Minha cirurgia de blefaroplastia

Oi, gentyyyyy… Como vocês estão? Hoje vamos falar sobre blefaroplastia, um assunto que muitas podem ver apenas como algo ligado à estética, mas posso garantir que vai muito além disso. Devemos avaliar também a questão da autoestima que pode mudar a vida de uma pessoa por completo, assim como está sendo comigo. Vou explicar de uma forma simples para que seja mais fácil compreender, pois quero contar toda a experiência antes, durante e depois da minha cirurgia.

Meu olho é bem pequeno e essa estrutura não se pode mudar. Porém, eu tinha aquela pele da pálpebra em excesso, o que, com o passar dos anos, acabou provocando um incômodo na hora da maquiagem. Meu côncavo não colaborava e quase nunca a sombra ficava em evidência, algo que me deixava sem ânimo na hora de me maquiar.

Busquei durante dois anos saber tudo sobre a cirurgia de blefaroplastia, quais seriam os benefícios em potencial e pesquisei até me sentir segura com um bom profissional para realizar o procedimento. Afinal, trabalho com minha imagem e me provocava muita preocupação a hipótese de algo não sair como eu gostaria.

Bom, após muitas pesquisas e conversas, encontrei o médico que me deixou supersegura e encorajada a realizar a blefaroplastia. Meu procedimento foi na clínica mesmo e durou em torno de uma hora e meia. A anestesia foi local e não senti nadinha, nem dor, nem desconforto, ou seja, foi supertranquilo.

Fui orientada sobre o pós-operatório a fazer compressas com chá de camomila a cada duas horas e tomar os medicamentos que foram receitados pelo médico. Na verdade, eu me recuperei muito rápido e não tive nenhuma sensação de dor extrema. Algo que fez muita diferença foi a crioterapia (gelo) durante as primeiras 48 horas para diminuir o processo inflamatório local. Após 7 dias, retirei os pontos e após 10 dias passei minha primeira maquiagem no novo côncavo. Digamos que foi o momento mais feliz desde que decidi realizar o procedimento. O excesso de pele que havia na pálpebra superior foi retirado e, mesmo estando inchada, já pude notar um resultado superbacana. A cicatriz ficará quase imperceptível, e não se poder ter pressa, pois o inchaço maior começa a sumir mesmo após 2 meses e a recuperação completa se dá após 6 meses.

Vou colocar a seguir fotos da evolução, mesmo que ainda esteja bem recente. Aguardem que daqui 6 meses quero voltar e mostrar com mais detalhes o resultado final. E você que deseja mudar algo, pesquise muito e converse com várias pessoas sobre sua vontade, jamais esquecendo de sentir-se supersegura com um profissional que tenha ótimas recomendações.

.

Bjinhos…

.

A moda é fútil?

Acho que posso dizer que, desde que comecei a trabalhar como consultora de moda, ou ainda, desde que comecei a estudar moda, ouço comentários sobre a futilidade da área, de como é um ambiente corrosivo, cheinho de afetação, ostentação e apreço pelo luxo.

Não vou negar que a moda tem, sim, essa veia de glamourização – ridícula, em minha opinião! – que só quer saber de mostrar “riqueza”, que trata roupas, sapatos e acessórios como artigos descartáveis, que rapidamente ficam “fora de moda”. É verdade, isso existe, sim!

Mas, quando a gente para pra pensar que a roupa que a gente veste pode servir como uma tradução de quem nós somos, do que nós acreditamos e das ideias – e ideais! – que queremos compartilhar com o mundo… ah, aí tudo muda. É nesse momento que a gente pode usar a moda como uma ferramenta útil a nosso favor, de forma que ela seja capaz de levantar nossa autoestima e de expressar, exatamente, o nosso EU.

Não à toa, restrições e regras que existiam no mundinho da moda não “pegam” mais. Quem ainda se importa com isso, pode ter certeza, está ficando pra trás.

Com isso, é muito bom perceber que o street style ganhou as passarelas e o coração das pessoas, que o conforto foi elevado à categoria máxima (vide o sucesso do tênis), que existe uma preocupação ambiental na fabricação das peças e que, cada vez mais, passamos a usar a moda como um recurso de empoderamento para nosso dia a dia.

E, gente, é tão bom ter esse empoderamento nas nossas mãos! Acho que não existe liberdade maior do que vestir o que a gente quer, quando e como a gente quer, abraçar e usar as tendências de moda que mais curtimos e que mais têm a ver com nosso estilo.

De verdade, é tão bom usarmos as peças que valorizam nosso corpo e nossa alma… Isso é fútil? Acho que não, pois acredito que, quando estamos felizes dentro de uma roupa, nos sentimos mais corajosas e mais confiantes para trilhar nosso caminho rumo aos nossos sonhos. Não precisa de luxo, não precisa de ostentação, precisa de carinho com nós mesmas, precisa amar seu corpo do jeito que ele é – acima ou abaixo do peso, alto ou baixinho – significa se olhar no espelho e gritar “sou perfeita, gostosa e vou arrasar!”

Porque, sinceramente, não existe nada mais prejudicial pra nossa autoestima do que se jogar em uma roupa desconfortável, que não tem nada a ver com nosso jeito de ser – ou pior, quando a gente veste alguma coisa pra agradar alguém e acaba deixando de lado quem realmente somos. Mas, ó, é claro que é muito legal a gente vestir aquela blusa ou aquela saia, por exemplo, pra agradar o mozão e se sentir irresistível dentro dela. O errado é a gente se anular pelo outro, se sentir mal “em nossa pele”… aí não tem como dar certo, né?

Resumindo, no final das contas, o que vale mesmo não é usar aquela peça que custou uma fortuna e que vamos suar muito pra pagar, mas, sim, se sentir arrasando, vestindo a roupa que você escolheu com o coração, que te faz sentir poderosa e alegre, e que você nem teve que morrer uma grana exorbitante nela. Diz aí: não é bom demais poder falar “amiga, essa blusinha só custou R$ 20,00 e não tiro mais do corpo!”, “customizei meu tênis e nem precisei gastar com isso”, “reformei aquela calça jeans e agora ela parece novinha”.

Aquilo, né: no fundo, a gente não precisa “rapar” o bolso pra se sentir plena!

Fontes das imagens:

Divulgação, Versace, Chanel, Harper’s Bazaar, Diversity, Wookmark

Meus 3 meses com a linha Força com Pimenta

Meu primeiro contato com a linha Força com Pimenta foi bem no lançamento, lá em 2016, quando eu usei religiosamente por mais ou menos uns 40 dias. Depois de ter visto o vídeo da Andreza Goulart, mostrando como o cabelo cresceu com o uso dessa linha (https://www.youtube.com/watch?v=9X7XyVaOcDc), fiquei curiosa. Mas esqueci um detalhe: eu sou uma pessoa naturalmente ansiosa, o que quer dizer que eu gosto de resultados imediatos. Só que essa linha precisa de constância e tempo para fazer sua mágica. Outro problema que eu tive é que na época eu fiquei com um pouco de resistência para testar a loção, pois morro de medo de botar produtos no meu couro cabeludo, que tem uma tendência a acumular resíduos, então acabei não usando.

Mesmo assim, esses 40 dias foram suficientes para me fazer cair de amores por um produto específico: o finalizador. Ele, que tem protetor solar e termoproteção, ganhou meu coração na secagem natural, o que fez com que virasse meu queridinho para dias de praia e piscina.

Passei boa parte de 2017 sem tocar em nada da linha Força com Pimenta até que, em dezembro do ano passado, eu fiz uma besteira: cortei franja. Sabe aqueles dias que você está se sentindo mais ousada do que o normal e toma uma atitude impulsiva? Foi isso. O problema é que no dia seguinte eu já tinha me arrependido amargamente! Foi aí que pensei: por que não testar a linha Força com Pimenta novamente? Agora com o intuito de fazer essa franja crescer (mas se o resto do cabelo quisesse crescer também, não reclamaria hehehe).

Em janeiro comecei minha jornada rumo ao desfranjamento e me comprometi a usar todos os produtos da linha, inclusive a loção, que foi uma grata surpresa. Ela não pesou no couro, não acumulou resíduos e ainda deu uma sensação de refrescância supergostosa toda vez que eu usava (por volta de 3x na semana).

Os produtos de Força com Pimenta têm eficácia comprovada de crescimento e possui entre seus ativos a pimenta (que estimula e nutre – mas não arde, viu? rs) e microqueratina (repara e nutre). Mas a estrela da linha é o Bioxyl, uma tecnologia exclusiva da Bio Extratus que aumenta a vascularização da derme que, por sua vez, reduz a queda e melhora o crescimento, além de aumentar a densidade dos fios.

Bem, não precisa ir muito longe para ver que esse crescimento realmente acontece, os antes e depois que a Bio Extratus posta são sempre impressionantes. E hoje vim mostrar que, sim, o crescimento é real!

janeiro 2018 – abril 2018

 

Como meu cabelo é ondulado, o crescimento em si não é tão aparente, mas o que eu mais amei foi ver como meu cabelo ficou mais volumoso e cheio, e isso é bem nítido nas duas imagens. Ah, e definitivamente agora eu não sou mais uma pessoa com franjas, finalmente! rs

dezembro 2017 – abril 2018

 

Depois desses 3 meses de uso direto, resolvi dar uma paradinha e voltar para a minha linha eterna do coração, Cachos Perfeitos. Como eu gosto de dizer, é a linha que sempre dá um reset nos meus fios. Mas posso contar a maior surpresa? Vou continuar fazendo uso da loção, mesmo com outras linhas! Quando eu souber como ela se comporta mesmo sendo usada com outros produtos, eu venho aqui contar!

.

Tapioca ou crepioca? Qual a melhor opção?

Muito se fala sobre o consumo da tapioca em substituição aos pães, quando o assunto é perda de peso. Porém, o que muita gente não sabe é que a tapioca tem um índice glicêmico alto (praticamente similar ao açúcar), quase não tem fibras e pode comprometer um programa de perda de peso se não for usada corretamente.

Quando queremos perder peso, o mais recomendado é usarmos alimentos de baixo índice glicêmico. Nesse caso, uma alternativa interessante seria, por exemplo, a crepioca (1 colher de sopa de goma de tapioca + 1 ovo + 1 colher de sopa de cottage). Se você colocar um pouco de linhaça ou chia (gorduras do bem), melhor ainda!

 

Adicionando proteínas e gorduras boas, conseguimos reduzir o índice glicêmico da preparação, reduzindo picos de insulina que podem aumentar as chances de você acumular gordura.

O importante é adequar o seu plano alimentar e fazer isso de forma orientada, sem que você deixe de comer as coisas que gosta. Lembre-se que o impacto que o alimento tem no seu organismo faz toda a diferença para que você consiga alcançar seus objetivos.

Portanto, na grande maioria dos casos (porque em dieta tudo depende!) a crepioca costuma ser uma melhor opção para aquelas pessoas que buscam reduzir o peso corporal.

 

Consulte sempre seu nutricionista!

INSPIRE-SE: penteados para a Copa do Mundo

Copa do Mundo chegando e nós estamos como? Pensando nos looks, nas maquiagens e claro: nos cabelos! Selecionei algumas referências de penteados para inspirar vocês a torcer muito pelo Brasil e arrasar. Bora conferir?

E é claro que, quando falamos em Copa do Mundo, a primeira coisa que vem à cabeça é o verde&amarelo que não pode faltar, afinal, aqui é Brasil não é mesmo? 🙂 Uma opção bem diferente, para sair do comum de usar apenas a camiseta da seleção, é incluir essas cores nos cabelos também. Usar fitas de cetim funciona muito bem para produzir tranças superestilosas. No tutorial abaixo, dá para entender como prender essas fitas para trançar e fazer penteados incríveis.

 

E aí o resultado fica de acordo com a criatividade de vocês. Tranças simples, tranças saindo da raiz do cabelo, trança boxeadora, espinha de peixe, enfim… É só soltar a imaginação e fazer a cabeça na Copa.

 

Seguindo a linha das fitas de cetim, outra sugestão é simplesmente amarrá-las no cabelo, como um rabo de cavalo simples. Vale a pena investir em um topete alto pra dar uma “glamourizada” no visual. Ou ainda envolver as fitas no próprio rabo de cavalo ou no coque, como nas sugestões abaixo.

 

Se você é do tipo que não curte muito usar penteados elaborados, uma alternativa é fazer a trança com as próprias fitas e depois prender como uma tiara ou head band. Fica lindo, estiloso e é muito fácil de ser produzido.

 

E, por fim, bandanas. Penteados com bandanas ficam bem despojados e são fáceis e rápidos de fazer. Uma ótima opção para quem vai assistir aos jogos no ambiente de trabalho e quer entrar no clima da Copa.

 

Seja como for, o importante é incluir o verde e amarelo na hora de produzir o seu visual para os jogos. E claro, sorriso no rosto e muito alegria para torcer pelo nosso país! 🙂

 

Um beijo verde e amarelo!