Desabafo de uma gorda que namora

Prazer, esse é o Rodrigo. Nós nos conhecemos no dia 1o de janeiro de 2016, no sítio da minha família. Ele é primo da noiva do meu primo, que inclusive vão se casar neste mês de junho. Conversamos bastante nesse dia, trocamos mil ideias, jogamos truco, bebemos cerveja. Eu adicionei Rodrigo no facebook. Ele puxou papo e pediu meu whatsapp. Ele me convidou pra sair. Eu sugeri cinema. Começamos a nos falar todos os dias e sair pelo menos uma vez por semana. Desde o primeiro dia em que nos conhecemos, nunca deixamos de nos falar nem um diazinho. Em março começamos a namorar, nunca lembro o dia certo, ele sempre puxa minha orelha por isso.

Não sou muito de expor meu relacionamento nas redes sociais por uma questão minha mesmo, de querer preservar um pouco essa parte da minha vida. Mas, de uns tempos pra cá, senti necessidade de falar sobre um assunto específico que eu não sabia o tanto de mulheres que são atingidas por ele: o fato de uma gorda namorar um cara magro. Ou simplesmente mais magro que ela. Ou mais forte, enfim. Rodrigo é 100% adepto de academia, se deixar vai até sábado e domingo. Mesmo assim, nunca me cobrou nada com relação ao corpo ou afins, nem eu o cobro também.

Desde que ele começou a aparecer um pouco em stories, fotos no meu perfil pessoal, marcações com amigos e até mesmo no encontrinho que fiz aqui em BH, muitas mulheres vieram me perguntar sobre como namorar sendo gorda, como não basear qualquer frustração amorosa no peso, como não se sentir pra baixo por causa de questões do corpo. E pra mim é muito simples: eu não sou só um corpo.

Rodrigo não me vê só como um corpo, apesar de ter certeza que ele gosta do meu. Nosso relacionamento definitivamente não é pautado na base da perfeição. Ele é pautado nos memes que a gente se marca no facebook, nos rolês com nossos casais de amigos que a gente tanto ama, no sushi que a gente marca de vez em quando no meio da semana pra sair da rotina, nas séries que a gente maratona no fim de semana e quase afunda o sofá de tanto ficar deitado.

Quando a gente cria um relacionamento baseado apenas na estética, a chance dele ruir é gigantesca. Isso não quer dizer que não precisa ter atração física. Mas quem somos nós pra falar o tipo de pessoa que atrai outra pessoa? Quem somos nós pra pautar que apenas um tipo de corpo deve ser desejado e qualquer outro deve ser infeliz no amor eternamente e nunca será amado? Difícil engolir, mas fácil de entender, né?!

Nunca consegui pensar na idéia de que seria infeliz pra sempre por ser gorda. Muito menos que alguém me trocaria por outra pessoa dentro do padrão apenas por estética. Aliás, se existe alguém que faz isso, essa pessoa é babaca. Até porque, padrões mudam, beleza passa e o que fica é o que temos dentro da gente. Então, vamos aproveitar esse dia 12, namorando ou solteira, culpando menos nosso próprio corpo e nos amando mais pra depois entregar amor a outras pessoas.

A beleza que eu enxergo no dia dos namorados.

Acho que o Naturalmente Bonita alcança mulheres dos mais variados status, da solteira a casada, da que namora ou apenas está saindo com alguém. A verdade é que não importa muito qual é o momento do seu relacionamento, se ele é um relacionamento sério com ou outro ou se você está sozinha, o que realmente importa é estar num relacionamento sério consigo.

 

Pode parecer clichê, mas a maior verdade é que para estar num relacionamento sadio com outra pessoa precisamos estar num relacionamento sadio com a gente mesma. Para isso cuidar da nossa saúde física, mental e emocional é muito importante. Se sentir bem na própria pele é um passo enorme na direção de nos sentirmos seguras, plenas, completas.

 

 

Acredito que se sentir naturalmente bonita tem uma enorme parcela nisso, independente de ser só para nós mesmas ou para encantar a quem a gente gosta. Se amar e amar o outro tem muito mais a ver do que a gente pensa, acredito plenamente que a gente só ama o outro de verdade quando encontra um jeitinho de amar a gente mesma, seja nosso caráter, olhar, seja aquele detalhe da nossa personalidade ou do nosso corpo. Um olhar generoso e amigo para com a gente mesma pode fazer uma diferença enorme nessa sensação de gostar de si.

 

Eu poderia falar de uma roupa linda para você passar o dia dos namorados, ou mesmo contar sobre alguns dos maravilhosos produtos de cabelo sobre os quais falamos aqui, mas a verdade é uma só: nenhum produto, maquiagem ou cabelo vai substituir o melhor acessório que você pode usar: O AMOR PRÓPRIO

 

Todo o universo de beleza pode – e deve – nos ajudar na sensação de segurança e auto confiança, mas só nós mesmas temos o poder de nos sentirmos naturalmente bonitas. Então, nesse dia 12 de junho, vamos apostar no melhor segredo de beleza que eu já vi ser usado: olhar pra si com o mesmo amor, compreensão e carinho, os mesmos que usamos para olhar pra quem a gente gosta.

 

Seja lá como você vá passar seu dia dos namorados, garanta que você vai passar num relacionamento sério consigo mesma, isso vai fazer a maior diferença. A melhor luz é a que vem de dentro, a gente percebe ela numa foto, num olhar ou mesmo na reação da outra pessoa, então que a gente se preencha de luz e se curta mais. Que esse namoro com a gente mesma não acabe nunca, porque não conheço segredo de sucesso maior do que esse.