Dizem que quando a mulher muda o cabelo, ela pretende mudar a vida, né?

Mudei. Mas não mudei para os outros, mudei para mim mesma, para me sentir bem, me sentir cada dia mais dona de mim. Já cortei curtíssimo, deixei crescer, pintei de colorido, descolori e nada disso mudou a Nathalie de verdade. Porque todas as fases faziam parte de quem sou, com minhas particularidades de libriana, nas minhas constantes mudanças. Há tempos não ficava com meus fios naturais e precisava de mais essa fase para depois entender que realmente alguns fios loiros dizem muito sobre minha personalidade alegre! O enigma da minha vida é que quero um cabelo longo, mas não quero abrir mão do volume e, no meu tipo de cacho, os dois não andam juntos, infelizmente. Já tive minhas inseguranças, achava que meu corpo e meu cabelo perfeitos me fariam ser mais aceita e querida por todo mundo, aí é que eu me enganava.

Ficar com o cabelo totalmente escuro me fez voltar à época em que “não era ninguém” e ver que não viver da opinião das pessoas (sobre meu cabelo, minha maquiagem ou sobre o que devo vestir) era muito melhor do que o que estava vivendo atualmente. Então sim, eu sou a prova viva de que quem muda o cabelo, quer mudar a vida, pois eu mudei, até mesmo sem planejar isso antes. Há pouco mais de um ano, fui inconsequente num procedimento de descoloração que detonou meu cabelo, me trazendo a pior fase que podia viver em relação aos meus cachos. Mas agora estou tratando esse meu cabelo com tanto carinho, que só falta ele me responder um “muito obrigado”, porque os resultados já são BEM nítidos. Desde que comecei minha parceria com a Bio Extratus, comecei a tratar meu cabelo com todo o respeito que ele merecia. A cada linha que uso, vejo que ele responde de um jeito diferente, mas sempre bem positivo.

Quando me perguntarem por que mudo tanto meu cabelo, a resposta será: “ele só acompanha o ritmo da minha vida, que nunca para!” Não tenha medo das mudanças, elas são sempre bem-vindas e, se nada der certo, pelo menos serviu para aprendizado, não é mesmo?! MUDE, mude consciente, mude sempre, apenas MUDE!

Beijo.

Nath Barros.

Deixe seu comentário