Cuide bem da alimentação do seu filho

A hiperplasia de adipócitos (formação de novas células adiposas) é particularmente rápida nos primeiros anos de vida e, quanto maior a intensidade do armazenamento de gordura, maior será também o número de células adiposas. Crianças obesas apresentam cerca de três vezes mais células adiposas do que em crianças não obesas.

Porém, após a puberdade o número de adipócitos praticamente não se altera. Como consequência, foi sugerido que a hiperalimentação das crianças, em particular na lactância e em menor grau, durante os últimos anos da primeira infância, pode resultar em obesidade pelo resto da vida.

Acredita-se que a pessoa com excesso de células adiposas tenha o set point para armazenamento de gordura mais alto pelo mecanismo autorregulador epitalâmico de feedback para o controle dos tecidos adiposos.

Nas pessoas menos obesas, em particular nas que se tornaram obesas após os quarenta anos, a maior parte da obesidade resulta da hipertrofia (aumento do volume) dos adipócitos já existentes. Esse tipo de obesidade é muito mais acessível ao tratamento do que o tipo permanente.

obesidade-infantil

 

Fibras solúveis e insolúveis: você sabe a diferença?

A fibra alimentar é uma classe de compostos de origem vegetal constituída principalmente por polissacarídeos e substâncias associadas que, ao serem ingeridos, não sofrem hidrólise e digestão pelas enzimas digestivas dos humanos. A fibra alimentar inclui polissacarídeos, oligossacarídeos, lignina e demais substâncias associadas à planta. 
 
A fibra presente nos alimentos fornece efeitos fisiológicos benéficos como laxação e/ou redução dos níveis séricos de colesterol e/ ou redução da glicemia. As fibras podem ser consideradas alimentos funcionais por interferirem positivamente em funções fisiológicas, melhorando a saúde e o bem-estar ou reduzindo o risco de diversas patologias. 
 
As fibras podem ser classificadas conforme sua solubilidade em água, em solúveis e insolúveis. Exemplos de fibras solúveis são a pectina (presente em frutas, vegetais e legumes), gomas (aveia, cevada e leguminosas), mucilagens (psyllium), frutanos (inulina e frutoligossacarídeos – FOS) e uma fração da hemicelulose. 
 
As fibras solúveis e insolúveis agem de modo diferente no trato gastrointestinal. As fibras solúveis possuem efeito mecânico (retardam o esvaziamento gástrico e o tempo de trânsito intestinal e também diminuem a absorção de glicose e colesterol), alteram a composição da microbiota e o metabolismo pela produção de ácidos graxos de cadeia curta. 
 
As fibras insolúveis não atuam sobre a colesterolemia, mas aumentam a saciedade auxiliando na redução da ingestão calórica. Apresentam efeito mecânico no trato gastrintestinal e por serem pouco fermentáveis, aumentam o bolo fecal e aceleram o tempo de trânsito intestinal. São representadas pela celulose (trigo), pela maior parte da hemicelulose (grãos) e lignina (hortaliças). 
 
Deste modo, as fibras solúveis produzem seus efeitos na porção superior do tubo digestivo atrasando o esvaziamento gástrico, a assimilação de nutrientes e aumentando o tempo do trânsito intestinal, ao passo que as insolúveis agem sobretudo no intestino grosso promovendo o aumento do volume fecal e produzindo fezes mais macias. 
 
A Organização Mundial da Saúde recomenda a ingestão diária de 20 a 30 g de fibra por dia, sendo que destas aproximadamente 6 a 10 g devem ser fibras solúveis.
fibras

Sorvetes funcionais e saborosos

Gordura trans e corantes passam longe dessas receitas geladas. Além de refrescar, elas proporcionam sabor e possuem ingredientes antioxidantes.

Hoje, você verá receitas fáceis e deliciosas. Experimente todas!

1. Frutas Vermelhas e Coco com Damasco

nb_sorvetes_funcionais_01

Ingredientes:
Frutas vermelhas:
• 2 bananas-nanicas médias maduras, sem a casca e cortadas em rodelas
• 10 amoras grandes e 5 morangos (ou framboesas)
• 4 colheres (sopa) de leite de coco light (de garrafinha)
• 1 colher (café) de goma guar (opcional)

Coco com damasco:
• 2 bananas-nanicas médias maduras, sem a casca e cortadas em rodelas
• 2 damascos secos
• 2 colheres (sopa) de coco fresco ralado
• 4 colheres (sopa) de leite de coco light
• 1 colher (café) de goma guar (opcional)

Modo de fazer:
Leve as frutas ao freezer até congelar. Passe-as no processador de alimentos com o leite de coco. Assim que a mistura estiver homogênea, adicione a goma guar (opcional) e bata por mais alguns segundos. Sirva em seguida ou se preferir que o sorvete fique mais firme, volte ao freezer por meia hora.

Rende: 5 bolas (cada sabor)
Calorias por bola: 61 (frutas vermelhas) e 79 (coco com damasco).

2. Maracujá com Manjericão

nb_sorvetes_funcionais_02 Ingredientes:

• 1/2 litro de leite de coco (ou outra bebida vegetal de sua preferência)
• 2 colheres (sopa) de gelatina em pó sem sabor
• 4 colheres (sopa) de açúcar mascavo
• Polpa de 2 maracujás ou suco de 2 tangerinas
• Folhas de manjericão fresco ou hortelã

Modo de fazer:
Em uma panela, dissolva a gelatina no leite ainda frio. Leve ao fogo e, assim que ferver, acrescente o açúcar e a polpa do maracujá (ou o suco de tangerina). Mexa delicadamente e, em seguida, retire do fogo. Espere esfriar, passe na peneira (se usar a polpa do maracujá) e leve ao freezer por 1 hora. Bata no liquidificador na velocidade mais baixa com o manjericão (ou hortelã). Volte ao freezer por mais 2 horas ou até a servir.

Rende: 6 bolas
Calorias por bola: 46

3. Iogurte com Amora

nb_sorvetes_funcionais_03

Ingredientes:

• 3 potes (300 g) de iogurte grego original desnatado (ou natural desnatado)
• 1/2 copo (100 ml) de leite desnatado
• 3 colheres (sopa) de mel
• 1 colher (chá) de suco de limão-siciliano
• 1 xícara (chá) de amora (morango ou framboesa)
• Forminha para picolé (ou copinhos) e palitos

Modo de fazer:
Bata os ingredientes, com exceção da amora, no liquidificador até obter uma mistura homogênea. Distribua em forminhas de picolé (ou copinhos) e acrescente um pouco de amora em cada picolé. Leve ao freezer e, assim que firmar um pouco, espete o palito. Deixe gelar por, no mínimo, 2 horas. Desenforme na hora de consumir.

Rende: 8 picolés
Calorias: 69

 

Qual a melhor forma de consumir o tomate?

Molho de Tomate

Você tem dúvidas sobre qual é a melhor forma de consumir o tomate? Acha que é melhor cru ou cozido? Será que o molho de tomate faz bem?

A nutricionista Renata, colunista do Naturalmente Bonita escreveu uma matéria bem completa explicando qual a melhor forma de consumir esse saboroso alimento e por que.

O tomate e os alimentos produzidos a partir dele, guardadas as devidas perdas com o calor, é rico em folato, vitamina C e potássio. Com relação aos fitonutrientes, o caroteno mais abundante no tomate é o licopeno, possuindo ainda fitoquímicos traços como o beta-caroteno, o gama-caroteno, fitoeno e fitoesteróis. Apesar do licopeno de não ser um precursor da vitamina A, o interesse neste carotenóide cresceu em anos recentes devido aos estudos que o associam à diminuição do risco de doenças cardiovasculares e câncer.

O licopeno, como os demais carotenóides, se encontra em maiores quantidades na casca dos alimentos, aumentando consideravelmente durante o seu amadurecimento.

Tomate cru ou processado?

O consumo do tomate processado é melhor que o consumo do tomate cru, devido à maior absorção do licopeno, em decorrência da ação do tratamento térmico, que é capaz de romper as paredes celulares resistentes desse vegetal.

A gordura também facilita a absorção do licopeno. A ingestão de molho de tomate cozido em óleo resultou em um aumento de 2 a 3 vezes na concentração sérica de licopeno um dia após sua ingestão, mas nenhuma alteração ocorreu quando se administrou suco de tomate fresco.

Confira uma dica de como fazer um molho de tomate rápido e fácil

molho de tomate 1

Molho de tomate 2

 

Você sabe se alimentar corretamente à noite?

salada com frango grelhado e azeiteAssunto recorrente no consultório, muitos me perguntam o que devem comer à noite. A principal queixa é que, com o excesso de trabalho e cansaço, nem sempre dá para preparar alguma coisa.
Em vista disso, lá vai uma dica rápida:
Como a grande maioria não almoça em casa, quando você for ao restaurante à quilo de costume faça uma marmitinha com alguns peitos de frango grelhados. Guarde na geladeira até voltar pra casa e, chegando lá, ele pode ter várias utilidades, como:
1. Sanduíche. Basta acrescentar tomate, alface (sempre tem em casa), queijo cottage misturado com ervas (faça uma pastinha) e pronto.
2. Omelete. Recheie com o frango picadinho e coloque queijo, creme de ricota e ervas à gosto.
3. Salada. Pegue todas as folhas e legumes que você tiver em casa e acrescente o frango. Tempere com aceto balsâmico.
4. Tapioca. Recheie com o frango, tomate, requeijão zero e orégano. Fica uma delícia!
5. Molho de macarrão. Cozinhe um pouco de massa integral, acrescente tomate, ervas, azeite e o frango.
Vale lembrar que essa dica pode também ser feita com carne moída ou bife de boi, facilmente encontrados em qualquer restaurante à quilo. Viu como é fácil alimentar-se corretamente e sem ter trabalho? Fica a dica!