Autoestima, cabelo, corpo, e o mundo.

 

Sumi né? Mas cá estou novamente para conversar um pouquinho com vocês.

Pelo título do post já dá para imaginar o assunto. Quando penso em falar sobre o quanto mudei após deixar o meu cabelo natural; é tanta coisa que até me espanto. No meu caso eu pauto no cabelo porque realmente foi uma “libertação”mas para cada um pode ser outra coisa como: parar de ligar tanto para o corpo e deixar de querer ser padrão; usar a roupa que bem entende e não o que lhes impõe; pintar as unhas com as cores que bem desejar; largar aquele emprego e aceitar a proposta que realmente combina contigo…

Para falar a verdade, eu desejo conversar sobre como um item, algo não resolvido dentro de nós, pode mudar completamente quando solucionado. E no meu caso foi o cabelo.

Já falei por diversas vezes que fiz muitas químicas, mas lá em 2013, quando decidi parar com tudo, algo mudou. E eu não digo apenas por fora, não foco na minha aparência. Mas o negócio aconteceu aqui dentro. Eu passei a me olhar no espelho e entender quem eu sou, meus traços, minhas características, que sou bonita independente de qualquer padrão imposto. Isso é difícil pra caramba! Tenho 27 anos e fui me entender só com 24.

No momento que eu falo “me entender”, é gostar da imagem refletida, é me achar linda, é andar na rua com confiança, com o rosto empinado mesmo, mudar a forma de falar e me portar. Hoje eu não tenho mais vergonha de algo, eu não me encolho quando escuto algo desagradável, sei me impor e acho isso apenas MARAVILHOSO! Acho tão maravilhoso que quero espalhar para todas as pessoas que eu puder. SE AMEM EM PRIMEIRO LUGAR! Quando você se ama, a vida flui de uma forma indescritível.

É fácil lidar com autoestima em um mundo cheio de padrões? Nem um pouco! É fácil se achar bonita com trocentas campanhas esfregando modelos magérrimas na sua cara? MAS NEM FERRANDO! O que a gente precisa trabalhar é a nossa mente. Ela, que no final das contas, comanda tudo. A mudança pode ser no cabelo, na roupa, no corpo, na forma de falar ou mesmo de se comportar; não importa. Sempre tem um click aí dentro que te desperta para o que você realmente é e o que realmente deseja ser, independente do que pensam.

Que tal refletir um pouco sobre isso? Que tal olhar no espelho e repetir o mantra “Eu sou linda, eu sou fod*?” Minha mãe sempre diz que a palavra tem poder e eu acredito piamente nisso. Nada é fácil no início, eu chorei rios quando me vi com o cabelo curtíssimo, mas depois de alguns meses percebi que eu era mais que um cabelo.

Creia, você também é mais que um cabelo, um corpo, uma altura, um peso, um rosto, uma forma de se vestir. Você, eu, nós temos muito o que mostrar para este mundo.

Bora juntas?

Beijos
Maraisa Fidelis

Deixe seu comentário