente uma flexibilização do olhar.

Já elogiou sua mãe, irmã ou amiga hoje? Que tal resgatarmos esse movimento aqui?

Precisamos aprender a nos julgar menos e, com essa flexibilidade, julgar menos as outras mulheres. Não critique o corpo da outra mulher, você não gostaria que criticassem o seu. Não cobre dela uma perfeição que nem mesmo você consegue ter. Não diminua ou ridicularize outra mulher só porque você não a entende. Perceba que pessoas diferentes têm suas histórias. Quando você entende que não precisamos ser todas iguais, com mesmo corpo, carreira, cabelo, comportamento ou nariz, fica mais fácil ter empatia. 

Quase todas fomos criadas – ainda que inconscientemente – para competirmos entre nós! Que esse dia seja importante para lembrarmos que não precisa ser assim. O que a gente não nota é que essa competição nos leva ao péssimo hábito da comparação e essa é, pra muitas, a maior inimiga de uma boa autoestima. Quando nos comparamos menos, focamos mais em nós, investimos nosso tempo nos nossos meus projetos e assim fazemos nossa vida acontecer!

Rivalidade feminina e fofoca vendem revista e geram cliques. O mercado pode não estar interessado em acabar com isso, mas nós podemos estar! Não caia nesse jogo, não entre nessa pilha, sempre que o foco for uma fofoca ou um julgamento referente a outra mulher, repense seu papel nessa conversa. Busque entender o que te irrita nela a ponto de você perder seu tempo falando nisso. As vezes vamos descobrir que a outra mulher não está ligando para o que pensam. Ela apenas está sendo livre ou agindo conforte suas próprias vontades, sem medo de ser feliz.

Se for isso, que mal tem?

Julgue menos, encare a vida de uma forma mais flexível, entenda que a beleza está na diversidade, que existem vários tipos de talentos, que a inteligência tem várias formas. Quanto mais amoroso, compreensivo e acolhedor for seu olhar com a outra mulher, mais acolhedor ele será com você mesma. Quanto menos você julgar, menos medo você terá de ser julgada.

Nos criaram dizendo que fofoca está no nosso DNA… Não acho que seja verdade! Só fomos educadas numa sociedade onde mulheres falando da vida de outras mulheres é normal. Naturalizamos um julgamento que depois só vem a nos limitar, porque a liberdade do outro só nos incomoda quando a gente não está podendo ser a gente mesma!

Acho que podemos aproveitar o Dia Internacional da Mulher para pensar sobre isso! Porque esse papo de rivalidade feminina é só mais uma forma de nos controlar e nos impedir de sermos livremente do nosso jeito, amando a nossa natureza como ela é.

Joana Cannabrava

Carioca solteira no Rio de Janeiro, libriana, viciada em produtos de cabelo, e blogueira do Futilidades. Fala principalmente de r...

Carregar Mais