Uma celebração à autoestima

18 de fevereiro, sábado, um dia após meu aniversário, lá estou no aeroporto de Congonhas embarcando para o Rio. O motivo? Uma pool party; mas esperem…. não era uma festa qualquer, era uma festa do blog Futilidades! Escrito por Carla Paredes e Joana Cannabrava. O blog, por muito tempo, teve a sua linha editorial focada em moda. Sim, uma crônica ou outra pelo meio do caminho mas o slogan era “Quem disse que o fútil não pode ser útil?”

Depois de anos, as meninas sentiram necessidade de mudar, viram que o público mudou, o mundo mudou e a moda cada vez mais restringia os corpos femininos. Então, em 2017 o “Quem disse que o fútil não pode ser útil?” se tornou “Um papo sobre autoestima”. Um novo caminho, uma nova vertente, uma conversa com mulheres que, expondo ou não, possuem(possuíam) o mesmo problema: a falta de amor próprio.

Um grupo no Facebook foi criado e em menos de 3 meses já contava com mais de mil mulheres (sim, apenas mulheres), que compartilhavam seus amores, desamores, vida profissional, desabafos sobre distorção de imagem e muito mais do que você possa imaginar. A causa foi longe e se tornou esta festa linda que eu pude participar em 18 de fevereiro no hotel Grand Mercure Riocentro. O melhor da festa? Todas com roupa de banho SEM IMPORTAR O TIPO DE CORPO. Porque é isso que o grupo surgido do blog celebra: a autoestima acima de tudo! Se você está bem com o seu corpo, não importa o que as pessoas digam, você se basta!

Foram quatro horas de conversas, risadas, encontros, desabafos e muita, mas muita diversão. Eu, como amiga das meninas, fiquei tão feliz e tão realizada com este projeto que precisava escrever sobre. Eu precisava falar que me senti completamente à vontade com meu biquini (coisa que não acontece na piscina no prédio). Me senti feliz ao ver tantas mulheres se ajudando e se amando acima de tudo. Vovó sempre dizia e mamãe sempre diz: “Antes de amar qualquer pessoa você precisa se amar primeiro”E isso foi aplicado com maestria na grupo do Facebook, na pool party e é aplicado todos os dias no blog: f-utilidades.com.

Não era para celebrar Carla ou Joana, não era para celebrar uma marca específica, não era para comemorar milhões de seguidores em alguma rede social: Era para celebrar a melhora e a autoestima das mulheres ali presentes, era por uma causa, era por algo muito maior que perdurará neste novo rumo que o Futi tomou. Um encontro feito para as leitoras que viraram amigas que se fizeram um grupo de ajuda que eu tenho a honra de fazer parte.

E sabe a minha alegria? Em saber que empresas como a Bio Extratus apoiou a causa sem pensar duas vezes. “Sim, vamos ajudar! Sim, estaremos presentes neste momento de mudança com o Futilidades”. Na minha cabeça isso vai além de vender produtos, vai além de comercializar cosméticos, isso vai ao encontro da necessidade das mulheres atuais. Não queremos mais engolir forçadamente aquele padrão que a mídia nos impõe. Não queremos mais tentar, a todo custo, sermos perfeitas porque o mundo diz que aquele é o corpo ideal. São poucas, MUITO POUCAS as marcas que abraçam uma causa como esta e desta forma.

Ver as meninas testando os produtos no cabelo, usando as escovas, conhecendo tudo com sorriso nos lábios me fez feliz. Feliz porque eu também trabalho neste meio há muito tempo; e sei o quanto é difícil ajudar uma mulher dita fora do padrão a se sentir linda. E as meninas não fizeram isso com uma, mas com várias. O meu orgulho vai onde? LÁ NO CÉU!

Se quiserem ver com detalhes cada etapa, cada passo desta festa linda, só acessar o Futilidades que estará recheado de fotos, textos e muito, mas muito conteúdo para você sair de lá se sentindo a mais diva do mundo. Ou, no Instagram, use a hashtag #paposobreautoestima e #paponapiscina que você se encantará com as fotos e depoimentos. Ah! O grupo no Facebook é fechado, mas com amor e carinho as solicitações serão aceitas (apenas de mulheres e se tiverem realmente interesse em participar e contribuir com seu depoimento ou mesmo ajudando as amigas).

O post de hoje foi escrito com o maior amor do mundo. Falei de amigas que amo e deram um show. Desculpem se por algum momento rasguei um pouco de seda, mas como não fazê-lo com esta felicidade que sinto em mim? hahaha

Mil beijos
Mah

 

Prazer, Maraisa Fidelis

IMG_1224

Oie! Tudo bom pessoas lindas?

Já disse no título o meu nome, né? Então resta dizer que: tenho 27 anos, escrevo o blog Beleza Interior há cinco, sou completamente louca pela minha família, acredito que toda mulher é linda com suas particularidades, tenho o cabelo crespo e inicio hoje a minha “coluna” aqui! Ai que bonito falar coluna, me senti alguma coisa agora! hahahaha

Mencionei, na breve descrição acima, que tenho o cabelo crespo. O fiz porque é o maior motivo pelo qual as pessoas me encontram na internet. Cuidar deste tipo de cabelo é fácil para quem já se acostumou; porém, quem começa a cuidar do seu cabelo naturalmente crespo agora, pode se perder um pouco.

Hoje eu quero contar algumas coisas que descobri sobre o meu fio depois de deixá-lo natural. Sim, eu já usei química por muito tempo! Estou há 2 anos e meio sem nada que mude a estrutura do fio, mas tem tintura aqui! rs (este assunto da química podemos deixar para outro post). Voltando… Eu realmente não sabia como cuidar do meu cabelo natural. Algumas noções eu tinha, mas tive que errar inúmeras vezes para aprender.

*O fio crespo não é tão resistente como pensam
Sempre que começo a conversar sobre o meu cabelo com alguém, a pessoa me diz que ele é super forte. Que deve aguenta mais químicas que os outros, que não quebra com facilidade entre outras coisas. É claro que o crespo pode lindamente ser saudável e bem resistente. Entretanto, é um fio fino que requer cuidados porque é frágil. Isso quer dizer que se você não desembaraçar corretamente, se não usar produtos adequados ao momento ou não entender suas necessidades, ele vai sofrer como qualquer outro ou até mais.

 *O óleo é meu melhor amigo
Óleo, manteiga, tudo que contenha gordura é maravilhoso para um cabelo crespo. Por que Maraisa? Explico!
O fio de um cabelo crespo nasce fazendo ondinhas e zigues zagues. São tantas voltas pequenininhas que o óleo natural que todo cabelo tem, não consegue sair da raiz em direção às pontas e comprimento. Isso resulta em um cabelo com menos brilho. Aí que entra o óleo para finalizar, umectar (antigo banho de óleo), ou passar sempre que surgir vontade. Nutre e deixa o cabelo lindo de se olhar!

*Não é fácil entender como ele reage
Vamos supor que você entra na internet procurando vídeos de meninas crespas. Por um instante você pensa que aquilo pode solucionar os seus problemas, já que aprenderá a cuidar do cabelo com alguém que tem o mesmo tipo que o seu. Ledo engano! O que funciona para um cabelo crespo, pode não funcionar para o seu. Minha irmã gosta de cremes que não são bons para o meu cabelo; já eu gosto de alguns que ela não pode nem pensar em usar.
Tudo envolve tentativa e erro. O que não vale é desistir no primeiro erro!

*Existem diversas formas de finalização
Lá em 2013, quando cortei toda a química, eu não tinha a noção das possibilidades do meu crespo. Sempre achei que era só passar creme de qualquer jeito e okay. Mas não pessoas lindas! Existem tantas formas de finalizar, tantas opções que até hoje eu não testei tudo. É fitagem com creme, com gelatina, é LOC, OG, twist, tranças, dedoliss…

Conhecer seu próprio cabelo sem química é interessante e legal pra caramba! Com o tempo, falaremos mais sobre este tipo de fio e também sobre estar bem consigo mesma.

E vocês? O que descobriam com seus cabelos depois de muito tempo?

Beijos
Mah