E quando o Photoshop dá certo?

Outro dia me peguei refletindo com uma amiga sobre a relação entre o photoshop e autoestima. É engraçado pensar que uma ferramenta feita para editar e embelezar imagens pode se tornar um vício e, usado em excesso, pode gerar muitos problemas psicológicos. Quando se trata de uma pessoa pública então, o buraco é mais embaixo. Quantas vezes não vimos fotos grotescas com edições toscas em que o fundo fica extremamente alterado e dá para ver, claramente, onde foi modificado?

 

Já vi vários perfis de sátira no instagram mostrando essas diferenças gritantes e diminuições de medidas toscas nas edições. Todos eles sempre mostram imagens de mulheres famosas, que diminuem cintura, aumentam quadril, deixam o bumbum e os seios lá em cima, se transformam com essa ferramenta. Quando esse erro de modificação fica na cara, o resultado é uma chacota nacional, que sai do instagram e cai na boca do povo e dos grandes portais de fofoca brasileiros.

Mas e quando essas edições funcionam? E quando é feita de forma tão profissional que realmente parece que o corpo da pessoa é daquela forma? Pensem em quantas milhões de mulheres seguidoras se cobram, todos os dias, para conquistar um corpo como o de uma atriz, modelo, musa fitness, blogueira, sendo que este nem é um corpo real. Quantas acreditam que uma dieta “low carb” vai deixa-la com aquela cintura maravilhosa, feita apenas com a ferramenta certa do photoshop ou outro aplicativo de edição qualquer.

Não é errado querer postar sua melhor foto em sua rede social. Não é errado escolher seu melhor ângulo para postar, nem colocar aquele efeito que deixa sua pele perfeita. O que eu acho errado é usar essas ferramentas de forma abusiva, que só ilude a si mesma e quem te segue. O photoshop e autoestima estão muito relacionados. Temos que sempre refletir sobre o que vemos nas redes sociais, o que pode nos agregar positivamente e o que pode nos deixar pra baixo e refletir na forma como nos vemos no espelho.

Deixe seu comentário