Naturalmente Bonita

Final de Ano, Vida Nova Começando

5.nov.2018

Desde pequena, quando imaginava a minha saída de casa, me via bem nova (no máximo uns 24 anos), casando e trabalhando fora. Engraçado como a vida te mostra que as coisas não andam como você “desenha” e que tudo tem o seu momento e motivo.

Hoje, com 29 anos de idade, estou saindo de casa para morar sozinha. Não vou muito longe, no mesmo prédio dos meus pais, apenas 12 andares acima. Todavia, sair do ninho é um processo doloroso, libertador e novo.

ano novo

.

Quantas sensações juntas! Não sei o que esperar, preciso pensar na decoração, o que é mais importante? O que eu nem pensei que precisava para uma casa? A cabeça vai à mil e nem tem tanto tempo assim para sofrer.

Quando começa a tomar forma, quando imprimo o meu gosto nos detalhes, nas cores, na roupa de cama… A coisa fica séria.

Sou muito família e sair da casa dos meus pais é praticamente voar sem o apoio deles. “Ai Maraisa que exagero!” É que sou realmente MUITO grudada com meus pais, tanto que fui pleníssima para o mesmo prédio porque sei que não fico looooonge deles. =)

No entanto, sei que continuam ao meu lado me amparando caso algo aconteça. É necessário crescer, é necessário voar e fazer isso SOZINHA. Entender que você é a sua melhor companhia, que a sua felicidade não depende dos outros e que você se basta é essencial e um passo transformador. Depois disso quero ver alguém te segurar!

ano novo

.

Confiança, autoestima, segurança, felicidade são só algumas das características que você passará para quem te encontrar.

É isso! Vou morar sozinha e trabalho em casa. Parece que a vida me mostrou que não tenho o controle de nada! Imaginei uma história bem diferente e não troco o que vivi e o momento atual por qualquer outra. Me sinto feliz, confiante, com medo e forte! Lá vamos nós voar neste novo capítulo. <3

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas ajudar as mulheres a se sentirem lindas.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Outubro Rosa: mudanças de hábito que podem prevenir o câncer de mama

15.out.2018

Você conhece alguém que já teve câncer de mama? Os números assustam: estima-se que surjam mais de 550 mil novos casos de câncer no Brasil por ano – e a tendência é que continuem aumentando. Outubro é o mês de conscientização sobre o câncer de mama e muito se fala em prevenção, através do autoexame, mas pouco se divulga que um dos principais fatores preventivos é a mudança na alimentação e o abandono de hábitos nocivos, como o consumo de carnes, açúcar, laticínios e bebidas alcóolicas, além do tabagismo e do sedentarismo, comprovadamente associados ao surgimento de tumores.

Em outubro de 2016, graças a campanha do Outubro Rosa, minha irmã foi diagnosticada com câncer de mama. Ela tinha identificado uma pequena mancha rosa no seio, que dermatologistas e até ginecologistas diziam que não era nada. Por insistência dela, a médica solicitou a mamografia e foi diagnosticado um tumor maligno pequeno, mas com potencial de se espalhar rapidamente.

Após o desespero inicial que a notícia provocou em toda a família, me debrucei sobre a pesquisa de tratamentos alternativos até que descobri que a alimentação vegana e crua é um dos principais fatores de prevenção e até da reversão da doença. Ao apresentar essa possibilidade para a minha família, através de livros e conteúdos na internet, todos consideraram que adotar uma adotar uma alimentação baseada em frutas e em vegetais crus parecia uma solução radical e ineficiente.

Nessas horas é difícil questionar os médicos sobre a eficácia do tratamento convencional protocolar, extremamente invasivo e cheio de efeitos colaterais. A maioria das pessoas se submete, sem hesitar. No entanto, eu questionei: será que fazer cirurgia e quimioterapia é mais radical que simplesmente mudar hábitos?

Em sua luta particular contra o câncer, a Dra. Odile Férnandez Martinez, médica espanhola, descobriu que adotar uma dieta vegana e crua, rica em frutas e em vegetais, associada a eliminação de hábitos ruins pode ajudar o nosso corpo a eliminar as células malignas. Além de ela ter se curado de um câncer, com metástase, lançou um livro chamado “Minha Vida Anticâncer“, em que expõe dicas de alimentação e de hábitos saudáveis, para prevenir e tratar a doença. Todo material tem embasamento científico, já que ela também é médica.

Felizmente, tanto a doutora Odile, quanto a minha irmã, se curaram após optarem pelo tratamento convencional, associado às mudanças nos hábitos que são considerados prejudiciais. Apesar de eu não ter sido diretamente afetada pela doença, ela me transformou profundamente. O medo de perder a minha irmã me motivou a mergulhar numa ampla pesquisa sobre os benefícios da alimentação crudívora para a prevenção de doenças crônicas e degenerativas.

Foi assim que descobri que consumir alimentos crus é a forma mais saudável e nutritiva de ingeri-los e que esse hábito associado à redução do risco de câncer e ao aumento das taxas de sobrevida depois de sua ocorrência. Isso porque essa alimentação é naturalmente adaptada à nossa espécie, produz menos inflamações e estresse digestivo, permitindo que o nosso sistema imunológico trabalhe melhor, atacando a doença.

A alimentação crua e vegana também ajuda a controlar a glicemia, é pobre em gorduras saturadas, rica em fibras, vitaminas e sais minerais e ajuda na perda de peso, ou seja tem o potencial mantém o equilíbrio do corpo.

Recomendo que assistam a um vídeo, bastante completo, em que um nutricionista brasileiro e crudívoro apresenta dados científicos que relacionam o câncer aos nocivos hábitos alimentares contemporâneos, principalmente ao consumo de produtos de origem animal.

.

Talvez eu ainda não tenha superado completamente o trauma de ter vivido um câncer na família. Apesar de estar atenta ao meu corpo, de fazer o autoexame com regularidade e de ser vegana há seis anos (e crudívora/frugívora há quase dois), às vezes me questiono sobre as consequências de ter vivido um estilo de vida nocivo durante a maior parte da minha vida. Talvez por isso eu ainda não tenha enfrentado o desafio de fazer uma mamografia, exame que detecta a presença de células cancerígenas. Quero em breve voltar aqui para contar que meus exames estão ótimos!

Espero que vocês pesquisem sobre o assunto, que se cuidem e que considerem incorporar mudanças de hábitos como abandonar o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas, evitar o contato com substâncias tóxicas e potencialmente cancerígenas, em cosméticos, produtos de limpeza e até utensílios de cozinha. Mais do que isso, espero que vocês descubram os prazeres de viver uma vida saudável, com a prática de exercícios físicos e uma postura positiva e equilibrada diante da vida e seus desafios.

Viver com saúde é a minha prioridade. Por isso, agradeço a Deus todos os dias pela minha vida e saúde, pela vida da minha irmã, por ter acesso a informação e a oportunidade de disseminá-la.

outubro rosa

Nanda Cury e Carol Cury no Picnic frugi

.

Criou o Blog das Cabeludas, Crespas e Cacheadas em 2008 e é uma das idealizadoras da Marcha do Orgulho Crespo Brasil (2015). Ambas iniciativas tem objetivo de empoderar mulheres a aceitarem seu cabelo natural. É bacharel em Relações Internacionais, Vegana e especialista em Marketing Digital.

Nanda Cury

Criou o Blog das Cabeludas, Crespas e Cacheadas em 2008 e é uma das idealizadoras da Marcha do Orgulho Crespo Brasil (2015). Ambas iniciativas tem objetivo de empoderar mulheres a aceitarem seu...

A beleza está nas diferenças

12.out.2018

Eu sei que este título pode parecer óbvio e até mesmo repetitivo nos dias atuais. Volta e meia aparece no nosso feed algum post sobre se aceitar como é ou uma foto motivacional com pessoas dos mais diversos fenótipos. Mas será que ao olharmos conseguimos entender que cada um tem a sua beleza? Será que já nos desconstruímos de tanto ler sobre?

Serei o mais sincera possível: Eu ainda não. Trabalho isso todos os dias com as pessoas ao meu redor e principalmente em um grupo de Whatsapp que tenho com mais três amigas. Todas diferentes, todas com bagagem distintas e dispostas a ouvir. É preciso treinar o ouvido, treinar os olhos, calar mais e falar menos.

Ame sua Natureza é a campanha da Bio Extratus que vocês já viram na rede, né? Se não, olha pro banner aqui do lado e veja quantas mulheres lindas! Trabalhar com cabelo, ainda mais no Brasil, é abranger uma diversidade imensa de tipos, cores, estruturas, comprimentos, texturas e necessidades. É ter este olhar cuidadoso e entender que um fio cacheado não reage da mesma forma que um fio liso. Um fio ondulado não se comporta como um fio crespo; e tá tudo bem! Quebrar a antiga concepção do que é bonito e bem tratado é o primeiro ponto. É claro que a marca possui profissionais para entender tais fatores, mas e a gente? Quebramos nossa concepção de belo? Temos a consciência de que beleza é socialmente construída e desconstruída década após década? Vide as pochetes que eram bregas e hoje fazem o maior sucesso! Aliás, eu amo usar as pulseiras da minha mãe da década de 70! Os anos 70… precedido pelo festival de Woodstock, faça amor não faça guerra, hippies, black power.

Chego no cabelo crespo. Uma característica, mostra ancestralidade, raízes, herança. O fio crespo não reflete luz como o liso. Seu formato é em zigues-zagues ou mini cachinhos que, por possuir tantas curvas, não recebe óleo natural até as pontas. Por isso sempre é bom nutrir com óleo ou produtos que contenham manteiga na sua composição. É um fio frágil, fino e requer cuidados específicos para estar sempre saudável. “Mas como eu sei que um fio crespo é saudável se ele não brilha como o liso? Se ele não se mexe como o cacheado?” Lembra do que eu falei no começo? DIFERENÇAS. O brilho do crespo é diferente, mas é perceptível a sua saúde quando bem cuidado; cresce pra cima e é seco por natureza, logo não terá o mesmo movimento que um fio cacheado. Espera! Mas porque estamos comparando um fio com o outro? Se são distintos, já sabemos que não reagem da mesma forma né? Este é o ponto!

Todas as estruturas são bonitas à sua maneira. O que fazemos aqui é ajudar a tratar e demonstrar que é naturalmente bonita sim! Conheça seu cabelo, passeie pelo Naturalmente Bonita e veja quanta existe no diferente. Quando a gente se permite conhecer, o que é belo só aumenta aos nossos olhos.

.

Beleza Diferenca _ Maraisa

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas ajudar as mulheres a se sentirem lindas.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Porque a moda tem a ver com a autoestima?

28.set.2018

Já aconteceu com você de ter um compromisso muito, muito especial, seja uma entrevista de emprego, uma reunião decisiva ou até mesmo um jantar com o boy e, para essa ocasião, ficar pensando no que ia vestir? No que seria “certo ou errado”? E já aconteceu com você de usar uma roupa e sentir que ela te deixou poderosa demais, com força suficiente para enfrentar uma determinada situação-limite na sua vida? Vamos falar sobre moda e autoestima!

moda autoestima

.

Pois é, então…

Às vezes, a gente, as pessoas ao nosso redor, aquele artista na TV ou o influencer X no Instagram podem dizer que moda não tem nada a ver com nada, que não vale a pena ligar pra isso ou que tudo é muito fútil. Mas o que nem sempre a gente para pra pensar é que as roupas, sapatos, bijoux, make-up, o que seja que usamos são ferramentas capazes de levantar a nossa autoestima, de fazer nos sentirmos bem conosco mesmo ou até podem ser uma forma de passar uma mensagem pro mundo sobre quem somos, sobre coisas em que acreditamos ou desejos que têm muito a ver conosco. Chega até a parecer uma tradução da nossa alma, sabe?

moda autoestima

.

É claro que quando se trata do “vestir-se para empoderar-se” não necessariamente precisa ser vestir-se com roupas caríssimas, sapatos desconfortáveis ou complementar com aquela bolsa de grife que acabou de chegar às lojas – e que custou um mês de salário! Isso não!

Acho que moda empoderada, autoestima e confiança têm pouco, mas muito pouco mesmo a ver com o dinheiro que se gasta nisso ou naquilo. Acredito muito que essa questão da autoestima refletida na moda tem muito mais a ver com usar peças que reflitam nosso estilo, nosso jeito de pensar e de ser, nossos valores e também nossos gostos, preferências e estilo cultural.

moda autoestima

Ai, quantas vezes não usei uma camiseta do Nirvana pra “gritar ao mundo” que sou louca por essa banda ou quantas vezes não usei minha “camisa da sorte”, muito bem passada, hehe, com aquela saia preta coringa, pra apresentar planilhas e resultados em uma reunião importante no trabalho… Isso já aconteceu com você? A gente se sente muito forte, né? Ah, e só detalhe, essa tal camisa não custou nem R$ 40,00, mas eu a amo porque acho que cai bem em mim, não amassa e tem minha cor roxinha preferida, por tudo isso, com ela me sinto mais forte.

moda autoestima

Não dá pra negar que também existe o outro lado da moeda, quando uma roupa pode nos deixar tristes, fazer com que sintamos que nosso corpo não é “perfeito” (como se existisse, realmente, um corpo “im-perfeito”, né, gente?!) ou que não estamos à altura daquele compromisso ou das pessoas que fazem parte do tal compromisso. Isso é hard, bem hard, totalmente nocivo e um erro do tamanho do mundo!

Essa questão negativa do vestir, dá muito o que falar e, sem dúvida, podemos deixar isso pra uma próxima coluna porque hoje, neste nosso bate-papo, quero falar de quando as roupas e os acessórios são nossos aliados e fazem bem pra gente!

moda autoestima

Por isso, pra fechar, quero compartilhar por aqui uma história que vivi e que me tocou demais:

Estava eu participando de uma ação de voluntariado, servindo refeições para moradores de rua e, no momento em que eles começaram a entrar no enorme salão do refeitório, vi um homem com uma bermuda, chinelo e camiseta regata. Em suas mãos, havia uma sacola plástica. Quando ele se sentou na enorme mesa coletiva para receber sua refeição, a primeira coisa que fez foi abrir sua sacola e colocar um blazer. É claro que não era de luxo, é claro que ele devia tê-lo recebido como doação. Estava, sim, bem amarrotado, sujo e rasgado nos cotovelos, mas quando ele o colocou no corpo, abriu um sorrisão e quando percebeu que eu o observava, ele me disse “Dona, a gente tem que ficar bonito pra cumé, né?”. Puxa, achei tão bonito isso! Achei uma oportunidade incrível de ver como uma roupa simples pode alegrar a vida de uma pessoa e como aquele jantar era uma ocasião importante, importantíssima para esse morador de rua!

Agora, me conta você, qual roupa te deixar empoderada, com a autoestima lá em cima!

moda autoestima

Se você acha que além do que veste, o seu cabelo também diz muito sobre você e sua autoestima, confira esse post.

Fonte das imagens: HuffPost, Iris Apfel, Baddie Winkle, FreeImages, OutfitTrends, My Big Fat Fabulous Life

É consultora de moda, coolhunter e personal stylist formada em Propaganda & Marketing pela Universidade Mackenzie e pós-graduada em moda pelo Studio Berçot (Paris) e pelo SENAC-SP. Como produtora cultural, gerenciou projetos em órgãos públicos como na Embaixada da Espanha em São Paulo e no Museu da Cidade de São Paulo. No O Avesso da Moda é criadora e editora-chefe do blog.

Mirian Herrera

É consultora de moda, coolhunter e personal stylist formada em Propaganda & Marketing pela Universidade Mackenzie e pós-graduada em moda pelo Studio Berçot (Paris) e pelo SENAC-SP. Como p...

Topa um desafio de praticar a sustentabilidade?

24.set.2018

Oiiiii, tutopom?!

Vamos falar sobre SUSTENTABILIDADE?

Sabe que eu estava pensando esses dias que virou tão normal essa palavra no nosso dia a dia, mas será mesmo que ela é uma verdade em nossas vidas? Confesso que fiz uma “autoanálise” e percebi que ainda posso melhorar e MUITO! Começando pelas pequenas atitudes. Uma delas foi levar ecobag no mercado. Passei a levar depois que participei da gravação da Websérie da Bio Extratus que debatemos sobre sustentabilidade, e na gravação fui desafiada a ter mais consciência com o nosso planeta. E a partir de então decidi ir muito feliz para o mercado com minha Ecobag! Entendi que ela é muito mais do que uma sacola, ela representa um planeta mais digno!

sustentabilidade ecobag

.

Sabe por que? Porque o nosso planeta está sufocado por bilhões de toneladas de plásticos.

sustentabilidade ecobag

.

Um resuminho pra você entender o tamanho desse impacto: a maioria desse lixo vai parar nos oceanos. O que acontece? Os peixes acabam se alimentando de plástico. Alguns morrem e outros, a gente ingere. Isso mesmo, nós humanos também podemos acabar ingerindo micropartículas de plástico que podem causar danos a nossa saúde. Isso é só pra você ter uma noção do perigo. Outro fator agravante é o tempo de decomposição: uma sacola de plástico pode levar de 100 a 400 anos para se decompor na natureza. Então, faz as contas de quantas sacolas você
utiliza quando vai no mercado. A conta no ano fica grande demais!

sustentabilidade ecobag

.

É por isso que te dou 3 razões para você parar de usar sacolinhas plásticas e levar já a sua ecobag para o mercado.

.

sustentabilidade ecobag

1. Nessa ecobag verde da foto que estou usando, você consegue colocar itens de, no mínimo, umas 4 sacolinhas de mercado. Ou seja, será muito mais prático para você carregar. Se mora em prédio então, superfácil levar no elevador ou subir as escadas.

2. Levando a sua ecobag no mercado, você estará espalhando a mensagem e mostrando através da sua atitude que você se importa com o nosso planeta e mais pessoas serão influenciadas.

3. E ela é multiuso, além do mercado, ela pode ir com você na praia, no picnic, no clube, enfim, ser sua companheira!

E aí, aceita o desafio?

Acredito muito que a mudança no coletivo deve começar individualmente!

Continuo revendo atitudes que posso melhorar. E você, qual atitude pode mudar?

Poste uma foto sua nas redes sociais com a hashtag #EcobagBioExtratus pra gente juntos espalharmos essa mensagem!

Bjokas da Japa e até a próxima :*

Érika Okazaki é Jornalista especializada em Design de Moda, Consultora de Imagem formada pelo IRCNY – Image Resource Center of New York. Abriu a própria fábrica de confecções aos 17 anos e adora empreender. Desde 2009 atua na área de comunicação com o Programa Na Moda, que já passou pela TV Bandeirantes PR, Record PR e Record News Internacional – Europa e África. Érika também é professora da Pós Graduação, palestrante e ministra Workshops de Moda e Imagem.

Érika Okazaki

Érika Okazaki é Jornalista especializada em Design de Moda, Consultora de Imagem formada pelo IRCNY – Image Resource Center of New York. Abriu a própria fábrica de confecções aos 17 anos...

Carregar Mais