Naturalmente Bonita

Outubro Rosa: mudanças de hábito que podem prevenir o câncer de mama

15.out.2018

Você conhece alguém que já teve câncer de mama? Os números assustam: estima-se que surjam mais de 550 mil novos casos de câncer no Brasil por ano – e a tendência é que continuem aumentando. Outubro é o mês de conscientização sobre o câncer de mama e muito se fala em prevenção, através do autoexame, mas pouco se divulga que um dos principais fatores preventivos é a mudança na alimentação e o abandono de hábitos nocivos, como o consumo de carnes, açúcar, laticínios e bebidas alcóolicas, além do tabagismo e do sedentarismo, comprovadamente associados ao surgimento de tumores.

Em outubro de 2016, graças a campanha do Outubro Rosa, minha irmã foi diagnosticada com câncer de mama. Ela tinha identificado uma pequena mancha rosa no seio, que dermatologistas e até ginecologistas diziam que não era nada. Por insistência dela, a médica solicitou a mamografia e foi diagnosticado um tumor maligno pequeno, mas com potencial de se espalhar rapidamente.

Após o desespero inicial que a notícia provocou em toda a família, me debrucei sobre a pesquisa de tratamentos alternativos até que descobri que a alimentação vegana e crua é um dos principais fatores de prevenção e até da reversão da doença. Ao apresentar essa possibilidade para a minha família, através de livros e conteúdos na internet, todos consideraram que adotar uma adotar uma alimentação baseada em frutas e em vegetais crus parecia uma solução radical e ineficiente.

Nessas horas é difícil questionar os médicos sobre a eficácia do tratamento convencional protocolar, extremamente invasivo e cheio de efeitos colaterais. A maioria das pessoas se submete, sem hesitar. No entanto, eu questionei: será que fazer cirurgia e quimioterapia é mais radical que simplesmente mudar hábitos?

Em sua luta particular contra o câncer, a Dra. Odile Férnandez Martinez, médica espanhola, descobriu que adotar uma dieta vegana e crua, rica em frutas e em vegetais, associada a eliminação de hábitos ruins pode ajudar o nosso corpo a eliminar as células malignas. Além de ela ter se curado de um câncer, com metástase, lançou um livro chamado “Minha Vida Anticâncer“, em que expõe dicas de alimentação e de hábitos saudáveis, para prevenir e tratar a doença. Todo material tem embasamento científico, já que ela também é médica.

Felizmente, tanto a doutora Odile, quanto a minha irmã, se curaram após optarem pelo tratamento convencional, associado às mudanças nos hábitos que são considerados prejudiciais. Apesar de eu não ter sido diretamente afetada pela doença, ela me transformou profundamente. O medo de perder a minha irmã me motivou a mergulhar numa ampla pesquisa sobre os benefícios da alimentação crudívora para a prevenção de doenças crônicas e degenerativas.

Foi assim que descobri que consumir alimentos crus é a forma mais saudável e nutritiva de ingeri-los e que esse hábito associado à redução do risco de câncer e ao aumento das taxas de sobrevida depois de sua ocorrência. Isso porque essa alimentação é naturalmente adaptada à nossa espécie, produz menos inflamações e estresse digestivo, permitindo que o nosso sistema imunológico trabalhe melhor, atacando a doença.

A alimentação crua e vegana também ajuda a controlar a glicemia, é pobre em gorduras saturadas, rica em fibras, vitaminas e sais minerais e ajuda na perda de peso, ou seja tem o potencial mantém o equilíbrio do corpo.

Recomendo que assistam a um vídeo, bastante completo, em que um nutricionista brasileiro e crudívoro apresenta dados científicos que relacionam o câncer aos nocivos hábitos alimentares contemporâneos, principalmente ao consumo de produtos de origem animal.

.

Talvez eu ainda não tenha superado completamente o trauma de ter vivido um câncer na família. Apesar de estar atenta ao meu corpo, de fazer o autoexame com regularidade e de ser vegana há seis anos (e crudívora/frugívora há quase dois), às vezes me questiono sobre as consequências de ter vivido um estilo de vida nocivo durante a maior parte da minha vida. Talvez por isso eu ainda não tenha enfrentado o desafio de fazer uma mamografia, exame que detecta a presença de células cancerígenas. Quero em breve voltar aqui para contar que meus exames estão ótimos!

Espero que vocês pesquisem sobre o assunto, que se cuidem e que considerem incorporar mudanças de hábitos como abandonar o tabagismo, o consumo de bebidas alcoólicas, evitar o contato com substâncias tóxicas e potencialmente cancerígenas, em cosméticos, produtos de limpeza e até utensílios de cozinha. Mais do que isso, espero que vocês descubram os prazeres de viver uma vida saudável, com a prática de exercícios físicos e uma postura positiva e equilibrada diante da vida e seus desafios.

Viver com saúde é a minha prioridade. Por isso, agradeço a Deus todos os dias pela minha vida e saúde, pela vida da minha irmã, por ter acesso a informação e a oportunidade de disseminá-la.

outubro rosa

Nanda Cury e Carol Cury no Picnic frugi

.

Nanda Cury

Criou o Blog das Cabeludas, Crespas e Cacheadas em 2008 e é uma das idealizadoras da Marcha do Orgulho Crespo Brasil (2015). Ambas iniciativas tem objetivo de empoderar mulheres a aceitarem seu...

A beleza está nas diferenças

12.out.2018

Eu sei que este título pode parecer óbvio e até mesmo repetitivo nos dias atuais. Volta e meia aparece no nosso feed algum post sobre se aceitar como é ou uma foto motivacional com pessoas dos mais diversos fenótipos. Mas será que ao olharmos conseguimos entender que cada um tem a sua beleza? Será que já nos desconstruímos de tanto ler sobre?

Serei o mais sincera possível: Eu ainda não. Trabalho isso todos os dias com as pessoas ao meu redor e principalmente em um grupo de Whatsapp que tenho com mais três amigas. Todas diferentes, todas com bagagem distintas e dispostas a ouvir. É preciso treinar o ouvido, treinar os olhos, calar mais e falar menos.

Ame sua Natureza é a campanha da Bio Extratus que vocês já viram na rede, né? Se não, olha pro banner aqui do lado e veja quantas mulheres lindas! Trabalhar com cabelo, ainda mais no Brasil, é abranger uma diversidade imensa de tipos, cores, estruturas, comprimentos, texturas e necessidades. É ter este olhar cuidadoso e entender que um fio cacheado não reage da mesma forma que um fio liso. Um fio ondulado não se comporta como um fio crespo; e tá tudo bem! Quebrar a antiga concepção do que é bonito e bem tratado é o primeiro ponto. É claro que a marca possui profissionais para entender tais fatores, mas e a gente? Quebramos nossa concepção de belo? Temos a consciência de que beleza é socialmente construída e desconstruída década após década? Vide as pochetes que eram bregas e hoje fazem o maior sucesso! Aliás, eu amo usar as pulseiras da minha mãe da década de 70! Os anos 70… precedido pelo festival de Woodstock, faça amor não faça guerra, hippies, black power.

Chego no cabelo crespo. Uma característica, mostra ancestralidade, raízes, herança. O fio crespo não reflete luz como o liso. Seu formato é em zigues-zagues ou mini cachinhos que, por possuir tantas curvas, não recebe óleo natural até as pontas. Por isso sempre é bom nutrir com óleo ou produtos que contenham manteiga na sua composição. É um fio frágil, fino e requer cuidados específicos para estar sempre saudável. “Mas como eu sei que um fio crespo é saudável se ele não brilha como o liso? Se ele não se mexe como o cacheado?” Lembra do que eu falei no começo? DIFERENÇAS. O brilho do crespo é diferente, mas é perceptível a sua saúde quando bem cuidado; cresce pra cima e é seco por natureza, logo não terá o mesmo movimento que um fio cacheado. Espera! Mas porque estamos comparando um fio com o outro? Se são distintos, já sabemos que não reagem da mesma forma né? Este é o ponto!

Todas as estruturas são bonitas à sua maneira. O que fazemos aqui é ajudar a tratar e demonstrar que é naturalmente bonita sim! Conheça seu cabelo, passeie pelo Naturalmente Bonita e veja quanta existe no diferente. Quando a gente se permite conhecer, o que é belo só aumenta aos nossos olhos.

.

Beleza Diferenca _ Maraisa

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Moda: Tá diferente ou tá padrão?

10.out.2018

Depois de trabalhar com moda há tanto tempo, é fácil a gente olhar pra trás e ficar abismada – ou horrorizada! – com muitas coisas erradas, ostensivas e totalmente preconceituosas que aconteciam nesse mundinho fashion que pode ser tão pequenininho… Pequenininho, eu digo, de mentalidade, sabe? Mas, ó, só pra esclarecer, sem generalizações, tá? Porque quando a gente generalizada sempre dá errado e existem, sim, milhares de coisas boas na moda hoje em dia.

É claro que não vou ser falsa e dizer que tudo está bem e perfeito. Eu sei que ainda há muito por fazer e melhorar nessa área, mas também não posso deixar de enxergar as mudanças positivas que foram conquistadas.

moda

.

Sim, conquistadas, porque foi preciso luta, discussão e até lei para ampliar a representativa de modelos negros nos desfiles, por exemplo, e acho triste demais ter de existir uma lei assim e de precisar criá-la para exigir um percentual de participação negra nas passarelas.

moda

Anok Yai, segunda modelo negra (a primeira foi Naomi Campbell, em 1997), a abrir um desfile da Prada, depois de mais de 20 anos

.

Bom, mas nesse texto aqui, não quero apontar o dedo ainda mais para o que está errado e o que precisa de mudança agora, já. Eu quero conversar, fazer você puxar uma cadeira e bater um papo comigo sobre como as mudanças, que são poucas, mas são boas. Como é legal ver cada vez mais pessoas promovendo o respeito, se aceitando e se amando, mesmo que, pra alguns, isso ainda possa parecer ser “diferente”, fora do padrão, como assim?

Peraí, parêntesis aqui: acho que não vale mais a pena a gente pensar que existe “o ser diferente”, gente! O ser humano não é padronizado, não é tudo igual. Pelo contrário, é individual e é lindo em suas diferenças. O que deve, de fato, ser igual, pra promover mesmo igualdade, é o respeito, os direitos, a inclusão das diferenças, a individualidade, a compaixão pelo próximo e, até, as obrigações. Claro!

Mas voltando à moda, posso dizer que dá gosto de ver o quanto já foi feito pra mudar, pra representar, pra incluir e pra respeitar. Como assim?

Acho lindo de ver, e mais do que necessário, pessoas negras nas capas de revistas, nos anúncios da TV, no enredo principal da novela; adoro assistir a um desfile onde há espaço para a participação de modelos de várias idades – não só as novinhas! – acho lindo ver a modelo Paola Antonini brilhando na passarela. Também acho lindo e inesquecível o desfile somente com modelos transgênero de Ronaldo Fraga, que deu voz a pessoas, muitas vezes, deixadas de lado!

moda

Desfile de Ronaldo Fraga – SPFW N42

.

Também adoro ver as modelos curvy arrasando em cada passo nos desfiles, e, ó, como é lindo seu gingado. Gosto também de perceber que existem poucas, pouquíssimas mesmo, marcas que ainda usam peles de animais em suas coleções ou que não se preocupam com o impacto ambiental. Também fico feliz demais de ver a preocupação com o reúso de fibras de tecido (que antes iriam para o lixo, poluindo ainda mais o meio ambiente), sendo transformadas em novas e lindíssimas roupas.

moda

Desfile primavera/verão 2019 da Renner

moda

.

Ah, e gosto demais de ver marcas e empresas que respeitam o ser humano, que não admitem a participação de trabalho escravo em sua cadeia produtiva e que, cada vez mais, valorizam seus trabalhadores.

moda

Imagem da BBC

.

Mas como esse texto não é um livro, é claro que só citei alguns exemplos.

Sei que ainda tem muito a ser feito e que pode/deve ser feito, mas ai, como é bom ver a beleza dessas conquistas tão importantes para a igualdade e a representatividade. E que venham mais mudanças boas e positivas nesse nosso mundão, gente! Por aqui, eu tô sempre na torcida! E por aí?

Por Mirian Barranco Herrera (www.oavessodamoda.com)

Fonte das imagens: divulgação, Renner, BBC, Accessible Fashion Technology

Mirian Herrera

É consultora de moda, coolhunter e personal stylist formada em Propaganda & Marketing pela Universidade Mackenzie e pós-graduada em moda pelo Studio Berçot (Paris) e pelo SENAC-SP. Como p...

Tendência 2019: corte de cabelo!

8.out.2018

E aí, meu amores. Tudo bem?? Estou muito feliz em estar escrevendo sobre esse assunto que, pra mim é tão polêmico: corte de cabelo! Para quem não sabe, eu sou a louca do cabelo grande, morro de dó até de cortar as pontinhas rs…

Minha dica é sempre consultar um profissional, é certo que alguns cortes são mais fáceis que outros, mas ainda assim é importante contar com a ajuda de quem realmente entende. Isso ajuda a evitar frustrações na hora de escolher qual dos cortes de cabelo feminino 2019 você vai usar. Não é mesmo? Rsrs

Você sabia que muitas das vezes o cabelo curto significa saúde para os fios? Cortar faz bem. O uso frequente de secador, chapinha, produtos químicos e até mesmo a poluição do ar, são influenciadores diretos do mal estar no nosso cabelo, por isso, as pontinhas ficam todas ressecadas e com um aspecto feio. Em algumas situações a melhor solução mesmo é optar por um bom corte de cabelo.

Abaixo vemos uma opção de curto pixie cut lindíssimo:

corte cabelo corte cabelo

.

Também temos em alta o curto long bom:

corte cabelo

.

Vemos então uma opção de longo em camadas:

corte cabelo

.

Agora, uma opção de longo reto:

corte cabelo

.

Opção de médio:

corte cabelo

.

Opção de cacheados:

corte cabelo

.

E aí, vamos mudar??

Qual foi a opção preferida de vocês???

Tem cabelos finos? Confira as sugestões da Andreza Goulart, aqui.

Um beijoooo da Nat 🙂

Nat Lustosa

Nathalia, 23 anos, é advogada, mas sua paixão é o mundo da beleza – especialmente cabelo e maquiagem. Dedica seu tempo a produzir conteúdo simples e acessível, buscando ajudar as pessoas a se s...

Mas afinal, o que é Big Chop?

5.out.2018

Recentemente teve post no insta da Bio (@bioextratus) falando sobre o tão temido Big Chop. Primeiro vale uma rápida explicação do que se trata: Big Chop é o momento do “Grande Corte”, onde a pessoa decide tirar toda a química dos fios passando a tesoura; e assim, deixar o cabelo crescer naturalmente. Isto posto, por que ele é tão temido? Qual o problema de cortar o cabelo? Ah… a história é longa!

Retirar toda a química que altera a estrutura do fio – alisamento, relaxamento, permanente, progressiva…- implica, na maioria das vezes, deixar o cabelo muito curto ou mesmo ficar sem! Sim, raspar! E para uma mulher decidir fazer isso é porque ela já cansou de tentar se encaixar num molde que não lhe serve. Crescemos ouvindo de todos os lados que mulher deve deixar os fios longos, que é mais bonita com cabelo comprido, que liso é o melhor cabelo e por aí vai. Então, uma crespa ou cacheada tenta a qualquer custo entrar no padrão para ser aceita. Envolve emocional, envolve história, envolve memórias. Eu passei por isso precisamente em 30 de setembro de 2013.

.

Big Chop 1 _ Maraisa

Estava sentada na cadeira do salão e cortei. No momento eu olhava fixamente para o meu celular e não quis pensar em mais nada. Estava há quatro meses sem relaxar, deixando crescer e cortando aos poucos. Mas não sei o que me deu neste belo dia de primavera que resolvi cortar. Estava sozinha. Quando cheguei em casa desabei! Me senti feia, me senti menos mulher, me senti sem um pedaço.

Não, não é apenas um cabelo. É tooooda uma vida tentando se adequar, e é o momento que você passará a conhecer seu cabelo DE VERDADE. Como o meu fio se comporta? Como ele é? Quais produtos eu usarei para cuidar? Eu não sabia nada disso até os 24 anos de idade.

Hoje, cinco anos depois, tenho outra relação com o meu crespo! Amo como ele é e me permito cortar quando bate vontade e tingir da cor que surge na mente. O melhor de tudo? Não preciso mais me preocupar com produtos. Se lá atrás não víamos em lugar algum cremes específicos para crespos e cacheados, hoje são diversas opções! Botica Cachos, Nutri Cachos e também a linha Força com Pimenta, que ajuda no crescimento dos fios.

Pode passar pelo Big Chop sem medo que depois é só alegria. Cuidado não vai faltar para celebrar essa natureza.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Carregar Mais