Naturalmente Bonita

Alopécia – Você Sabe o que é?

Você sabe o que é alopécia? Muito se fala de alopécia nos últimos tempos e inclusive existe um crescimento muito significativo nas mulheres, também chamada de Alopécia Androgenética.

O que é a alopécia?

Alopecia é a perda de cabelo em áreas em que normalmente ele deveria crescer. É um problema que acomete homens e mulheres, podendo ser causado por influências genéticasprocessos inflamatórios locais ou doenças sistêmicas.

Atualmente os médicos indicados para esse tipo de diagnóstico são o Tricologista (especializado em cabelos e pelos do corpo) e o Dermatologista. A avaliação é feita através do exame de Tricoscopia em que é avaliado o couro cabeludo e as hastes dos fios. 

Ela é dividida em alguns tipos, e os principais são: alopécia androgenética, alopécia cicatricial, alopécia areata, alopécia frontal… Entre outras. 

alopécia

Alopécia Androgenética

É um dos principais tipos de alopécia. Os fios ficam cada vezes mais finos, podendo ser avaliado através de tricoscopia. Pode iniciar na adolescência, mas só fica aparente a partir dos 40 a 50 anos. Nos homens começa normalmente na região frontoparietal (escalpo), onde o cabelo fica mais fino, parecendo com uma pelugem, nas mulheres costuma acometer mais a região central do couro cabeludo ou ser mais difusa. Está relacionada com a idade e também com a predisposição genética.

 

Alopécia cicatricial

Queda de cabelo provocada por traumatismo, queimaduras químicas, físicas ou devido à quimioterapia. Pode ainda ser causada por doenças que evoluem para atrofias ou cicatrizes, como piodermites, leishmaniose, tuberculose, herpes zoster, entre outras.

 

Alópecia Areata

É uma condição caracterizada pela perda de cabelo ou de pelos em outras partes do corpo (cílios, sobrancelhas, barba) em formatos arredondados ou ovais. Comum em homens e mulheres. 

alopécia

 

Alopécia Frontal Fibrosante

É uma dermatose inflamatória que costuma afetar, quase que exclusivamente, mulheres. Ela se caracteriza pela perda de fios da sobrancelha, da parte frontal do couro cabeludo – área da franja – e atrás das orelhas. Um dos principais sinais da presença do problema é a impressão de que a testa está “aumentando”.

Meu relato

Quando se fala de Alopécia Frontal Fibrosante eu posso dar o meu exemplo. Sempre tive uma testa avantajada, porém após a cirurgia bariátrica e uma queda de cabelo significativa percebi que os fios do contorno do meu rosto estavam mais finos e ralos.

Passei em um tricologista e fizemos exames de sangue (para verificar hormônios e vitaminas) e tricoscopia para verificar as hastes dos fios. Os meus fios estavam muito mais finos na região frontal  do que no restante da cabeça. Porém o tricologista verificou que os fios ainda existiam e seria possível tratar. Decidimos então começar a tratar o contorno do meu rosto.

Eu tomo diariamente um suplemento específico para anemia (pois estava com baixa de ferritina), suplemento Força da Bio Extratus e faço um tratamento mensal em consultório chamado MMP.

No tratamento MMP o médico injeta no meu couro cabeludo vitaminas para fortalecer o bulbo e as hastes dos fios. Com 3 aplicações consegui notar, através da Tricoscopia e visualmente, que os fios mais finos já estão mais grossos e que aqueles fios que eram imperceptíveis começaram a encorpar. Estou com o cabelo cheio de baby hair que logo estarão deixando o contorno do meu rosto mais desenhado. 

É um tratamento que exige calma e paciência mas só de ver que está melhorando, já está valendo a pena. 

alopécia

 

O meu tratamento não tem previsão de terminar, mas fica aí uma indicação para você que está com queda de cabelo, cabelos finos, ralos ou falhas. Busque tratamento com orientação médica. Procure ajuda profissional de um médico e comece a tratar o quanto antes.

Beijão

Andreza Goulart

Andreza Goulart é de Itajubá, MG , tem 37 anos, casada, mãe do Leonardo e da gata Amora.Começou a falar sobre beleza há quase 10 anos e não parou mais! Confira seu canal no  posts de Andreza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *