Naturalmente Bonita

O que levamos de 2020?

Para ser bem sincera eu não queria levar nada né? Se formos pensar de maneira mais ampla, dá vontade de apagar o ano de 2020 e começar tudo de novo quando der meia noite do dia 31 de dezembro. Mas parece que precisávamos deste choque brusco para revermos muitas coisas. Então, lá vamos nós.

Vale lembrar que eu compartilho aqui o que eu, Maraisa, acho. Quero dividir como levei estes meses de incerteza e o que tento esperar do ano que vem (se é que podemos ter a audácia de esperar algo). Ah! É bom lembrar também que em momento algum acho que a pandemia foi algo bom para “olharmos pra dentro”. Falar desta forma é simplificar e não olhar para o sofrimento de muitos. Principalmente de quem não parou de trabalhar durante todo este período.

Lá no começo, em março, eu via diversas pessoas compartilhando livros, filmes e links de cursos e mais cursos disponíveis online. Exercícios sendo feitos pelo YouTube ou aplicativos, yoga, e toda esta onda de proatividade. Eu olhava e pensava “mas gente, jura mesmo que este povo consegue fazer tudo isso no dia? Eu só quero olhar pro céu e entender o que está acontecendo!”

Não produzia, e ao mesmo tempo não tinha vontade de me distrair com livros ou mesmo filmes. Sabe quando a cabeça não foca em nada? Pois parei de seguir diversos perfis no Insta que faziam com que eu me sentisse mal, e nesta limpa eu comecei a receber conteúdos melhores e que mostravam que na pandemia ninguém precisava se produtivo demais e nem sair dela com 10 cursos feitos, um livro escrito, aulas de dança, ou com o espírito evoluído. A tal da positividade tóxica.

Lá pra agosto as coisas foram voltando aos eixos depois de muita terapia e algumas consultas online (e preciso reconhecer que isso é um privilégio). Vi amigas pegarem a doença, ouvi notícias de pessoas que faleceram, vi um primo falecer. Tento entender o que este ano foi para a gente, mas no final é melhor parar de racionalizar e focar no que estou podendo fazer por enquanto. 

Natal e Ano Novo? Tenho a sorte de morar no mesmo prédio que meus pais, então ficarei com eles. Eu só desejo saúde física e mental para que superemos o tanto de resquícios que 2020 deixa em nós. O que mais levo de tudo isso é: não existe um sem o todo, não existe todo sem o um. O que eu faço impacta outras vidas ao meu redor, e o que o outro faz também impacta a minha vida. 

O que isso tudo quer dizer? Acho que lá pra frente descobriremos…. ou não! Se não agirmos.

Beijos e parece que sobrevivemos né? Isso já é uma imensa vitória.

Maraisa Fidelis

Paulistana de 28 anos completamente apaixonada pela família. Formada em marketing mas escolheu trabalhar com beleza, que é o que lhe encanta. Fala feito louca, ri descontroladamente e quer apenas aj...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *