Naturalmente Bonita

2020: O Ano da Autoestima

“Beleza é fruto que brota
da harmonia,
da energia,
da vibração. 

Beleza é fruto do amor próprio. 
Ame sua natureza”

Essas são as frases que estampam a primeira página da agenda 2020 que ganhamos de Bio Extratus. Uma revisitação à campanha Ame Sua Natureza de 2018, a que mais amei desde que comecei a trabalhar com a marca há quase 6 anos. E sabem por quê eu amo tanto? 

Porque construir uma autoestima sólida nos permite amar quem realmente somos, amar nossa natureza.

Desde 2016, quando eu e Joana criamos o Papo Sobre Autoestima, nós ouvimos milhares de mulheres no Brasil e no mundo falando sobre questões relacionadas à essa palavrinha que parece estar em todo lugar nos dias de hoje: autoestima.

Eu creio de verdade que 2020 tem tudo para ser o ano em que a gente se olhe com mais carinho e generosidade e aprendamos a ver o que tem de mais especial dentro de nós. 

Então, queria aproveitar que estamos revisitando a campanha Ame Sua Natureza para dividir algumas coisas que fomos aprendendo ao longo do caminho, para que a gente faça de 2020 o verdadeiro ano da autoestima!

autoestimailustração: @poeticamenteflor

1 – Autoestima não é só o que vemos no espelho

Eu sempre achei que autoestima tinha a ver com a minha relação com meu corpo. E de fato, para muita gente, as principais questões com a própria autoestima vêm daí. Vivemos em uma sociedade onde o corpo das mulheres é sempre comentado, onde a magreza é sinônimo de beleza e sucesso. O problema é que, para chegar nesse corpo ideal, muita gente faz loucuras crente que estará fazendo um bem para a autoestima. Mas de nada adianta milhões de mudanças externas, dietas malucas, remédios, simpatias, etc. se a sua insegurança ou o seu auto valor estiverem balançados. Desse jeito, nenhuma autoestima concreta se constrói.

2 – Comparação é nossa pior inimiga

Sabe aquela influenciadora que você segue no Instagram que está sempre postando corpos perfeitos, lugares maravilhosos, uma família de comercial de margarina e uma vida que você nunca vai ter? Ou sabe aquela sua amiga que é super segura de si, sociável e cheia de amigos que as vezes te deixa intimidada por não ser do mesmo jeito? A verdade é que comparação é a pior inimiga da nossa autoestima justamente porque focamos no que não temos e esquecemos de dar valor para aquilo que só a gente tem.

Lembram do Ame Sua Natureza? Pois é. Ao focarmos naquilo que somos ao invés do que aquilo que as pessoas ao nosso redor são, a gente passa a ver qualidades nossas que são muito únicas e especiais, que não são nem melhores nem piores do que outras. 

3 – Repense o que te influencia

Ainda nessa linha, pare e pense no que você consome. Pergunte-se se te faz verdadeiramente bem. Você segue alguém que está fazendo com que você se compare? Pare de seguir. Nem que seja por um tempo. Você convive com alguém que faz comentários que te fazem mal? Afaste-se se puder. Se não puder, imponha limites claros. Mas não deixe mais que outras pessoas afetem a sua autoestima desse jeito. Combinado?

4 – Fale com você como você falaria com alguém que você ama

Já reparou que a gente dá os melhores conselhos para quem a gente gosta, e quando nos vemos na mesma situação, a gente se cobra de forma cruel? Já aconteceu de você elogiar uma amiga que estava se sentindo insegura com alguma coisa, mas quando se tratou de você, os primeiros pensamentos que apareceram na sua cabeça foram se diminuindo? Isso acontece porque, quando a nossa autoestima está frágil, a gente tende a achar que não somos merecedoras, que não somos suficientes, que não somos adequadas. Mudar esse quadro tem a ver com mudar esse comportamento dentro da gente antes de tudo. 

Toda vez que você perceber que está sendo muito dura consigo, pense: eu falaria desse jeito com alguém que eu amo? Eu daria esse conselho para uma amiga? 

5 – Autoconhecimento é a chave!

Vocês repararam que todas essas coisas que eu falei, e até mesmo a campanha Ame Sua Natureza, chegam em um ponto em comum chamado autoconhecimento? Saber quem nós somos é a chave perfeita para construirmos nossa base de autoconfiança que, por sua vez, vai criando uma autoestima mais sólida. Entender nossos pontos fortes, e fracos também, entender nossos limites, desejos, sonhos, objetivos. Tudo isso faz com que a gente vá criando formas de não permitir que outras pessoas tirem isso da gente.

E é claro que terão dias que estaremos mais fragilizadas, mas tá tudo bem se a gente souber respeitar isso. 

Então, aproveitando que o ano está apenas começando, eu só consigo esperar que em 2020 a gente consiga criar ferramentas mais fortes para amarmos ainda mais a nossa natureza. <3

Carla Paredes

Carioca morando em Nova York, mãe do Arthur e blogueira do Futilidades. Fala principalmente de moda, beleza e autoestima, sempre...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *