Naturalmente Bonita

Exercícios de alta intensidade X perda de peso

3.ago.2016
Foi-se o tempo onde era necessário passar horas na academia para conseguir perder peso. Nos dias de hoje, muita gente não tem tempo disponível e nem disposição depois de um dia exaustivo de trabalho. Quem nunca (ou até hoje) ficou uma hora e meia na esteira e depois foi fazer aula de dança, spinning e nada do ponteiro da balança descer?
Estudos mostram que exercícios de alta intensidade e num intervalo de tempo mais curso são bem mais eficazes. Explico:
Inegavelmente, existe uma relação direta entre a prática de exercícios físicos e o controle da ingesta alimentar no metabolismo de lipídios. Tal controle não se reflete apenas em adaptações metabólicas e fisiológicas, mas também em diversas adaptações em nível molecular.
Tais adaptações incluem o aumento e/ou diminuição na expressão de diversos genes, sinalizadores e fatores de transcrição que modulam direta ou indiretamente proteínas responsáveis pelo controle do transporte, armazenamento e oxidação de ácidos graxos (gorduras).
Estudos mostram que o treinamento físico é uma estratégia fundamental no processo deemagrecimento, visto que o mesmo estimula a oxidação de ácidos graxos e sua posterior utilização pelo músculo esquelético. A intensidade do exercício está diretamente relacionada a essa oxidação, ou seja, quanto maior a intensidade maior a oxidação de ácidos graxos.
A mitocôndria é uma organela fundamental no processo de emagrecimento nela ocorrem a β-oxidação e ciclo de Krebs. O exercício de alta intensidade estimula fatores de transcrição que atuam na biogênese mitocondrial (aumento no tamanho e número de mitocôndrias). Com o aumento da quantidade de mitocôndrias a oxidação de ácidos graxos é mais estimulada, o que otimizaria o gasto de lipídios e consequentemente promoveria o emagrecimento com mais eficiência.
O exercício físico realizado em alta intensidade quando comparado ao de intensidade moderada provoca um maior estimulo em fatores de transcrição que são fundamentais no processo de oxidação de ácidos graxos.
Diante disso podemos afirmar que o exercício de alta intensidade pode ser uma estratégia eficaz para o processo de oxidação de lipídios e consequente promoção de emagrecimento.
0fb788_banner_treino_alta_intensidade.jpg_960x400_c_

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricional na Cirurgia Bariátrica. Fez diversas especializações relacionadas à obesidade (incluindo aulas de culinária), preparando-se para oferecer um tratamento completo, eficaz e o mais importante: duradouro.

Renata Rodrigues

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricion...

Meu cabelo vai cair após fazer a cirurgia bariátrica?

6.jul.2016
Uma das maiores queixas dos pacientes que vão operar é se o cabelo realmente vai cair demais. Mas, a grande maioria deles não sabem porque isso acontece. Então vamos esclarecer algumas dúvidas….
Estar acima do peso não significa estar bem nutrido. A grande maioria dos pacientes indicados para realizar a cirurgia já tem deficiências nutricionais prévias e que devem ser tratadas ANTES da cirurgia.
Os maiores responsáveis pela queda de cabelo pós cirurgia são: perda rápida de peso, deficiência de proteínas, de zinco e de ácidos graxos essenciais. Portanto, alimentar-se corretamente previne – e muito! –  que isso aconteça.
Acrescentar alimentos fontes desses nutrientes em sua alimentação diária é de grande valia na melhora do estado nutricional como um todo, prevenindo a queda de cabelo e inúmeras outras deficiências nutricionais que ocorrem com uma alimentação inadequada após a cirurgia.
Seu nutricionista é profissional responsável por adequar sua dieta e lhe ajudar a comer corretamente, mesmo que em volumes pequenos. Não deixe de comparecer às consultas, sua saúde é muito importante!
cabelo-queda-de-cabelo

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricional na Cirurgia Bariátrica. Fez diversas especializações relacionadas à obesidade (incluindo aulas de culinária), preparando-se para oferecer um tratamento completo, eficaz e o mais importante: duradouro.

Renata Rodrigues

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricion...

Não subestime a inteligência do seu corpo

24.maio.2016

Seu corpo pensa e tem memória. Se, durante o mês, você mantiver um padrão alimentar saudável e só sair da rotina poucas vezes cometendo excessos, seu corpo vai entender que aquele ponto fora da curva foi uma exceção, e trabalhar mais deixá-lo mais equilibrado de novo. É provável que nesses momentos você possa até passar um pouco mal, ir mais vezes ao banheiro ou até ter diarréia. Isso é sinal de que seu organismo entendeu o recado e está organizando a casa de novo.

O que vamos colocar em nossos pratos ao nos servir é uma escolha que fazemos várias vezes ao dia. O segredo da boa alimentação é optar por alimentos que vão de fato nutrir nosso corpo, e não apenas alimentá-lo. Ninguém precisa ser nutricionista para saber, por exemplo, que frituras são ricas em gorduras e devem ser consuidas com cuidado. Ou que sorvetes e doces são cheios de açúcar e gorduras e precisam ser evitados. Mesmo as pessoas que não se interessam muito pelo assunto sabem muito bem o que faz mal à saúde.

É possível dividir em categorias o que é necessário fazer. Simples assim.

Consumir menos

Consumir mais
Gordura Fibras
Açúcar Vitaminas
Sal Minerais
Álcool Água
Industrializados Comida de verdade

 

prato-saudável

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricional na Cirurgia Bariátrica. Fez diversas especializações relacionadas à obesidade (incluindo aulas de culinária), preparando-se para oferecer um tratamento completo, eficaz e o mais importante: duradouro.

Renata Rodrigues

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricion...

Qual o melhor achocolatado?

19.ago.2015
Muitas pessoas me perguntam qual o melhor achocolatado disponível no mercado. Na verdade, tempos atrás fiz um post falando sobre o assunto, basta ler aqui.
Só que a indústria alimentícia vem inovando e tentando melhorar a qualidade dos alimentos disponíveis, então agora – ainda bem! – já existem opções melhores.
Vamos a elas.
Chocokids, da Essencial Nutrition. Não contém açúcar, não contém glúten e nem lactose. É enriquecido com vitaminas e minerais e feito a base de cacau puro. Excelente opção, peca somente pelo preço (cerca de R$ 50 o pote de 300 g).
chocokids_em_breve
Cacau em Pó Mãe Terra. Uma opção tão boa quanto para aqueles que não querem ou não podem investir R$ 50 num pote de achocolatado. 100% cacau, sem adição de açúcares e pronto para o consumo. E o melhor: R$ 6,50 a caixinha com 100 g.
3_Cacau_Mae_Terra
Por fim, para aquelas pessoas que já tem o costume de usar Whey Protein, basta comprar no sabor chocolate e usar como substituto. É uma proteína de excelente qualidade, além de ser muito melhor do que usar aquele monte de achocolatados cheios de açúcar disponíveis no mercado (mesmo na versão light!).
Fique atento. Aprenda a ler o rótulo dos alimentos, e não somente o valor calórico!

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricional na Cirurgia Bariátrica. Fez diversas especializações relacionadas à obesidade (incluindo aulas de culinária), preparando-se para oferecer um tratamento completo, eficaz e o mais importante: duradouro.

Renata Rodrigues

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricion...

Glutamina e sistema imunológico

17.dez.2014

suplemento-massa-muscular-emagrecerGlutamina é o aminoácido livre mais abundante no organismo e é conhecido por desempenhar papel na regulação de genes e proteínas de diversas células do organismo, incluindo processos metabólicos, integridade celular, síntese e degradação proteica, reações de óxido-redução, resistência à insulina, secreção de insulina e síntese de matriz extracelular.

No sistema imune, a depleção de glutamina leva a uma diminuição da proliferação de linfócitos e diminuição da fagocitose em monócitos. O intestino é uma importante barreira contra a entrada de microorganismos do meio extracelular na corrente sanguínea; a glutamina estimula o aumento da mucosa intestinal, diminuindo a permeabilidade e impedindo a translocação de bactérias. Além de sua função imunomoduladora, a glutamina é também um importante aminoácido para o funcionamento do sistema nervoso central.

Desta forma, vale destacar a importância da glutamina como suplemento em vários quadros patológicos e enfermidades, destacando-se:

Enfermidades gastrointestinais: a glutamina participa da regeneração das células intestinais, visto que este aminoácido é o principal substrato energético dos enterócito, as células absortivas intestinais. Desta forma, a suplementação com glutamina é aconselhada em indivíduos que recebiam nutrição parenteral por muito tempo e apresentavam atrofia da mucosa, indivíduos com síndrome do intestino curto, síndrome de Chron (ainda controverso, mas bastante utilizado) e tratamento e prevenção da úlcera gástrica e constipação.

Terapias anticâncer: por se tratar de um aminoácido que é amplamente utilizado por células de alto desenvolvimento, alguns especialistas ainda mostram-se receosos quanto à sua utilização. Entretanto vários estudos demonstram que a mucosa intestinal de indivíduos com câncer consome o dobro de glutamina, reduzindo drasticamente a concentração sérica deste aminoácido. Além disso, a suplementação de glutamina mostrou agir na quimioterapia e radioterapia, potencializando seu efeito e ajudando a regenerar células do organismo que sofrem os efeitos colaterais destas terapias.

Transplantes e grandes cirurgias: a suplementação de glutamina endovenosa em pacientes submetidos a cirurgias ou transplantes atua como anticatabólico, ajuda na regeneração muscular e diminui a incidência de infecções hospitalares.

Grandes queimados: não há estudos que tenham sido realizados com suplementação de glutamina e pacientes acometidos por injúria térmica. Entretanto outros estudos relacionados a outras patologias mostram benefícios que poderiam ser usufruídos por estes pacientes, como desenvolvimento de células do sistema imunológico, aumento da  resistência a infecções, prevenção do catabolismo protéico muscular, entre outros.

Bebês prematuros: Em bebês prematuros a suplementação endovenosa de glutamina pode favorecer o crescimento da criança, a maturação do trato gastrointestinal prevenindo a enterocolite, prevenindo o catabolismo protéico muscular e visceral, melhorando o balanço nitrogenado e auxiliando o desenvolvimento de células do sistema imunológico aumentando a resistência a infecções.

AIDS: A glutamina é um aminoácido essencial para manutenção de vários processos metabólicos que são afetados no paciente com HIV. Nestes pacientes ocorre má absorção intestinal, catabolismo protéico, imunossupressão, infecções oportunistas, entre outros.

Em todas as funções citadas, a glutamina desempenha papel positivo no reestabelecimento e regeneração destas condições.

Exercício físico: o músculo esquelético é o maior produtor de glutamina sob algumas condições fisiológicas, como exercícios de longa duração. Entretanto, a diminuição da concentração sérica de glutamina foi encontrada em indivíduos com overtraining.

A suplementação de glutamina no exercício visa reestabelecer a concentração de glutamina sérica após o treinamento, tentando reverter a janela imunossupressora ocorrida pós-exercício, pelo aumento do cortisol. Esta imunossupressão é comum em atletas, onde observa-se com frequência infecção das vias aéreas do trato superior. Atletas submetidos a longo período de treinamento podem se beneficiar da suplementação de glutamina para evitar os efeitos imunossupressores do treinamento.

glutamax400

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricional na Cirurgia Bariátrica. Fez diversas especializações relacionadas à obesidade (incluindo aulas de culinária), preparando-se para oferecer um tratamento completo, eficaz e o mais importante: duradouro.

Renata Rodrigues

Nutricionista formada na UNI-BH, Renata sempre se preocupou com a forma física e com hábitos alimentares saudáveis. Possui cinco pós-graduações concluídas e uma em curso – em Manejo Nutricion...

Carregar Mais