Naturalmente Bonita

Exercícios de alta intensidade X perda de peso

3.ago.2016
Foi-se o tempo onde era necessário passar horas na academia para conseguir perder peso. Nos dias de hoje, muita gente não tem tempo disponível e nem disposição depois de um dia exaustivo de trabalho. Quem nunca (ou até hoje) ficou uma hora e meia na esteira e depois foi fazer aula de dança, spinning e nada do ponteiro da balança descer?
Estudos mostram que exercícios de alta intensidade e num intervalo de tempo mais curso são bem mais eficazes. Explico:
Inegavelmente, existe uma relação direta entre a prática de exercícios físicos e o controle da ingesta alimentar no metabolismo de lipídios. Tal controle não se reflete apenas em adaptações metabólicas e fisiológicas, mas também em diversas adaptações em nível molecular.
Tais adaptações incluem o aumento e/ou diminuição na expressão de diversos genes, sinalizadores e fatores de transcrição que modulam direta ou indiretamente proteínas responsáveis pelo controle do transporte, armazenamento e oxidação de ácidos graxos (gorduras).
Estudos mostram que o treinamento físico é uma estratégia fundamental no processo deemagrecimento, visto que o mesmo estimula a oxidação de ácidos graxos e sua posterior utilização pelo músculo esquelético. A intensidade do exercício está diretamente relacionada a essa oxidação, ou seja, quanto maior a intensidade maior a oxidação de ácidos graxos.
A mitocôndria é uma organela fundamental no processo de emagrecimento nela ocorrem a β-oxidação e ciclo de Krebs. O exercício de alta intensidade estimula fatores de transcrição que atuam na biogênese mitocondrial (aumento no tamanho e número de mitocôndrias). Com o aumento da quantidade de mitocôndrias a oxidação de ácidos graxos é mais estimulada, o que otimizaria o gasto de lipídios e consequentemente promoveria o emagrecimento com mais eficiência.
O exercício físico realizado em alta intensidade quando comparado ao de intensidade moderada provoca um maior estimulo em fatores de transcrição que são fundamentais no processo de oxidação de ácidos graxos.
Diante disso podemos afirmar que o exercício de alta intensidade pode ser uma estratégia eficaz para o processo de oxidação de lipídios e consequente promoção de emagrecimento.
0fb788_banner_treino_alta_intensidade.jpg_960x400_c_

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricional na Cirurgia Bariátrica. Fez diversas especializações relacionadas à obesidade (incluindo aulas de culinária), preparando-se para oferecer um tratamento completo, eficaz e o mais importante: duradouro.

Renata Rodrigues

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricion...

Reganho de peso pós cirurgia bariátrica

16.dez.2015
O sucesso da cirurgia bariátrica é definido como perda mínima de 50% do excesso de peso durante os dois primeiros anos e sua manutenção a longo prazo.
Após dois anos de cirurgia, os pacientes praticamente não emagrecem mais. nesse período, inicia-se a fase de manutenção, mas muitas vezes os pacientes voltam a ganhar peso. Mas, por quê isso acontece?
As hipóteses são:
Dilatação da bolsa gástrica e aumento da capacidade funcional absortiva do intestino delgado, reduzindo os efeitos restritivos e disabsortivos da operação:
Embora pouco comum a dilatação da bolsa gástrica ou da anastomose gastrojejunal pode ocorrer após a operação, em função da elasticidade do estômago. Essa dilatação leva à consequente redução da saciedade e aumento da ingestão alimentar a longo prazo.
Sedentarismo:
O sedentarismo, assim como o comportamento alimentar pode ser considerado importante fator na manutenção  e na reaquisição de peso. Diversos estudos mostram que a aderência ao programa de treinamento prediz a perda e manutenção do peso. Pacientes que praticam atividade física regular tem menor chance de reganho de peso.
Má qualidade da alimentação e retorno aos hábitos alimentares inadequados de antes da cirurgia:
Entre os principais fatores relacionados ao aumento do consumo de calorias podem-se considerar a melhora das intolerâncias alimentares e dos sintomas do Dumping, a dilatação da bolsa gástrica ou da anastomose gastrojejunal e a qualidade do alimento ingerido.
Em função da restrição alimentar provocada pela operação, os pacientes não conseguem ingerir grande volume de alimentos. Portanto, a qualidade do alimento ingerido passa a desempenhar especial valor no controle do valor calórico total da dieta.
Ao longo do tempo, observou-se que pacientes com maior dificuldade de manter o peso após a cirurgia são aqueles que apresentam o hábito de comer frequentemente, beliscando durante todo o dia, e que abusam de alimentos com alta densidade calórica como refrigerantes, doces, sorvetes, bebidas alcoólicas e guloseimas.
Redução da taxa metabólica basal:
Após a cirurgia, as alterações anatômicas e fisiológicas provocadas pela operação levam à rápida perda de peso. que parece estar associada a uma significativa perda de massa muscular. Com isso, há evidências que mostram redução na TMB e consequente predisposição dos pacientes a ganharem peso.
Vale lembrar que a cirurgia bariátrica não é milagrosa como muitos acreditam. Apesar de ser uma das melhores abordagens no controle da obesidade, ainda não é garantia de sucesso. Para que isso aconteça, ainda é necessário acompanhamentos nutricional, psicológico e médico adequado e atividade física regular.
reganho de peso

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricional na Cirurgia Bariátrica. Fez diversas especializações relacionadas à obesidade (incluindo aulas de culinária), preparando-se para oferecer um tratamento completo, eficaz e o mais importante: duradouro.

Renata Rodrigues

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricion...