Ultravioleta, como usar: cinco dicas fáceis

Juro que me surpreendi – e que até achei engraçado! – ao ver como a nuance Ultravioleta, eleita pela Pantone como a cor do ano de 2018, provocou reações variadas. Houve quem comemorou (roxo-maníacas como eu), assim como quem torceu o nariz, por considerar esse tom como uma cor capaz de “apagar” as pessoas.

Sendo bem sincera, acho que isso é generalizar demais, já que o Ultravioleta, uma cor bem aberta e alegre, só consegue deixar alguém “apagado” se a pessoa quiser. Existem formas fáceis de levantar o look, deixando-o bem interessante ou conferindo equilíbrio para que a composição não fique nada sem graça.

Vale dizer que, apesar de a cor divulgada pela Pantone ser incrivelmente vibrante, a indústria da moda já se mobilizou no sentido de explorar em roupas, sapatos e demais acessórios. Mas com uma variedade enorme de tons arroxeados, que vão desde um delicado lilás até chegar a um ameixa profundo.

Como acredito que vamos ver “50 Tons de Roxo” chegando por aí nas coleções nos próximos meses, resolvi montar este guia rápido sobre o Ultravioleta e seus “parentes próximos”, com dicas simples de colocar em prática. Vem comigo!

 

1. ROXO + TONS NEUTROS

Sem dúvida, o caminho mais fácil e simples para um look interessante é aliar o Ultravioleta a tons neutros, que ajudam a equilibrar a composição e a deixá-la mais sofisticada. É a opção perfeita para ambientes profissionais mais sérios e conservadores. Para quem busca uma opção mais casual, o tiro certeiro é incluir o jeans na composição, arrematado por uma bela botinha… ah, se a bota for branca, pode ter certeza que seu look vai parecer mais atualizado ainda!

 

2. ROXO + CORES VIBRANTES

Aliar o violeta a tons neutros pode, para algumas pessoas, surtir o efeito de “look apagado” ou mais invernal. Por isso, a dica agora é combinar o tom com cores bem vibrantes, abertas e solares. A cartela de cores quentes que mais combinam com o roxo inclui amarelo, vermelho, coral e rosa (desde o mais clarinho até o mais pink ou fúcsia). O verde, apesar de ser uma cor fria, também pode funcionar muito com o roxo. Experimente!

 

3. ROXO + ESTAMPAS

Sei que, para algumas pessoas, usar uma peça roxa combinada a outra peça estampada pode parecer um exagero. Mas sabia que essas duas peças podem casar muito bem e criar um look mais criativo? Para isso, minha dica é optar por estampas em tons neutros, com uma pegada mais gráfica e geométrica. No caso de pessoas que gostam de estampas mais românticas, vale investir em florais coloridos, mas que, de preferência, contem com alguma nuance arroxeada ou que tenham nuances que harmonizem com o roxo. Para pessoas mais ousadas, vale apostar na mistura de estampas e criar um look bem descolado.

 

4. TOM SOBRE TOM

Nem todas as cores funcionam bem na hora de compor um look tom sobre tom, mas este, certamente, não é o caso do roxo. Ele superfunciona com toda sua gama de nuances, desde os tons mais clarinhos até os mais escuros, criando um visual total purple incrível. Ah, também vale investir na cartela de azuis e rosas para criar uma bonita variação degradê na composição.

 

5. ROXO NOS ACESSÓRIOS

Outra forma interessante de incluir o roxo no look é fazer com que ele se torne o ponto de cor na composição e, nesse caso, nada melhor que optar por um acessório vistoso, que seja capaz de chamar a atenção positivamente. Assim, vale qualquer acessório, como bolsa, sapatos, lenço, óculos, entre outros.

 

E pra você, a cor Ultravioleta é amada, odiada ou indiferente?

Fonte das imagens: Pinterest, Vogue USA, Versace, Divulgação, SheerLuxe, Elle España, Daily Mail, E! Online, Stylish 365, Lolobu, Outfits Hunters, Who What Wear, Harper’s Baazar, Paris Fashion Week, Nina Ricci

 

Ano novo, cabelo novo!

Oie!

Começamos o ano e, desta vez, não vim falar de mim, Maraisa Fidelis. Hoje falo da minha mãe! Sim: Edna Fidelis, mais conhecida como Mamãe Diva (por que Mamãe Diva Maraisa? Porque é só olhar para ela e vocês verão a plenitude! Minha mãe é uma diva Braseeeeel! HAHHAHAHAHA. Tá, falando sério eu não sei quando e por que eu e minha irmã começamos a chamá-la assim; só sei que ficou).

A história começa lá em 2013, setembro, quando eu fiz o meu big chop (ou grande corte – quando se tira toda a química dos fios). Estava sozinha no salão, sem meu namorado ou minha mãe para me apoiar. Cheguei em casa, sentei no chão, coloquei a cabeça nos joelhos da mamãe, que estava sentada no sofá, e desabei a chorar. Me achei feia, me senti péssima. Naquele momento, minha feminilidade tinha escoado pelo ralo; meu lado feminino estava no cabelo! Como eu faria?

Mamãe ficou tão mal que cogitou cortar o cabelo dela igual ao meu. Mãe é mãe, né? Mas no dia seguinte eu já estava outra pessoa e pronta para encarar a saga dos fios naturais. Mamis continuou com a química.

– Pausa para entender a química no meu cabelo e no cabelo de mamãe –

Eu já usei diversas químicas no cabelo: relaxamento, permanente e alisamento. Minha mãe sempre usou uma: henê. O henê é tenso porque nada vai com ele! É uma das químicas mais fortes e incompatíveis. Porém, desde quando me conheço por gente, mamãe tinha os fios alisados pelo henê. Foram 28 anos dessa dependência.

De 2013 pra cá, eu conversei com mamãe diversas vezes para ela deixar o cabelo natural, mas e o medo? E o receio de não saber cuidar? E a coragem de cortar a química ou ficar com duas texturas? Aproximadamente no meio de 2017, ela decide largar o henê e começa a transição.

Neste período, ela só usou a linha Força com Pimenta. O foco era fazer o cabelo crescer e ao mesmo tempo deixá-los fortes. Toda a linha foi pensada para o crescimento dos fios, o legal é que tem embalagens de diversos tamanhos e, como seria um tempo grande de transição, optamos pelas apresentações de 1kg. Foi sucesso de audiência. Mamãe percebeu que os fios novos vinham mais fortes e começou a ver qual o formato deles. Além disso, viu brilho e um crescimento mais rápido do que o habitual.

Chegamos no final do ano, dezembro, mês do aniversário da mamãe e lá vamos nós no salão: ela cortou! Sinceramente? Eu achei que na hora ela não cortaria. VINTE E OITO ANOS cuidando do cabelo da mesma forma é tempo! Mudar assim, depois dos cinquenta, requer muita, mas muita coragem e determinação. Digo isso porque a época é diferente. Por mais que mamãe seja minha melhor amiga, ela viveu muito mais e cresceu num mundo completamente diferente. Mudar é preciso, mas também doloroso. Principalmente quando envolve a nossa imagem e autoestima.

Entretanto, me enganei e ela cortou. Sim, eu vi o medo nos olhos dela. Medo de como cuidar depois daquele momento, medo de não se reconhecer no espelho, medo do papai não gostar do corte (mamãe e papai são muito grudados e cada passo dado, um conta pro outro. Isso é assunto para outro momento, uma relação tão fofa que eu me divirto! hahahhahha). No fundo, o medo era do desconhecido, de ver o cabelo natural novamente e saber cuidar. Mas mamãe esqueceu de uma coisa, né? OLHA A FILHA QUE ELA TEM!

Então, lá vamos nós alternar as linhas! Sim, eu adoro fazer isso: alternar linhas em uso no cabelo. Agora mamãe usa Força com Pimenta e Botica Cachos Perfeitos. Ainda queremos estimular o crescimento dos fios e, em alguns momentos, “pegar leve” na lavagem com um shampoo sem sulfato ou mesmo co wash. O finalizador é Botica Cachos Perfeitos, para estimular os cachinhos de mamis.

Sabe o mais legal disso tudo? Que o cabelo da mamãe é completamente diferente do meu! Ela possui cachos mais abertos e não tão secos. Meus cachos são bem miúdos e às vezes zigues-zagues, fora que eu preciso de produtos com bastante óleo para um resultado bom, além de uma grande quantidade de finalizador. Já no cabelo dela, usamos bem menos para um bom resultado e com brilho absurdo!

E que seja bem vindo o ano de 2018, com cabelo novo e muitos cuidados. Por hora mamis parou de tingir, mas quando ela voltar, lá vamos nós com a Pós-Coloração. \o/

Lembrando que NÃO IMPORTA o que você faz no seu cabelo. Eu sempre gosto de deixar isso claro. Você pode usar química ou não; deixar alisado ou cacheado; relaxado ou natural; ninguém tem nada com isso. A única coisa que eu indico é: cuide dos seus fios e seja feliz com seu espelho!

Mamis tá feliz e foi tudo no tempo dela. <3

Beijos

Meus cuidados com os cabelos loiros

Depois que fiz minha transformação de visual para loiros com Bio Extratus Color, meus cuidados com os cabelos mudaram completamente. Os fios descoloridos e coloridos precisam de atenção especial para se manterem brilhantes e hidratados. Intensifiquei minha rotina de hidratação e testei algumas linhas específicas para meu novo tipo de cabelo. Hoje trago pra vocês quais são os produtos que ando usando e que vêm sendo meus grandes aliados para cabelos fortes e com uma cor viva. Espero que gostem!

Assim que terminamos todo o processo nos fios, a Laís, cabeleireira técnica da Bio Extratus, me contou quais seriam as linhas mais apropriadas pra mim. A primeira delas foi a Pós-Coloração, que tem como função hidratar, recuperar, proteger e aumentar a durabilidade da cor nos cabelos coloridos. Segundo a Laís, a linha protege os fios de ações externas, mantendo aquela nuance como no dia em que passamos a coloração. O que mais me encantou nos produtos foi a embalagem superdelicada e feminina, e a fragrância sensacional. Outro ponto que achei superlegal é que a linha toda é livre de sulfatos e liberada pra low poo.

 

Outra linha que, com certeza, é uma grande aliada pra manter os fios macios e saudáveis é a Pós-Química. Ela contém abacate e jojoba, que acabam promovendo uma restauração nos fios quimicamente tratados. Dentre os 5 produtos disponíveis nessa linha, o que mais curti e ando usando demais é a Manteiga de Abacate, que desmaia meu cabelo e o deixa megassedoso. Gosto de usá-lo especialmente em dias que vou curtir praia ou piscina, quando meus cabelos precisam daquele cuidado especial.

 

Também agreguei a linha Queravit aos meus cuidados diários. Ela é feita para cabelos danificados, pois reconstrói a queratina e fecha as cutículas dos fios. Acho que essa é a linha mais completa da marca, tem 10 produtos superdiferenciados e bacanas para os cabelos. Os que mais ando usando nos meus fios é o Pós-Shampoo, que alinha e sela as cutículas, deixando o cabelo bem protegido, e a Megadose, que é um excelente potencializador pra reestruturar e proteger os cabelos.

 

Já contei aqui em detalhes que ando usando também a linha Blond. Ela mantém meus cabelos bonitos no dia a dia e livre dos tons amarelados. Isso porque o desamarelamento é feito progressivamente. Ou seja, não precisamos esperar que o cabelo amarele pra usar um produto de cuidados. Ao longo dos dias de uso, ela vai deixando os fios incríveis e com brilho maravilhoso. Também foi uma das linhas que a Laís me indicou por eu querer manter esse efeito de loiro dourado.

E aí, gostaram das dicas dos meus cuidados com cabelos loiros? Comentem abaixo quais são os seus!

 

A cor do ano: Ultra Violet nos lábios!

Segundo a Pantone, a cor de 2018 é a Ultra Violet. Sim, os tons de violeta e roxo estão de volta com tudo. E não só nas roupas, mas na maquiagem, cabelos e unhas. Sem dúvida, é uma cor que dá muito contraste e dá para fazer combinações bem legais.

Mas tem muita gente que tem medo de usar uma cor tão forte assim e ficar com a maquiagem chamativa ou pesada. Pensando nisso, elaborei esse tutorial de uma make clássica que supercombina com uma boca roxa.

 

Passo 1: aplique uma sombra clarinha matte por toda a pálpebra móvel.

Passo 2: marque o côncavo com um tom de marrom.

Passo 3: ilumine com sombra cintilante rente à sobrancelha.

Passo 4: faça um delineado gatinho.

 

É bem fácil e aposto que vocês vão conseguir reproduzir aí. Olha que linda!

 

Pronto! Uma maquiagem superusável e linda para você ousar nos lábios escuros. O ponto de destaque fica no batom. Se você gosta de ousar mais, se joga no olho bem marcado e esfumado com batonzão. Vai ficar lindo também.

 

Espero que gostem e que copiem a ideia!

 

Produtos usados:

Sombras refil Mais Vaidosa 

Delineador em gel Quem disse, berenice?

Batom Lola Coleção Fashion MiMi

 

Verão livre de padrões de beleza

Entre as perguntas que mais recebo em minhas redes sociais estão aquelas sobre fatores que afetam a autoestima nesta época do ano. Como curtir o verão estando acima do peso? Como se jogar na praia sem make nenhuma? Como tirar férias do secador e da chapinha em dias de calor intenso? Pois bem, desde que comecei a pesquisar mais a fundo sobre autoestima feminina, especialmente na geração Instagram, me vi desafiada a enfrentar o verão de uma forma mais leve. Aliás, não só o verão, a vida toda.

Muitas vezes, nós relacionamos a nossa autoestima com o que as outras pessoas pensam da gente. Deixamos de usar certas peças de roupa por medo do que vão achar. Ficamos griladas quando saímos sem maquiagem, paranóicas achando que tá todo mundo olhando para aquela espinhazinha no nosso queixo. Nos tornamos reféns de acessórios de cabelo, pois vai que não me aceitam com meus fios naturais. Comecei a me questionar sobre quantas coisas eu estava a fim de fazer e deixava de lado por medo do que a sociedade me impõe.

Claro que não posso me julgar por isso, nem devemos nos martirizar por ter nos privado, durante um tempo, de ser quem somos de verdade. Vivemos em uma sociedade que possui padrões estampados na nossa cara o tempo inteiro. Revistas, TV, jornais e redes sociais se tornaram os maiores veículos da “vida perfeita”, que nem sempre temos acesso. Vemos cabelos sedosos impecáveis, maquiagens “naturalmente” bonitas, roupas que caem perfeitamente no tipo de corpo considerado ideal. Custamos a ver alguma representatividade de mulheres reais, com corpo real, rosto real, cabelo real, enfim. Somos bombardeadas o tempo inteiro por esse tipo de padrão e acabamos vulneráveis à queda da autoestima por meio da comparação.

Pois bem, queria propor a você um verão diferente, livre desses padrões de beleza que nos é imposto sempre. Podemos começar com um exercício de amor próprio, fazendo as pazes com o espelho refletindo a imagem do que realmente somos e usando os artifícios de moda e beleza como apenas um complemento para nos sentirmos ainda mais bonitas. Vamos sair nas ruas vestindo quem realmente somos, nossa personalidade e o que nos representa. Pois não é mudando que a gente se ama. É se amando que a gente muda. Bora entrar nesse projeto verão? Assim, todos vão notar uma versão de você muito mais feliz e renovada neste 2018!