Naturalmente Bonita

Quais Fantasias Não Usar no Carnaval

19.fev.2020

Chegamos no mês do Carnaval e com ele surgem os bloquinhos de rua, trios elétricos ensaios pré-Carnaval e mais um monte de coisas que envolvem estar cheio de glitter curtindo essa época tão gostosa do ano.

via GIPHY

Se você acompanhou minimamente as redes sociais nos últimos anos, já deve ter visto muitas discussões sobre fantasias ofensivas, racistas e homofóbicas no Carnaval e as opiniões sobre o assunto são diversas. Há quem diga que ninguém pode usar mais nada, ou que estamos sendo uma geração chata demais que reclama de tudo, mas hoje eu vou te mostrar que não é frescura e você pode sim curtir o Carnaval sem ofender ninguém. A não ser que você seja preconceituoso demais para isso, né? 

Existem Fantasias Ofensivas?

Por incrível que pareça, sim! Existem fantasias que são muito ofensivas e eu vou explicar os motivos das mais básicas e usadas durante a folia. 

Nega Maluca

O próprio nome da fantasia já diz muito e essa caracterização reforça todos os estereótipos racistas possíveis com relação a mulher negra. O “look” consiste em fazer um Black Face fazendo referência a uma mulher negra, geralmente com roupas curtas e chamativas, corpo também pintado de preto ou com uma segunda pele preta, rosto extremamente caricato dando destaque aos lábios enormes e vermelhos. A própria personificação do racismo e da ridicularização das características negras. 

Se você não sabe de onde veio a ideia de se pintar dessa maneira que chamamos de Black Face, segue um pouco de história:

Reprodução de um poster de um minstrel show em 1900, de William H. West

O Black Face (rosto negro) surgiu a mais ou menos 200 anos e foi criado para ridicularizar pessoas negras nos teatros unicamente para entretenimento de pessoas brancas; ele já foi considerado arte nacional americana, se tornando um gênero de teatro e tendo exibição em horário nobre! Além dos estereótipos na estética, os atores brancos que usavam black face tinham comportamentos exagerados em suas peças teatrais de humor para fazer referência ao comportamento de pessoas negras, além de ridicularizar seus sotaques. 

Cocar Indígena

Há quem diga que usar o cocar indígena é homenagem, mas vamos parar pra pensar, existe algum tipo de preocupação com o genocídio da população indígena ou respeito a eles enquanto povo durante outras épocas do ano? Temos algum tipo de mobilização em massa para o fim do extermínio desse povo? As representações indígenas que ocorrem nesse período sempre estão ligadas a sexualização por conta da nudez ou a ridicularização pela forma como eles falam, então isso está muito longe de ser uma homenagem ou troca de cultura. 

É verdade que no Brasil, praticamente todos tem sangue negro ou indígena, mas isso não significa que automaticamente o racismo que está baseado na estética desses dois povos vai desaparecer. 

Para dar uma explicação sobre o assunto, deixo abaixo o vídeo de Katu, uma mulher indígena que produz conteúdo para a internet e que pode falar com total propriedade sobre isso:

E para finalizar, deixo a opinião de outra indígena, Ka’Ayguá, sobre esse assunto: 

“Eu penso que tudo o que fazem no Carnaval com nossos adereços é uma grande falta de respeito com nossa história e nossa cultura. As pessoas falam que estão nos “homenageando” mas sequer sabe a importância do cocar, grafismo e tudo que tá vestindo. Falam que estão nos homenageado mas segue destilando racismo e nos estereotipando cada vez mais, nos colocando sempre no papel de ser folclórico, que ainda não evoluiu, que ainda anda pelado e não fala português.

De fato tem povos que vivem assim hoje em dia, mas vale lembrar que o povo indígena é diverso e hoje em dia estamos em outros contextos, até por que, 2020 né? Eu fico chocada quando estou em algum lugar e vejo alguém se fantasiando de índio; me sinto desrespeitada! Como se minha cultura e minha história não fosse nada pros não indígenas.”

Transsexuais ou Travestis

Outra coisa que ocorre muito no Carnaval são homens fingindo ser mulheres, imitando gays afeminados e travestis de forma pejorativa. Temos inclusive blocos onde todos os homens usam “roupas de mulher” para entrar na folia. Em contrapartida, vivemos no país que mais mata pessoas LGBTQI+ no mundo. Sendo assim, só é aceitável fingir ser gay para ser motivo de risos no carnaval? E os outros dias do ano? Como fica? 

Eu convidei a Sasha Vilela, que é travesti, publicitária e maravilhosa para falar um pouco sobre o assunto:

“Pra mim é bem contraditório o fato de homens se fantasiarem de mulher no carnaval ou em qualquer oportunidade que surja pra se vestir de algo, e quando isso ocorre a primeira frase que vem da boca dessa galera e EU SOU TRAVESTI, e NÃO pessoal, travesti não e fantasia. Nós estamos falando de mulheres historicamente marginalizadas e que sofrem constantemente por serem quem são. Particularmente acho extremamente ofensivo e com zero tom de homenagem (como já ouvi isso sendo dito, acredita?!) quando isso acontece, pois mostra o quanto nossa classe ainda é vista como marginal, piada, com olhar de deboche por essa galera, não somos fantasias, somos seres humanos e merecemos o máximo respeito por sermos quem somos.”

Tá, então eu não posso me fantasiar de mais nada? 

Pode sim! Existem MUITAS opções de looks e fantasias para o carnaval que inclusive estarão aqui no blog para você curtir essa época linda sem racismo, preconceito ou estereótipos. 

Se quiser conferir alguns looks, clica aqui que Joicy já deixou dicas e fica de olho que vem mais por aí!

Luciellen Assis

Luciellen é baiana, de Feira de Santana. Aborda temas, em seus canais, que variam entre estética e beleza negra, moda, autoestima, empoderamento e relações raciais.

Baby Hair: Como Lidar Com Ele

24.jan.2020

Nos últimos anos com o aumento da popularização do que envolve a estética e cultura negra na internet, a gente conheceu ou passou a enxergar como bonitas muitas coisas relacionadas aos cabelos crespos e cacheados. Uma dessas coisas é o Baby Hair, que é muito famoso na gringa e passou a ser usado por várias pessoas aqui no Brasil.

Se você não conhece, Baby Hair é o nome dado aos cabelinhos novos que ficam ao redor da raiz na frente dos cabelos. Eles são mais finos e menores que nosso fio no restante da cabeça, por isso o nome.

Imagem Pinterest

Me lembro que a muitos anos, na época que eu estava no ensino médio, o Baby Hair era tido como feio porque era usado por meninas da periferia (negras) e elas eram muito hostilizadas no meio dos adolescentes por usarem os cabelos dessa forma. Mas os tempos mudaram e quase todo mundo quer aprender a deixar o seu Baby Hair “na régua” e dar um ar lindo e sofisticado aos penteados. Então se você quer aprender, já fica atenta que eu vou deixar algumas dicas.

Como Arrumar?

Para deixar seu Baby Hair arrumadinho e criar vários efeitos diferentes você precisa de basicamente duas coisas: um gel potente e uma escovinha.

O gel que eu uso para fazer o meu é o Tanogel Radical da Bio Extratus. Ele dura bastante e já aconteceu do baby hair durar mais de um dia lindíssimo. Aproveita que você pode comprar ele clicando aqui e se quiser se inspirar em mais penteados com ele, clique aqui!

Nesse vídeo do Instagram, eu mostro como faço o meu de forma bem simples. Ainda não consegui fazer coisas super artísticas, mas um dia eu chego lá! 😉

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Luciellen Assis (@luciellenassis) em

Algumas meninas usam escova de dentes, outras usam aquelas escovinhas de pentear sobrancelhas e algumas usam até pente fino; então você precisa fazer testes para saber qual material vai funcionar melhor para você.

Inspirações Baby Hair

E agora que você sabe como fazer e quais materiais usar, é só treinar muito até conseguir deixar o seu do jeitinho que você quiser! Para isso, vou deixar algumas inspirações de meninas que arrasaram nas produções e solte a criatividade!

baby hair
Nataly Nery

baby hair
Imagem Pinterest

baby hair
Imagem Pinterest

baby hair
Josy Ramos

baby hair
Nina Gabriella

baby hair
Nataly Nery

baby hair
Imagem Pinterest

Gostou? Então se joga no Baby Hair também e se usar nossos produtos, marca a gente nas redes sociais.

Luciellen Assis

Luciellen é baiana, de Feira de Santana. Aborda temas, em seus canais, que variam entre estética e beleza negra, moda, autoestima, empoderamento e relações raciais.

Verão: Cuidados Com a Pele

3.jan.2020

Chegamos em uma das melhores épocas do ano: o tão querido verão! Época de muito sol, férias, piscina, praias maravilhosas … A gente ama demais isso tudo, mas quem sofre é a nossa pele e cabelo se não tivermos os cuidados corretos durante esse período, então vou deixar algumas dicas essenciais para manter a pele linda e saudável nessa estação. 

via GIPHY

Cuidados Com a Pele no Verão

Beba Muita Água!

cuidados com a pele no verão

Os cuidados com a pele devem começar sempre de dentro para fora. Não adianta fazer vários cuidados externos se você não cumpre o principal, então se hidrate sempre! Nosso corpo é composto em sua maior parte por água e nessa época mais quente a gente desidrata muito mais fácil. Sendo assim, beber água vai deixar seu organismo funcionando bem e sua pele belíssima. 

Esteja sempre com sua garrafinha do lado!

Já diria Pedro Bial, Use Protetor Solar

cuidados com a pele o verão

Passar o protetor solar diariamente é essencial para manter a pele protegida dos raios solares, então esteja sempre com seu protetor em mãos. Passe 15 minutos antes de sair de casa e lembre que depois de duas horas de exposição ao sol você precisa passar novamente para continuar protegida. 

Se a ideia é ficar de fato no sol, o fator de proteção mínima a ser usado é o 30 e você deve aplicar duas camadas do produto no corpo ou uma colher de chá para rosto, cabeça e pescoço; duas colheres de chá para frente e trás do torso; uma colher de chá para cada braço e duas colheres de chá para cada perna. As recomendações são do Consenso Brasileiro de Fotoproteção, lançado em 2013.

Também vale lembrar que existem protetores para rosto e corpo, só para rosto ou só para corpo, então esteja atenta na hora de comprar o seu para não se confundir, e que essa dica é independente da estação, seja verão, primavera, inverno ou outono!

Hidrate Sua Pele

Depois do protetor solar, também é importante usar um hidratante para que sua pele não fique ressecada depois da exposição ao sol. Eu sei que nessa época a gente não gosta muito de usar hidratantes por causa da sensação que alguns deles deixam, mas aposte em produtos mais leves que no final da tudo certo. 

Uma dica é usar a linha o hidratante corporal Botica Lavanda que é bem levinho, tem um cheiro delicioso, deixa a pele nutrida, com toque sedoso, e traz uma sensação gostosinha de bem-estar.

Use Máscaras Faciais

cuidados com a pele no verão

Estamos em um período onde o skin care está em alta no país e isso é maravilhoso! Cuidar da pele externamente também é importante e válido, então faça bom proveito das máscaras que estão disponíveis no mercado. 

Você também pode fazer tratamentos caseiros naturais com mel, argila e outros ingredientes que são benéficos a pele.

Dica: Uma ótima opção para hidratar a pele é o Propomel da Bio Extratus, ele é uma pomada dermoativa hidratante que suaviza, protege e age para combater irritações da pele, principalmente pés e lábios. 

Limpe bem a pele antes de dormir

cuidados com a pele no verão

Manter a pele limpa e tonificada para dormir é muito importante para evitar acne e oleosidade, principalmente nessa época mais quente do ano onde produzimos muito mais suor. Mesmo que você não tenha usado maquiagem durante o dia, não deixe de limpar bem o seu rosto antes de dormir usando produtos adequados para a pele dessa região. 

Evite usar sabonetes para o corpo no rosto porque são lugares diferentes e que exigem cuidados distintos. Sendo assim, esteja com seu kit de limpeza facial sempre no banheiro para não esquecer de lavar e tonificar a pele antes de se deitar. 

Ah! E nunca, em hipótese alguma, durma com maquiagem! 

Sua pele vendo que você ta indo dormir sem maquiagem, outra vez: 

via GIPHY

Não faz isso com ela não! 

Proteção Nunca é Demais

Vale lembrar que todas essas dicas são válidas para o ano inteiro! Cuidar e proteger nossa pele é importante mesmo nos dias mais frios ou com menos sol, então estejam sempre muito atentas aos cuidados e se protejam do câncer de pele. Sua pele é o maior órgão do seu corpo, não esqueça disso. 

Luciellen Assis

Luciellen é baiana, de Feira de Santana. Aborda temas, em seus canais, que variam entre estética e beleza negra, moda, autoestima, empoderamento e relações raciais.

Para Refletir – Dia da Consciência Negra

20.nov.2019

Estamos no mês da Consciência Negra, mais especificamente no dia da Consciência Negra e geralmente o ciclo dos acontecimentos nesse período é muito parecido: as pessoas lembram que nós (negros) existimos.

consciência negra

Acredito que você saiba o que é o Dia da Consciência Negra, então não vejo a necessidade de explicá-lo aqui. Sendo assim, escrevo esse texto como forma de reflexão em especial para as pessoas não negras.

No universo das blogueiras, esse é o período em que mais temos trabalhos, que mais somos marcadas em conteúdos sobre negritude, muitas palestras para dar. Somos disputadas de fato. Mas aí me recordo que nos outros meses não é tão assim, quando no universo de blogueiras brancas isso acontece o ano inteiro e aí vem aquela pergunta:

Porque ainda existem pessoas que se incomodam com a nossa presença se ela ainda nem é proporcional à presença branca no geral?

Eu, enquanto pessoa negra, precisei conviver com o racismo e a estranheza por conta de minha presença durante minha vida inteira e isso não mudou. Na verdade acredito que infelizmente tem ficado mais escancarado com o passar do tempo.

Vivemos em um país onde todo mundo conhece algum racista, mas ninguém se assume racista. Sendo assim, temos um crime (por que racismo é crime) com autor invisível e é aí que está a dificuldade para conseguirmos resolver esse problema.

Você pessoa branca, já parou para pensar se é racista ou não?

Já se viu julgando alguém pela cor da pele?

Já estranhou a presença de um negro em locais de elite?

Confundiu uma pessoa negra com funcionário de algum estabelecimento em que você estava indo comprar algo?

Quantos negros estão ao ser redor curtindo e não servindo a você e sua família?

Esses são alguns questionamentos que devem ser feitos internamente, todos os dias, para que você consiga entender se reproduz ou não o racismo e a partir disso se envergonhe.

O maior problema para resolvermos o racismo é achar que ele é problema dos negros. Mas não, ele é problema de todo mundo e principalmente dos brancos porque você enquanto pessoa branca  pode não ter escravizado ninguém (obviamente), mas recebe os benefícios desse sistema racista da mesma forma como eu e toda a população negra recebe os malefícios disso.

Ninguém tem culpa, mas tem a responsabilidade de se movimentar em busca de mudanças na sociedade. 

Sendo assim, a melhor maneira de mudar isso é entender seu racismo, assumí-lo, não se orgulhar disso e buscar gerar mudanças em si e no meio em que vive para que dessa maneira a melhoria seja coletiva porque o racismo é problema de todo mundo.

A @soutipo4 criou um conteúdo que ajuda a mostrar como esse racismo está enraizado na nossa sociedade e cabe a TODOS nós mudarmos isso. Comece refletindo e compartilhando com as pessoas mais próximas. Pratique você também!

Luciellen Assis

Luciellen é baiana, de Feira de Santana. Aborda temas, em seus canais, que variam entre estética e beleza negra, moda, autoestima, empoderamento e relações raciais.

Toalha de Algodão: Mito ou Verdade?

6.nov.2019

Quem está no universo das crespas e cacheadas provavelmente já ouviu falar que não devemos usar a toalha comum que temos em casa para secar os cabelos porque ela aumenta a quantidade de frizz. Tem também quem diga que é mentira e não tem diferença (eu já fiz parte desse grupo), então hoje vamos falar se a toalha de algodão funciona.

Camisa ou toalha de algodão, funciona mesmo?

No geral indica-se que a substituta na hora de secar ou tirar o excesso de água dos cabelos seja a camisa de algodão porque como ela não tem a mesma textura que a toalha, o atrito no cabelo é menor e consequentemente temos menos frizz. Mas como tudo evolui, com o passar do tempo criou-se uma toalha de microfibra que age exatamente como (ou até melhor) que a camisa de algodão.

toalha de algodão

Se você reparar bem na foto acima, vai perceber que na toalha comum (branca) já até existe uma espécie de frizz porque o material é mais fofo e suga muito mais de que deveria, por isso indica-se que a gente não use ela no cabelo. Já a toalha de microfibra (bege) apesar de ter alta absorção, só retira a quantidade ideal e não aumenta a quantidade de frizz.

A diferença no toque das duas toalhas é bem diferente. Enquanto a toalha comum é bem mais fofinha, a de microfibra tem uma textura que lembra mais um material sintético e desliza muito mais fácil tanto nas mãos quanto nos cabelos.

Toalha de Microfibra bem de pertinho:

Toalha Comum bem de pertinho:

“Mas eu não ligo para o frizz! Posso usar a toalha comum mesmo?”

Então, o ideal é sempre usar camisa/ toalha de algodão ou toalha de microfibra porque com a toalha comum seu cabelo além de ter mais frizz vai ficar mais poroso e com risco até de perder o resultado do tratamento que foi feito. Lembra que eu disse que a toalha sugava mais do que devia? Pois é! Isso vale para a forma como você finalizou o cabelo, o tratamento que você fez antes e tudo mais.

No geral o cabelo crespo e cacheado já tem uma tendência maior ao frizz e tudo bem, a gente não precisa ficar neurótica com isso, mas assim como nem todo frizz é falta de cuidados ou sinal de ressecamento, existe o frizz do cabelo pedindo socorro porque você fez coisas como lavar com água quente ou “anulou” parte da finalização usando toalha comum para secar.

cachos e crespos

E se você está procurando uma linha que ajuda na diminuição do frizz, uma dica é usar o lançamento da Bio Extratus que é a linha Cachos e Crespos. Ela é super Nutritiva e mesmo que você ame volumão como eu, ela funciona muito bem, então serve para todo mundo mesmo.

Tem texto meu aqui no blog contando todos os detalhes dessa linha com fotos das fórmulas e tudo! Clica aqui que você vai direto pra lá.

Luciellen Assis

Luciellen é baiana, de Feira de Santana. Aborda temas, em seus canais, que variam entre estética e beleza negra, moda, autoestima, empoderamento e relações raciais.

Carregar Mais