Naturalmente Bonita

Para Refletir – Dia da Consciência Negra

Estamos no mês da Consciência Negra, mais especificamente no dia da Consciência Negra e geralmente o ciclo dos acontecimentos nesse período é muito parecido: as pessoas lembram que nós (negros) existimos.

consciência negra

Acredito que você saiba o que é o Dia da Consciência Negra, então não vejo a necessidade de explicá-lo aqui. Sendo assim, escrevo esse texto como forma de reflexão em especial para as pessoas não negras.

No universo das blogueiras, esse é o período em que mais temos trabalhos, que mais somos marcadas em conteúdos sobre negritude, muitas palestras para dar. Somos disputadas de fato. Mas aí me recordo que nos outros meses não é tão assim, quando no universo de blogueiras brancas isso acontece o ano inteiro e aí vem aquela pergunta:

Porque ainda existem pessoas que se incomodam com a nossa presença se ela ainda nem é proporcional à presença branca no geral?

Eu, enquanto pessoa negra, precisei conviver com o racismo e a estranheza por conta de minha presença durante minha vida inteira e isso não mudou. Na verdade acredito que infelizmente tem ficado mais escancarado com o passar do tempo.

Vivemos em um país onde todo mundo conhece algum racista, mas ninguém se assume racista. Sendo assim, temos um crime (por que racismo é crime) com autor invisível e é aí que está a dificuldade para conseguirmos resolver esse problema.

Você pessoa branca, já parou para pensar se é racista ou não?

Já se viu julgando alguém pela cor da pele?

Já estranhou a presença de um negro em locais de elite?

Confundiu uma pessoa negra com funcionário de algum estabelecimento em que você estava indo comprar algo?

Quantos negros estão ao ser redor curtindo e não servindo a você e sua família?

Esses são alguns questionamentos que devem ser feitos internamente, todos os dias, para que você consiga entender se reproduz ou não o racismo e a partir disso se envergonhe.

O maior problema para resolvermos o racismo é achar que ele é problema dos negros. Mas não, ele é problema de todo mundo e principalmente dos brancos porque você enquanto pessoa branca  pode não ter escravizado ninguém (obviamente), mas recebe os benefícios desse sistema racista da mesma forma como eu e toda a população negra recebe os malefícios disso.

Ninguém tem culpa, mas tem a responsabilidade de se movimentar em busca de mudanças na sociedade. 

Sendo assim, a melhor maneira de mudar isso é entender seu racismo, assumí-lo, não se orgulhar disso e buscar gerar mudanças em si e no meio em que vive para que dessa maneira a melhoria seja coletiva porque o racismo é problema de todo mundo.

A @soutipo4 criou um conteúdo que ajuda a mostrar como esse racismo está enraizado na nossa sociedade e cabe a TODOS nós mudarmos isso. Comece refletindo e compartilhando com as pessoas mais próximas. Pratique você também!

Luciellen Assis

Luciellen é baiana, de Feira de Santana. Aborda temas, em seus canais, que variam entre estética e beleza negra, moda, autoestima, empoderamento e relações raciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *